Copa do MundoMundo

Infantino enfrenta a resistência dos principais clubes europeus para expandir Copa

Quase sempre em pé de guerra, ou pelo menos discordando de assuntos importantes, a Associação de Clubes Europeus, entidade com 200 membros, entre eles os mais ricos e poderosos times da Europa, e a Fifa acharam outro ponto de discórdia: a expansão da Copa do Mundo para 48 equipes, a principal bandeira do novo presidente Gianni Infantino.

LEIA MAIS: Infantino propõe Mundial de Clubes com 32 equipes e em junho. Será?

A mais nova proposta de Infantino, que deve ser votada no mês que vem, é um formato com 16 grupos de três seleções, classificando os dois primeiros. Anteriormente, ele havia sugerido fases preliminares para, em seguida, realizar a fase de grupos com os tradicionais 32 times.

Como era de se esperar, a Associação de Clubes Europeus não gosta muito da ideia de mais partidas durante a Copa do Mundo, um torneio que especialmente esgota os jogadores pelo seu calendário apertado – até sete partidas em um mês. Defendendo seus interesses, a entidade está constantemente brigando para reduzir a importância e o calendário do futebol de seleções.

“O número de jogos sendo disputados ao longo do ano já chegou a um nível inaceitável, particularmente para jogadores de seleções”, disse a entidade, em um comunicado publicado em seu site. “O Comitê Executivo da ECA, portanto, rejeita a iniciativa e enviou uma carta a Gianni Infantino pedindo para a Fifa não aumentar o número de participantes em futuras Copas do Mundo”.

A medida, caso aprovada, entraria em vigor no Mundial de 2026. O presidente da ECA, Karl-Heinz Rummenigge, continua: “Temos que nos concentrar no esporte novamente. Política e interesses comerciais não deveriam ser a prioridade exclusiva do futebol. No interesse dos torcedores e dos jogadores, nós queremos que a Fifa não aumente o número de participantes da Copa do Mundo”, disse o ex-jogador alemão.

Agora, Infantino tem que tomar uma decisão: aumentar o número de participantes da Copa do Mundo é bom politicamente entre as federações que o elegeram, mas compraria uma briga com os clubes mais poderosos do mundo.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo