México

Que Comece La Fiesta!

Agora é pra valer. A hora de separar os homens dos meninos. A última rodada definiu as três vagas ainda restantes para a Liguilla do Clausura 2012 do campeonato mexicano. Pachuca e Tijuana confirmaram com tranquilidade vagas que pareciam já asseguradas.

A última vaga em aberto ficou entre Jaguares e Cruz Azul. Enquanto os da selva venceram o Morelia, La Maquina Azul não passou de um empate por dois gols com os rivais do América e ficarão de mãos abanando na pós-temporada nacional. E o fato de a vaga ficar em Tuxtla Gutiérrez mostra duas tendências que começam a se confirmar entre os dois postulantes.

A primeira é o ressurgimento dos chiapanecos, que emendam o segundo playoff consecutivo e parecem dar início a uma nova fase dourada para o jovem clube. Muitos ainda se recordam do time que surpreendeu o país azteca em meados da década passada, tendo como referência o atacante paraguaio Cabañas.

O sucesso na aposta paraguaia rendeu bons frutos e acarretou uma base atual estabelecida sobre outro pilar sul-americano: a Colômbia. O tridente ofensivo dos felinos é formado por Luis Gabriel Rey, Jackson Martínez e Franco Arizala, todos cafeteros e responsáveis por 61% dos gols da equipe na temporada. E é nessa tríade que o Jaguares aposta para ir longe na Liguilla.

Em contrapartida, a eliminação cementera promete causar uma reestruturação profunda no clube capitalino. A nova decepção, aumentando o sofrimento e o jejum de conquistas azul, recairá primeiro sobre o comando técnico: Enrique Meza, mesmo muito respeitado dentro do clube, sofre fortes bombardeios do comando diretivo e dificilmente fica para a próxima temporada.

A eliminação dos playoffs, que o clube não deixava de disputar há três torneos cortos deverá respingar, também, sobre o elenco, muito criticado pelo presidente Guillermo Cuevas após a eliminação. Nem mesmo os atacantes argentinos Villa e Giménez ou os experientes Torrado e Domínguez têm sua permanência garantida.

De resto, os confrontos da Liguilla são, como sempre, promessas de grandes emoções. As campanhas (tanto na Concachampions como na liderança da fase regular) credenciam Santos (Superlíder) e Monterrey como favoritos, mas Pachuca, Tigres e Morelia são presenças constantes nos últimos playoffs. Que conta ainda com o gigante América, o novato Tijuana e a possível surpresa (em ótima fase) Jaguares.

Confrontos das quartas-de-final da Liguilla
Santos (1º) x Jaguares (8º)
Monterrey (2º) x Tijuana (7º)
América (3º) x Pachuca (6º)
Morelia (4º) x Tigres (5º)

Dos classificados, apenas Tijuana e Jaguares nunca foram campeões na elite, sendo que os Xolos disputam a Liguilla pela primeira vez. Até por esse motivo, o confronto do clube fronteiriço contra os Rayados é o único sem antecedentes nos playoffs.

Por último, vale constatar que cinco dos oito classificados estiveram presentes, também, na Liguilla do Apertura: Santos, Morelia, Tigres, Pachuca e Jaguares. Contudo, o que poderia ser indício da existência de um grupo de times fortes e sempre “de chegada”, cai por terra se analisamos que os times que há mais torneios alcançam a Liguilla (Tigres e Morelia) estão apenas em sua terceira consecutiva.

A teoria cada vez mais confirmada de que, em qualquer liga, existe a necessidade de formação de um grupo de equipes mais fortes e “favoritas” que se destaquem no cenário nacional para fazer frente a rivais internacionais. E que pode ser vista, também, sob outro ponto de vista: o equilíbrio não necessariamente significa uma liga forte e saudável e por vezes representam um nivelamento por baixo.

Não que esse seja o caso mexicano, mas o fato de três dos quatro maiores times do país estarem fora da Liguilla (e o único classificado ter sido vice-lanterna do último torneio) não ajudam em nada para confrontar essa tese.

Monterrey é bi na Concachampions

E deu a lógica. Com muita dificuldade, mas ainda assim a lógica. O Santos jogou melhor, pressionou de todas as formas, com o apoio da fanática torcida lagunera, mas a maior experiência rayada fez a diferença.

Partindo em desvantagem pela derrota por 2×0 na ida, os Guerreros partiram pro tudo ou nada em casa e, contando com a ausência do artilheiro chileno Humberto Suazo, criaram as melhores oportunidades.

A tática de atuar no contra-ataque, utilizada pela Pandilla, não funcionou como esperado e, mesmo com a excelente atuação de Orozco e as chances perdidas por Quintero, um gol marcado por Ludueña nos acréscimos da primeira etapa deu o ânimo necessário para o time marcar novamente aos seis minutos do segundo tempo, com Oribe Peralta, e pôr fim a vantagem obtida pelo Coloso del Norte na ida.

Mesmo com o time de Torreón ainda pressionando, a partida tornou-se mais equilibrada e parecia já destinada a ser definida nos pênaltis quando, a menos de dez minutos para o fim, o experiente meia argentino Neri Cardozo marcou o gol que, se não evitou a derrota, levou os Rayados ao bicampeonato continental.

Se no somatório das finais os Albiverdes foram melhores, o mesmo não pode ser dito de toda a competição, o que torna mais do que justa a conquista Aplanadora. Agora, é necessário que o time se prepare melhor (e desde já) para o Mundial de Clubes a fim de evitar um vexame como o visto em 2011, quando foi eliminado logo na primeira partida para o Kashiwa Reysol (JAP). A desculpa da estreia não servirá mais. Ainda mais para uma equipe com planos ambiciosos que extrapolam os limites aztecas.

Notas

 

Seleção da rodada do site Mediotempo: Alfredo Talavera (Toluca), Sergio Pérez (Monterrey), Leobardo López (Pachuca), José Basanta (Monterrey) e Aureliano Torres (Toluca); Luis García (Puebla), Segundo Castillo (Pachuca) e Daniel Ludueña (Santos); Oribe Peralta (Santos), Iván Alonso (Toluca) e Humberto Suazo (Monterrey). T: Benjamín Galindo (Santos);

– Analisando a média do descenso para a próxima temporada, após a queda do Estudiantes Tecos, já podemos analisar quem deverá brigar mesmo contra a queda em 2012/13;

– Atlas e Querértaro são os mais ameaçados, enquanto Atlante e Puebla verão algumas boas campanhas de 2009/10 não contarem mais e terão de se preocupar;

– A disputa envolverá também o time que ascender da Liga de Ascenso: o vencedor do duelo entre Correcaminos (campeão do Apertura) e León/Lobos BUAP (finalistas do Clausura);

– Confira mais desse colunista e sobre o futebol mexicano pelo twitter: @renanbarabanov

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo