Sem categoria

Aventura nos Cárpatos

Há pouco mais de dois meses na Romênia, onde acertou com o Rapid Bucareste, o goleiro brasileiro Elinton conversou com a Trivela sobre o bom momento do clube, os bastidores, e a excelente fase que vive em solo romeno. Ao seu lado no time da capital também estão Césinha (ex-Santa Cruz) e Marcos Tamandaré (ex-Corinthians). O arqueiro gaúcho, com vasta experiência em clubes do Rio de Janeiro, assinou por três anos com os ‘Feroviari’, e é consciente da dura missão que terá para desbancar o goleiro Danut Coman, titular absoluto e ídolo da torcida. Aos 28 anos, Elinton teve uma curta passagem pelo Ascoli, onde teve a honra de treinar junto de ninguém menos que Gianluca Pagliuca, ‘portiere’ ícone na Itália. Aproveitando a semana onde seu clube joga pela Copa UEFA contra o Nuremberg, da Alemanha (20/09), o atual camisa 99 do Rapid Bucareste também falou um pouco sobre esta partida.

Confira a entrevista e mergulhe um pouco na atmosfera do futebol na região dos Cárpatos!

Em um trecho do hino do Rapid Bucareste está escrito “Lute se você nos ama”. Pelo pouco tempo que você chegou já deu para se apaixonar pelo clube a ponto de ter a total entrega que a tradição do Rapid exige?
O que eu posso dizer é que me identifiquei com a equipe e Deus esta me iluminando, pois estamos em primeiro no Campeonato Romeno. O ambiente de trabalho é sensacional e a torcida apóia o jogo inteiro. A cada saída de gol que eu faço parece até que eles estão comemorando um gol, é emocionante. Nas ruas o carinho das pessoas é gratificante. Resumindo, existe sim um carinho especial com o Rapid e tenho três anos de contrato pela frente aqui e que esse carinho se transforme em casamento.

Como está a preparação para o jogo contra o Nuremberg pela Copa UEFA? O que o técnico italiano Cristiano Bergodi já passou para vocês sobre a equipe alemã?
Para falar a verdade estamos voltados para o jogo contra o Steaua neste domingo, dia 16 (Entrevista foi concedida em 13/09), depois com certeza vamos pensar no Nuremberg. Eu, particularmente, procurei a respeito do time alemão e vi que não estão muito bem no Campeonato deles (Bundesliga). Mas só veremos no dia do jogo, e posso dizer que a expectativa é grande da diretoria, da torcida, e dos jogadores para conseguir esta classificacão para fase de grupos da UEFA.

O Rapid é um dos líderes do Campeonato Romeno. Como está o clima do grupo nos treinos e na concentração?
Melhor impossível, desde que voltamos da pré-temporada, na Suíça, que não
perdemos. Nossa última derrota foi dia 14 de julho contra o Souchaux, da
Franca, quando perdemos por 2 a 1, mas foi jogo treino, com varias mudanças durante a partida. O que vale é agora. Estamos muito bem, obrigado.

Você acredita ser possivel bater de frente com o Steaua e o Dinamo ou o 3o lugar estará de bom tamanho?
Pelo que estou vendo aqui, não tem essa de dizer “Ah, o 3º lugar está de bom tamanho”. O Dínamo esta mal no Campeonato, nós ganhamos a Supercopa contra eles. Isso sem falar da eliminação deles da fase de grupos da Champions League, onde perderam da Lazio. Trocaram de treinador agora,
trouxeram o Walter Zenga, ex-goleiro da seleção italiana. O Steaua é mais falado na TV, o tempo todo, e se classificou para fase de grupos da Champions League…mas veremos agora quem é quem (terminou 0 a 0, agora o Rapid é vice-líder, dois pontos atrás do Cluj).

O novo treinador, o italiano Cristiano Bergodi fez um ótimo trabalho no Cluj, na temporada passada. Como você avalia o trabalho dele no dia-a-dia? Por ser um ex-zagueiro, ele enfatiza mais a defesa?
É uma pessoa fantástica, dentro e fora do campo, ajuda sempre que for
possível. Quanto a enfatizar a defesa, quando eu estive na Itália, era assim também. O treinador é italiano, foi zagueiro…mas ele não esquece da parte dos atacantes não, tanto que estamos fazendo gols em todos os jogos, estamos em primeiro na tabela. Sinal de trabalho bem feito.

Você tem um desafio muito grande pela frente que é roubar a posição do
Danut Coman. Ele é um grande goleiro mesmo? Dizem que é mascarado. Quais as principais qualidades dele embaixo das traves?
Joguei algumas partidas aqui e não levei gol ainda. A torcida e a imprensa estão sempre falando bem de mim, graças a Deus. Penso que o fato de terem feito três anos de contrato comigo seja justamente para vendê-lo e poder contar comigo depois. Até porque o desejo do Coman é sair para uma outra equipe, pois já tem tempo de Rapid e deseja conhecer outros ares. Ele não é mascarado não. É uma pessoa espetacular. Sua maior qualidade como goleiro é a segurança dentro do gol. Ele não é de sair muito do gol não, até porque não é muito alto, mas é muito seguro e tranqüilo. É um ídolo aqui, os torcedores gritam o nome dele que parece até que foi um gol que saiu. O trabalho dele é reconhecido não só no Rapid, como na seleção também.

Quais as principais diferenças entre os Preparadores de goleiros
brasileiros e os romenos? Existem diferenças nos métodos?
Os trabalhos são quase os mesmos, na Itália era assim também. No Brasil passei por grandes clubes e grandes treinadores no Flamengo, Fluminense e Vasco, sem contar os outros clubes menores, mais com excelentes preparadores de goleiros. Na Romênia é igual, o que muda em cada um é a filosofia de trabalho e a forma de se explicar os métodos, mas não foge muito não. No final de tudo dá quase no mesmo.

Nunca um goleiro brasileiro fez nome no leste europeu. Você tem ambição em ser o primeiro goleiro daqui a triunfar nessa região ou sua meta é jogar num país de maior expressão na Europa?
Minha meta é sempre jogar, treinar, e estar empregado, até porque emprego hoje em dia não esta muito fácil não, procuro sempre entregar minha vida em campo, acho que com isso o resto é conseqüência de um trabalho bem feito.
Penso sim em brilhar aqui para depois ir para um outro país mais visado pela mídia até porque meu empresário é italiano e isso ajuda, mas quero voltar um dia para o Brasil, tenho 28 anos, quero ficar uns cinco anos na Europa e voltar.
Infelizmente ai no Brasil o jogador só é valorizado quando pega o rótulo de jogador europeu, e foi isso que vim fazer, conquistar meu espaço na Europa para depois, se Deus quiser, voltar para um clube que tenho um carinho muito especial ai no Rio de Janeiro e que é de grande paixão dos meus pais e minha irmã, e tenho fé que vou conseguir (o jogador prefere não revelar o clube).

Como você e os brasileiros Marcos Tamandaré (ex-Corinthians) e Césinha (ex-Santa Cruz e Sporting Braga-POR) tem feito para aprender o idioma romeno? A comunicação nos treinos com os estrangeiros é em inglês?
O idioma do futebol é universal, dentro de campo todos se entendem, acabam
dando um jeito. Eu prefiro falar italiano, pois o treinador é italiano. Em romeno somente algumas palavras e em inglês agente enrola (risos).

Assim como os gregos e os turcos, os romenos são conhecidos por serem um povo de muita valentia e temperamento forte. A relação com os jogadores romenos é difícil ou até agora vai bem?
Receberam agente de braços abertos. Até agora foi espetacular, parece até que jogamos aqui há muito tempo. O time estando em primeiro lugar no Campeonato ajuda muito a relação. O salário é pago em dia e as premiações são altas, com isso o empenho dentro de campo é maior ainda e a Diretoria está sempre cumprindo as obrigações. Tudo isso ajuda.

O que os capitães Maftei e Maldarasanu disseram para vocês quando chegaram ao clube? Eles são bons líderes?
Como eu disse, parece que jogamos aqui há muito tempo. Fazem tudo para
ajudar, e o Maftei, além de líder, é um jogador espetacular que jogaria em
qualquer equipe grande do Brasil.

Na temporada passada o atacante Ianis Zicu arrebentou jogando pelo Rapid e agora voltou ao Dinamo. Ele saiu muito cedo para o futebol italiano, não estourou, e teve que voltar a Romênia para não se queimar. Ele é o melhor jogador em atividade no país?
Falam muito do Zicu por aqui e é um grande jogador sim, mas os mais
comentados não jogam aqui na Romênia, jogam em outros clubes da Europa de maior expressão. O Chivu, por exemplo, é um deles. Além de outros.

Esse Vladimir Bozovic que chegou junto com vocês é um jogador de
Montenegro, país recém separado da Sérvia. Você tem intimidade com ele? Ele tem qualidade para brigar por posição na equipe titular?

Um grande jogador, boa pessoa, engraçado e fala muito bem o inglês. Por isso
se comunica fácil, até porque aqui na Romênia falam muito o inglês e ele não briga pela posição de titular, pois já é dele não só no Rapid como na seleção. Inclusive esta semana ele esta servindo a seleção de Montenegro pelas Eliminatórias da Eurocopa.

Quem mais te impressionou no elenco do Rapid em termos de qualidade?
O zagueiro Maftei e o recém contratado Herea (Ovidiu, da seleção sub-21 do país), isso entre os romenos. O Césinha também tem muita qualidade, mas é o conjunto do time que prevalece, isso faz com que sejamos um dos candidatos ao titulo.

Ovidiu Herea é futuro certo na seleção romena?
Tem futuro sim, grande jogador.

Como foi a conquista da Supercopa da Romênia, em julho?
Foi fantástico, eu já estava aqui, minha documentação regularizou bem no dia
do jogo e pude ir para a partida e ter esse presente de ser campeão logo na minha chegada. Foi muito bom, até brincamos falando que os brasileiros trouxeram sorte. A diretoria, imprensa, e torcida, todos eles falam que esse ano no Rapid vai tudo acabar em samba se Deus quiser (risos).

O que os jogadores mais antigos do plantel dizem sobre o Diretor Geral do clube Constantin Zotta? O que você sabe sobre os dirigentes dai?
Vou ser sincero, falam bem e mal (risos), mas não entendo muito o
que falam. O Zotta é o braço direito do Presidente, que se chama George
Copus, eu não tenho nada para reclamar, salário em dia, tudo que me prometeram cumpriram, então nada a declarar. Mas parecem ser honestos por incrível que pareça (risos).

O que você observou de mais curioso ou engraçado no comportamento dos torcedores ou jogadores e comissão técnica nos treinos e jogos?
Não tem nada de curioso, tudo muito parecido. Antes dos jogos ou no dia do jogo mesmo, o time sai da concentração e vai passear pela cidade para jogar sinuca, jogar conversa fora, tirar um pouco da preguiça. Não costuma ter reza nem grito no vestiário antes do jogo. Em termos de torcida é uma paixão incrível com caixas de som enormes e sempre um cara puxando os gritos. O
som é muito alto, emocionante!

Qual avaliação você faz da sua passagem pelo Ascoli? Você esteve lá na mesma época do goleiro Pagliuca? Como foi?
Foi uma passagem com certeza muito boa, joguei pouco, mas aprendi muito.
O Pagliuca é espetacular e me ajudou bastante. Infelizmente tive problemas
particulares mas já resolvidos, e não pude ficar até o final do
campeonato. Tive que voltar ao Brasil, dei alguns passos para trás para
poder dar um salto depois. Sou guerreiro, meu prazer é lutar.

A Romênia é conhecida por ser um dos maiores redutos de ciganos no
mundo. Calcula-se que são cerca de 2 milhões vivendo pelo país. Você já
observou ou teve contato com esse grupo nômade?

Já observei sim, contato ainda não. Existem vários que ficam nos sinais de
trânsito fazendo os mesmos trabalhos que os brasileiros fazem (risos).

Prefere a mulher italiana ou romena?
Prefiro minha mulher Fernanda, já sou casado tem quatro anos. Não falo isso por ela ser minha mulher ou com receio de responder. Falo por ela me fazer um bem enorme e ser minha companheira aqui. Amo minha mulher, mas nesse quesito beleza não tem comparação, as brasileiras são lindas por causa do conjunto. Entre romenas e italianas, você me pegou… de rosto as duas são lindas, prefiro deixar a resposta no ar (gargalhadas).

FICHA

Nome: Elinton Andrade
Data de Nascimento: 30/03/1979
Local de Nascimento: Santa Maria/RS
Clubes:
1998: CFZ
1999: CFZ
2000: CFZ
2001: Flamengo
2002: Flamengo
2003: Flamengo
2003: Rio Claro
2004: Bangu
2004: Fluminense
2005: Vasco
2006: Ascoli-ITA
2007: Duque de Caxias
2007/8: Rapid Bucareste-ROM

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo