México

Que comece la Fiesta…

Acabou moleza. Com o fim da primeira fase e a definição dos oito melhores começa a partir de quarta-feira a Liguilla do Apertura 2012 da Liga MX. Apesar da participação de dois times recém-chegados à Primera División, tradição é um elemento que não faltará na disputa dos playoffs: os quatro maiores campeões nacionais estarão presentes, isso sem falar no time de maior sucesso no cenário atual do futebol azteca.

De cara, um dado interessante ressalta o equilíbrio que deve permear a disputa a partir de agora: dos quatro confrontos que colocaram os adversário frente a frente na primeira fase, três terminaram empatados. Sinônimo de grandes embates e muita emoção.

(1º) Toluca x Chivas Guadalajara (8º)

Confrontos em Liguillas: 6 (4 vitórias do Toluca e 2 vitórias do Chivas)

Último confronto: final – Apertura 2006 (Chivas 3-2)

Na primeira fase: Toluca 2×1 Chivas (1ª rodada)

Um dos confrontos mais tradicionais do futebol mexicano, ainda que a rivalidade não seja tão acirrada, o peso histórico do duelo entre Toluca e Chivas é grande. O momento vivido por ambos, contudo, é bem diferente. Enquanto o Rojo se reinventou mesmo após a aposentadoria do artilheiro uruguaio Iván Alonso e fez uma campanha digna de seus melhores anos, o clube de Guadalajara teve um início irregular, uma grande recuperação, mas voltou a oscilar na reta final e entra na Liguilla enfrentando a desconfiança do seu remodelado projeto “holandês” comandado por Johan Cruyff.

A vantagem do confronto em playoffs é dos Diablos, mas os dois últimos encontros terminaram com a sobrevivência do clube de Guadalajara, incluindo a final do último título nacional do Rebaño, no Apertura 2006. Enquanto o Toluca deposita suas fichas no bom momento de seu setor de meio-campo, comandado pelos brasileiros Lucas, Wilson Mathias e Sinha, o Chivas aposta na solidez de sua retaguarda, onde desponta a boa fase do goleiro Luis Ernesto Michel e o bom entrosamento entre Reynoso, Esparza e Araujo.

(2º) Tijuana x Monterrey (7º)

Confrontos em Liguillas: uma vez (uma vitória do Monterrey)

Último confronto: quartas de final – Clausura 2012 (Monterrey 4-3)

Na primeira fase: Monterrey 1×1 Tijuana (11ª rodada)

Único dos confrontos já visto nos playoffs esse ano (durante o Clausura, na primeira parte do ano), com vitória do clube de Monterrey, o momento agora é favorável ao clube fronteiriço. Apesar de jovem, o time de Tijuana sofreu apenas uma derrota na primeira fase e deu mostras de um amadurecimento impressionante, alcançando sua segunda Liguilla em três torneios na elite. O adversário não poderia ser um teste melhor para as pretensões dos Xolos: o melhor time da década atual no futebol mexicano. E os Rayados costumam crescer nos momentos decisivos.

O duelo colocará frente a frente a melhor defesa do Apertura contra a pior entre os clubes que chegaram aos playoffs. Ainda assim, a Pandilla terá de redobrar sua atenção com o atacante colombiano Riascos, que cresceu muito de produção na atual temporada. Do lado azul e branco, se a defesa não segura as pontas o ataque compensa. E as opções são muitas: Delgado, Cardozo, Reyna, De Nigris e Suazo oferecem a Vucetich um arsenal amplo e variado. Resta saber se o pensamento do Monterrey estará na Liguilla ou numa futura boa participação no Mundial de Clubes, em dezembro, o que pode tirar um pouco o foco do grupo.

(3º) León x Cruz Azul (6º)

Confrontos em Liguillas: 3 (2 vitórias do Cruz Azul e 1 vitória do León)

Último confronto: final – Invierno 1997 (Cruz Azul 2-1, com gol de ouro na prorrogação)

Na primeira fase: Cruz Azul 1×1 León (5ª rodada)

Duelo da melhor defesa contra o melhor ataque, Cruz Azul e León farão um confronto equilibrado e cheio de história. Sempre que ambos se encontram nos playoffs, o vencedor conquista o título nacional. Aliás, as últimas conquistas dos dois clubes foram alcançadas tendo o atual adversário como um dos obstáculos na Liguilla. Foi assim com o último nacional do clube esmeralda (em 1991/92), quando o time comandado pelo jovem Vucetich eliminou os Cementeros na semifinal, e em duas taças do time da capital: em 1972/73 (batendo o León na final) e na última conquista Azul, no torneio de Invierno 1997 (novamente superando os Panzas Verdes na decisão).

O clube de León teve uma campanha mais regular na primeira fase e larga em vantagem. Com um ataque explosivo, grande entrosamento obtido pela manutenção da base vitoriosa na Liga de Ascenso e surpreendendo os grandes pela postura em campo, a expectativa de título da Fiera é grande. A Máquina, apesar de não empolgar tanto, conta com um dos melhores elencos da Liga MX e nomes experientes que podem tornar-se peças-chave nos momentos decisivos. Os azuis ainda precisam se livrar da pressão pelo jejum de conquistas e exatamente pelo fato de não contar com o peso do favoritismo no duelo que o time pode dar liga.

(4º) América x Morelia (5º)

Confrontos em Liguillas: 4 (3 vitórias do Morelia e 1 vitória do América)

Último confronto: semifinal – Clausura 2011 (Morelia 5-3)

Na primeira fase: América 1×1 Morelia (10ª rodada)

Poderia ser o confronto mais parelho das quartas de final (e até é se olharmos apenas para os números), mas o momento é favorável ao clube da capital. O Morelia conseguiu retomar sua regularidade característica, obtendo uma invencibilidade de nove partidas na reta final da primeira fase, mas a chave para o duelo deverá ser a forma de Christian Benítez. Com “Chucho” inspirado é difícil imaginar que alguém consiga parar o conjunto de Coapa, assim como um desempenho apagado do equatoriano pode pôr fim às pretensões millonetas na competição.

O Monarcas de Romano é pragmático e dono de um estilo que agrada poucos, mas é eficiente. E vale lembrar que foi exatamente assim que eliminou as águias no último encontro pelos playoffs. Já os azulcremas de Herrera não têm escapatória: as bolas obrigatoriamente terão de passar pelos pés de Montenegro e Benítez. A fase de ambos é ótima, a pressão da torcida e da própria direção parece sob controle, mas a chave para segurar o time (impedir a conexão Montenegro-Benítez), ainda que difícil de ser alcançada, é sabida e divulgada.

Curtas

– Seleção Trivela da 17ª rodada do Apertura mexicano: Jonathan Orozco (Monterrey), Luis Fuentes (Pumas UNAM), Javier Gandolfi (Tijuana), Pablo Aguilar (Tijuana) e Carlos Rodríguez (Toluca); Matías Britos (León), Aldo Ramírez (Morelia), Jaime Lozano (Pumas UNAM) e Luis Montes (León); Alfredo Moreno (Tijuana) e Miguel Sabah (Morelia); T: Enrique Meza (Toluca);

– Toluca, Tijuana e León, os três primeiros colocados da fase regular do Apertura, ficaram com as vagas aztecas na Copa Libertadores 2013. Xolos e Esmeraldas estreiam na competição, enquanto os Diablos farão sua segunda aparição;

– Nos duelos de ida das quartas de final da Liguilla da Liga de Ascenso, os mandantes fizeram o dever de casa: todos venceram seus duelos e jogam por empates na volta, desbancando equipes mais bem posicionadas na primeira fase;

– O La Piedad bateu o Estudiantes Tecos por 2×1, de virada, enquanto o Mérida fez fáceis 3×0 no Lobos BUAP em apenas seis minutos e o atual campeão da Copa MX Dorados superou o Neza pelo placar mínimo, com gol de pênalti do veterano atacante Cuauhtémoc Blanco;

Costa Rica

– Com uma derrota frente ao Belén Siglo e uma vitória sobre o San Carlos, o Saprissa manteve a ponta do Campeonato de Invierno da Primera División, com 39 pontos em 20 jogos. A Alajuelense bateu o Herediano e garantiu sua vaga nas semifinais, agora com 37 pontos em 19 partidas;

– Herediano (33 pontos) e Limón (30) ocupam as duas vagas restantes, mas Pérez Zeledón (28 em 19 jogos), Santos (28) e Belén (27) ainda brigam pela classificação, restando duas rodadas para o fim da primeira fase;

El Salvador

– Com uma goleada sobre o Juventud Independiente, o Isidro Metapán chegou aos 30 pontos em 16 partidas, manteve a liderança do Apertura e garantiu vaga nas semifinais da Liga Mayor;

– Alianza (28 pontos), Águila (28) e FAS (27) estão bem próximos de se garantir nas duas rodadas restantes, enquanto Luis Ángel Firpo (21), Santa Tecla (21) e Atlético Marte (20), os dois últimos com 15 jogos, ainda sonham com uma (difícil) reviravolta;

Guatemala

– Um triunfo mínimo sobre a Universidad SC manteve o Comunicaciones no topo do Apertura da Liga Nacional, com 44 pontos em 20 partidas. Vice-líder, o Municipal não passou de um empate sem gols com o Halcones e agora soma 39 pontos;

– Faltando duas rodadas para o fim da primeira fase, Comunicaciones, Municipal, Heredia (34 pontos), Xelajú (32) e Halcones (30) já estão classificados para as quartas de final. Malacateco (25), Suchitepéquez (25) e Marquense (20) completariam, hoje, as vagas para a fase final;

Honduras

– Emoção e polêmica na rodada decisiva da primeira fase do Apertura da Liga Nacional: o Real España contou com a ajuda da arbitragem, que validou um gol de Hilder Colón em clara posição de impedimento, e arrancou um empate com o Platense, ficando com a última vaga para a repescagem;

– Os Carboneros ainda tiveram de contar com o auxílio do imparável Olímpia, que venceu e eliminou o Vida, garantindo a liderança com 39 pontos em 18 partidas. O Victoria derrotou a Real Sociedad e também se classificou direto para as semifinais;

– (3º) Motagua x Real España (6º) e (4º) Marathón x Atletico Choloma (5º) serão os confrontos da repescagem;

Panamá

– No duelo direto por uma das vagas na semifinal do Apertura, o Plaza Amador obteve um empate fora de casa e eliminou o Chorrillo. Quem aproveitou a igualdade foi o Chepo, que também arrancou um empate contra o antigo líder Árabe Unido e ficou com a última vaga disponível;

– O Río Abajo superou o Alianza e reassumiu a liderança da Liga Panamenha. Nas semifinais, os duelos colocarão frente a frente (4º) Chepo x Río Abajo (1º) e (3º) Plaza Amador x Árabe Unido (2º).

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo