México

Uma semana para esquecer

Chivas, Pumas, Cruz Azul e… Morelia! Nada contra a presença dos Canários na semifinal da Liguilla do Clausura. Mas a imprensa, o público (com exceção do de Morelos) e até mesmo a Femexfut já projetavam uma inédita fase de meia-final reunindo os quatro clubes mais populares do futebol azteca.

“Projetavam”, já que o América perdeu as duas partidas nas quartas e deu adeus ao sonho do título. Mais do que isso. Em uma semana para esquecer, as Águias também foram eliminadas da Copa Libertadores após um empate sem gols com o Santos, em Querétaro.

Aliás, o mando no estádio Corregidora, em virtude da preparação do Azteca para o show do U2, já surge como um dos motivos para a péssima sequência de um empate e duas derrotas na última semana, que resultaram na perda do semestre dos Millonetas.

No primeiro duelo, marcado pelo equilíbrio e jogado apenas dois dias depois da partida contra o time brasileiro, o Monarcas aproveitou as melhores oportunidades e abriu 2 a 0 sobre um time ainda cansado pelo curto espaço de tempo para a recuperação. O América ainda conseguiu diminuir, mas não se livrou do fato de ser o único mandante a perder em casa nas oitavas-de-final.

No jogo de volta, o conjunto de Coapa ainda partiu para cima e conseguiu o gol logo no começo do jogo, mas os Purépechas contaram com uma tarde inspirada do jovem equatoriano Joao Rojas, que marcou duas vezes e ainda sofreu o pênalti convertido por Rafael Márquez que deram a vitória ao Morelia por 3 a 2.

Apesar de impossibilitar um interessante encontro entre os quatro grandes, o resultado premiou a equipe mais regular. Os Azulcremas, eliminados antes do imaginado e sem chances de conquistar a taça que não vem desde 2005, devem passar por reformulação, que não excluiu nem mesmo a saída do chileno Reinoso do comando da equipe.

Máquina Cementera busca sair da fila

Na semi, o Morelia pega o Cruz Azul, que garantiu a vaga ao passar pelo time menos tradicional da Liguilla, o Atlante. O resultado foi conquistado na primeira partida, com um 2 a 1 de virada, obtido com dois gols do argentino Chrstian Giménez.

Apesar do resultado, confirmado com o empate sem gols no jogo da volta, vale ressaltar as dificuldades encontradas pelos Cementeros. Mesmo com um a mais durante 25 minutos no primeiro encontro, o time desperdiçou uma penalidade com o próprio Giménez, não aumentou a vantagem e por pouco não sofreu o empate.

Na segunda partida, os Potros pressionaram durante todo o jogo, enquanto a Máquina Celeste criou apenas duas boas oportunidades. Muito pouco para quem deseja sair da fila de 14 anos sem conquistar a Liga.

Guadalajara elimina Superlíder

O duelo entre Guadalajara e Tigres teve um nome: Marco Fabián. O meia de 21 anos foi o grande nome da primeira partida, vencida pelo Rebaño Sagrado por 3 a 1, que praticamente selou o destino da batalha.

Atuando como a peça de ligação entre o meio e o ataque no 4-3-1-2 de José Luis Real, Fabián brilhou com uma assistência e um gol, além de grandes jogadas e passes precisos que por pouco não ampliaram ainda mais a vantagem das Chivas.

Foi dele o magistral drible da vaca pelo lado de direito do ataque que concluiu deixando Arellano livre para abrir o placar. Com vantagem de 2 a 1, ainda sofreu e converteu o pênalti que deixou o time próximo da semi. Além de quase marcar um gol de placa ao colocar a bola por baixo das pernas do brasileiro Juninho e concluir um pouco acima da trave.

O Tigres pagou pela fraca atuação na primeira partida, onde limitou-se a defender e pouco avançou. No jogo de volta, mesmo criando muito mais oportunidades e lançando-se ao ataque, os comandados de Ferretti esbarraram na segura atuação do goleiro Michel e na sorte, já que, quando pressionavam em busca do segundo gol, viram um estranho rebote de pênalti defendido ser marcado sem querer pelo zagueiro Reynoso e a partida terminar em 1 a 1.

Atual campeão cai para o Pumas

Já o Pumas mostrou que, coletivamente, é a mais forte das equipes que disputam o título. Na primeira partida contra os atuais campeões do Monterrey, os felinos não souberam segurar o ímpeto dos campeões continentais e sofreram uma dura derrota por 3 a 1.

Mesmo armando sua equipe num defensivo 5-3-2, Vásquez viu os Universitários sofrerem três gols em 47 minutos e contou com um importante tento de Bravo para diminuir o prejuízo.

Na segunda partida, o técnico inverteu o posicionamento para um 5-2-3, com Palencia fazendo a ligação ao lado de Castro. Os Rayados, em contrapartida, foram vitimados pela retranca montada por Vucetich, que isolou Suazo no ataque, com poucas oportunidades de gol.

Os 2 a 0 com dois gols de cabeça deram a vaga ao UNAM, que com a eliminação do Tigres, garante a vantagem de decidir em casa contra qualquer outra equipes a partir das semifinais. Resta saber se o time de jogo coletivo e com poucas estrelas individuais conseguirá superar o jovem time do Guadalajara no clássico da semifinal.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo