Copa do MundoMundo

Blatter quer extinguir disputa por pênaltis na final da Copa

Brasil e Itália se sagraram tetracampeões da Copa do Mundo graças aos pênaltis. Embora esteja fora de questão a qualidade dos times ao levantarem a taça, Joseph Blatter espera que estes tenham sido os últimos a conquistarem o Mundial desta forma. O presidente da Fifa admitiu seus planos de extinguir as penalidades em decisões da Copa, ainda que não tenha uma alternativa clara para a questão.

“Penso que disputar novamente uma final é uma boa ideia, mas não sei se é possível. Não é fácil, porque a final precisa ser decidida no dia em que foi marcada. Mas esperamos achar uma solução para evitar a necessidade de pênaltis na decisão da Copa do Mundo. Os pênaltis são contra a essência do futebol, tornam um esporte coletivo e um duelo de um contra um. Por outro lado, é verdade que os pênaltis são bons para a televisão, porque a audiência sobe às alturas quando há uma disputa”, declarou o presidente.

Além disso, o dirigente discutiu o uso da tecnologia sobre a linha do gol. Blatter confirmou que o sistema será usado na Copa das Confederações e indicou que só não é adotado pela Uefa por culpa de Michel Platini, presidente da entidade: “A diferença de opinião não é com a Uefa. É apenas com Platini. As federações, os árbitros, os jogadores. Todos querem a tecnologia sobre a linha do gol. Se Platini não quer, é algo pessoal. Mas isso mudará”.

Ainda sobre o tema, Blatter revelou que o gol não validado de Frank Lampard durante a Copa de 2010 foi decisivo para que mudasse sua postura: “Sim, naquele dia eu vi as coisas claramente. A bola ultrapassou a linha por muito. Tive uma noite difícil depois desse incidente. Eu fiquei sobrecarregado. Falei para mim mesmo: ‘Se acharmos um sistema infalível, que evite o risco de gols fantasmas, aplicaremos isso’. Agora temos vários sistemas válidos”.

Por fim, Blatter comentou que a iniciativa tem apoio de boa parte dos árbitros com os quais entrou em contato: “Todos os árbitros aplaudem este tipo de assistência, porque os gols fantasmas são tipos de erro que os acompanham pelo resto da vida. São vários que são lembrados por esses erros. Se você erra com um cartão ou um pênalti… mas não ver um gol é sério”.

A tecnologia sobre a linha do gol já foi adotada no Mundial de Clubes de 2012. Na ocasião, foram dois sistemas: o “Olho de Falcão” (Hawk Eye), que utiliza diversas câmeras para identificar a posição da bola, e o GoalRef, baseado em sensores para determinar se a bola passou pela trave. Na Copa das Confederações, apenas o Hawk Eye está confirmado.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo