México

Prévia do Clausura – Parte I

No próximo dia 7 de janeiro, tem início o torneio Clausura 2011 do Campeonato Mexicano. É a competição que encerra a temporada 2010-11. Será a 64ª edição do torneio (a 29ª em sistema de Apertura/Clausura, implantado em 1996).

Sua fase regular vai até o dia 1º de maio, com 18 times divididos em três grupos de seis. Todos os clubes se enfrentam com o mando invertido em relação ao Apertura 2010. Após 17 rodadas, os dois primeiros colocados de cada grupo, mais os dois times com a melhor pontuação geral classificam-se para a fase final.

Com o nome de Liguilla, a fase que encerra o campeonato é disputada em partidas de ida e volta e se encerra no dia 22 de maio. Essa semana, iniciamos uma apresentação das 18 equipes que disputarão o Clausura. Pela ordem alfabética, segue a primeira parte, com os primeiros nove clubes, que incluem o atual campeão, os três clubes mais populares do país e alguns candidatos ao rebaixamento.

 

América

Nome do clube: Club de Fútbol América S.A. de C.V
Estádio: Azteca (105.000), na Cidade do México
Site oficial: www.clubamerica.com.mx
Quem chegou: Nicolás Olivera (M, Puebla) e Rodrigo Iñigo (Z, Querétaro)
Quem saiu: Isaác Acuña (M, Querétaro), Juan Carlos Silva (M, Necaxa), Luis Alonso Sandoval (M, Necaxa), Ismael Rodríguez (Z, Querétaro), Michel García (G, Orizaba), Leonín Pineda (G), Guillermo Cerda (Z, Puebla), Jesús Armando Sánchez (M, Veracruz), Arnhold Rivas (A, Querétaro) e Ricardo Rojas (Z, Veracruz)
Principal jogador: Matías Vuoso (A)
Fique de olho: Antonio López (A)
Técnico: Manuel Lapuente
Apertura 2010: 4º – (1º colocado do Grupo 2 – Eliminado nas semifinais da Liguilla)
Grupo no Clausura 2011: 2
Objetivo na temporada: título
Previsão Trivela: brigará pela classificação para a Liguilla

Apesar do discurso oficial da busca pelos dois títulos, a disputa da Libertadores e do Clausura pode complicar os planos dos Canarios. Mesmo sem privilegiar um ou outro torneio, os Azulcremas poderiam buscar com mais vontade a inédita competição continental, mas a fila de cinco anos sem conquistas nacionais pesa sobre o clube.

O time comandado por Lapuente é bom, contudo, praticamente não se reforçou, contratando apenas o meia uruguaio Nicolás Olivera e contando com o retorno de Iñigo. Além disso, colocou, de uma só vez, oito jogadores na lista de dispensa, o que mostra que a aposta deverá ser na base que conquistou o último Apertura mexicano sub-20. Parece pouco para retomar o caminho das vitórias.

 

Atlante

Nome do clube: Club de Fútbol Atlante S.A. de C.V.
Estádio: Olímpico Andrés Quintana Roo (20.000), em Cancún
Site oficial: www.atlantefc.com.mx
Quem chegou: Giancarlo Maldonado (A, Chivas-EUA), Francisco Fonseca (A, Tigres), Mario Ortiz (A, Puebla), Jorge Hernández (M, Veracruz), Clemente Ovalle (M), Ever Alfaro (A, Saprissa-COS) e Diego Ordaz (Z, Jaguares)
Quem saiu: Luis Ángel Landín (A, Querétaro), Ulises Mendívil (A, Necaxa), Juan de la Barrera (Z, San Luis), Johan Fano (A, Universitario-PER), Nicolás Torres (M) e Gabriel Rojo de la Vega (Z, San Luis)
Principal jogador: Giancarlo Maldonado (A)
Fique de olho: Christian Bermúdez (M)
Técnico: Miguel Herrera
Apertura 2010: 16º – (5º colocado do Grupo 2 – Eliminado na primeira fase)
Grupo no Clausura 2011: 2
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Previsão Trivela: escapa do rebaixamento, mas não briga pela Liguilla

Contando com uma ameaça de descenso não tão próxima, os Potros poderiam escapar pela fraca situação dos outros rivais na briga. Não fosse a janela de transferências. O ataque, já fraco, foi desmantelado. Com o agravante de dois jogadores rumarem para seus rivais diretos na disputa pela permanência na Primera Divisón.

Landín foi para o Querétaro, enquanto Mendívil, contratado junto ao Pachuca como esperança de gols, deixou o time sem marcar e foi para o Necaxa. Para piorar, perdeu Johan Fano, artilheiro do Apertura 2010, que voltou para o Universitario (PER). Apesar do retorno do ídolo Maldonado, o conjunto Azulgrana é, de longe, o mais fraco do grupo 2. Por isso, é bom desconfiar da aparente tranquilidade.

 

Atlas

Nome do clube: Club Social y Deportivo Atlas de Guadalajara
Estádio: Jalisco (66.713), em Guadalajara
Site oficial: www.atlas.com.mx
Quem chegou: Alfredo González Tahuilán (Z, Tigres), Carlo Costly (A, FC Vaslui-ROM), Lúcio Flávio (A, Botafogo-BRA), Elías Ribeiro (M, Atlético Goianiense-BRA), Wilman Conde (Z, Chicago Fire-EUA), Miguel Ángel Pinto (G, Universidad de Chile-CHI), Lucas Ayala (M, Tigres) e Daniel Arreola (A, Pachuca)
Quem saiu: Pedro Hernández (G, Necaxa), Jorge Achucarro (A, Newell's Old Boys-ARG), Michael Ortega (M), Fabricio Fuentes (Z) e Enrique Vera (M, LDU Quito-EQU)
Principal jogador: Alfredo Moreno (A)
Fique de olho: Néstor Vidrio (Z)
Técnico: Benjamín Galindo
Apertura 2010: 18º – (6º colocado do Grupo 2 – Eliminado na primeira fase)
Grupo no Clausura 2011: 2
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento e buscar vaga na Liguilla
Previsão Trivela: escapa do rebaixamento e pode brigar pela Liguilla

Lanterna do último torneio, os Zorros agora têm uma perigosa jornada para tentar se afastar de vez da ameaça. Para isso, oito novos atletas chegaram ao time Rojinegro. Apesar de um certo exagero midiático ao considerar Lúcio Flávio (que chegou do Botafogo) um “Pelé Branco”, o meia pode ser um interessante municiador de Alfredo Moreno, artilheiro do time no Apertura com 7 gols.

Também para essa função, chegam Elias (ex-Atlético-GO) e Lucas Ayala, do Tigres. Vindo do Deportivo Cali, o jovem Ortega não convenceu e deve sair. O paraguaio Vera foi outro que decepcionou e até já acertou com a LDU. Apesar da ameaça, o Atlas montou um time próximo dos médios e pode brigar pela Liguilla.

 

Chivas Guadalajara

Nome do clube: Club Deportivo Guadalajara S.A. de C.V.
Estádio: Omnilife (49.850), em Zapopan
Site oficial: www.chivascampeon.com
Quem chegou: Nenhum
Quem saiu: Sergio Ávila (M, Querétaro), Omar Bravo (A, Sporting Kansas City-EUA), Sergio Arias (G, Chivas-EUA) e Juan Antonio Ocampo (Z, Querétaro)
Principal jogador: Alberto Medina (M)
Fique de olho: Ulises Dávila (A)
Técnico: José Luis Real
Apertura 2010: 10º – (4º colocado do Grupo 1 – Eliminado na primeira fase)
Grupo no Clausura 2011: 1
Objetivo na temporada: título
Previsão Trivela: brigará pela classificação para a Liguilla

Sem disputar uma final (e conquistar o título) há quatro anos, o Rebaño Sagrado, maior vencedor nacional e dono da maior torcida no país azteca, começa a sofrer ligeira pressão pela falta de bons resultados.

A briga pelo título do Clausura, contudo, deverá ficar para outro campeonato. As Chivas não realizaram nenhuma contratação e ainda perderam Omar Bravo para a MLS, algo que preocupa em uma equipe que teve a segunda pior marca de gols marcados no Apertura.

 

Cruz Azul

Nome do clube: Club Deportivo, Social y Cultural Cruz Azul A.C.
Estádio: Azul (35.161), na Cidade do México
Site oficial: www.cruz-azul.com.mx
Quem chegou: Hugo Droguett (M, Morelia), Marcelo Palau (M, Nacional-URU) e Isaac Romo (A, Querétaro)
Quem saiu: Joel Huiqui (Z, Morelia) e Maximiliano Biancucchi (A)
Principal jogador: Gerardo Torrado (M)
Fique de olho: Germán Rodriguez (M)
Técnico: Enrique Meza
Apertura 2010: 1º – (1º colocado do Grupo 3 – Eliminado nas quartas-de-final da Liguilla)
Grupo no Clausura 2011: 3
Objetivo na temporada: título
Previsão Trivela: briga pelo título

O dia 20 de novembro de 2010 ficará marcado por um longo tempo na memória da torcida Cementera. A derrota em casa para um rival, depois de uma primeira fase irretocável, acabou com as expectativas de se livrar dos 13 anos de jejum na Liga nacional. Para reerguer o time, o presidente Guillermo Cuevas manteve tudo como está, na expectativa de superar o revés e deflagrar uma nova ótima campanha, dessa vez culminando com o título.

Foram poucas, mas cirúrgicas contratações. Do Morelia, veio o bom meia chileno Droguett, enquanto do Uruguai chegou Marcelo Palau (que teve boa passagem pelo Puebla no Bicentenário 2010). Além disso, os Azuis dispensaram o fraco Maxi Biancucchi, ex-Flamengo. Mas para apagar o vexame, talvez a melhor medida tenha sido a manutenção do bom time (principalmente do argentino Christian Giménez, artilheiro do time no Apertura com oito gols). Um time que agora precisa se mostrar vencedor.

 

Estudiantes

Nome do clube: Club Deportivo Estudiantes Tecos
Estádio: Tres de Marzo (25.000), em Zapopan
Site oficial: www.tecos.com.mx
Quem chegou: Israel López (M, Necaxa), Daniel Antúnez (Z), José Alfredo Castillo (A, Blooming-BOL), Eduardo Lillingston (A, Chivas-EUA), Juan Carlos García Rulfo (G, Puebla) e Juan Carlos García Álvarez (A, Puebla)
Quem saiu: Fredy Bareiro (A, Cerro Porteño-PAR)
Principal jogador: Mauro Cejas (M)
Fique de olho: Taufic Guarch (A)
Técnico: José Luis Sánchez Solá
Apertura 2010: 17º – (6º colocado do Grupo 1 – Eliminado na primeira fase)
Grupo no Clausura 2011: 1
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Previsão Trivela: não cai, mas deve ficar longe da Liguilla

Apesar da boa distância dos times mais preocupados com o descenso, o clube de Zapopan deve preocupar-se com a próxima temporada. Uma péssima campanha como a do Apertura (vice-lanterna) pode afundar de vez o Estudiantes.

O time fez algumas contratações sem brilho e a maior esperança recai no retorno do experiente atacante Eduardo Lillingston, com faro de gol aos 33 anos e boas passagens por Indios (na Liga de Ascenso) e Chivas USA. Apesar de contar com a defesa mais vazada do último Apertura (36 gols), os Tecos não trouxeram nenhuma reforço para a zaga. Sinal de que as coisas não devem melhorar muito.

 

Jaguares

Nome do clube: Club de Fútbol Jaguares de Chiapas S.A. de C.V.
Estádio: Víctor Manuel Reyna (31.500), em Tuxtla Gutiérrez
Site oficial: www.clubjaguares.com.mx
Quem chegou: Ricardo Esqueda (M, Indios), Julio Daniel Frias (A, Indios), Hiber Ruíz (M, Veracruz), Guillermo Rojas (M, Veracruz), Francisco Torres (M, Santos) e Damián Manso (M, Pachuca)
Quem saiu: Carlos Ochoa (A, Tigres), Danilinho (M, Tigres) e Diego Ordaz (Z, Atlante)
Principal jogador: Jackson Martínez (A)
Fique de olho: Antonio Salazar (A)
Técnico: Jose Guadalupe Cruz
Apertura 2010: 6º – (2º colocado do Grupo 3 – Eliminado nas quartas-de-final da Liguilla)
Grupo no Clausura 2011: 3
Objetivo na temporada: classificação para a Liguilla
Previsão Trivela: escapa do rebaixamento e pode brigar pela Liguilla

A boa campanha no Apertura 2010, com o retorno à Liguilla, fez a ameaça de descenso ficar mais longe, mas ela ainda preocupa. E o time ainda terá de dividir as atenções da Liga com a Libertadores. Para complicar, os Felinos perderam dois importantes jogadores para o Tigres: o experiente atacante Ochoa e o meia brasileiro Danilinho, referência no meio-campo da equipes nas últimas três temporadas.

Para se livrar de vez da ameaça e repetir o bom desempenho de 2010, o time Chiapaneco recorreu ao argentino Damián Manso, expurgado do Pachuca. Campeão da Libertadores pela LDU em 2007, o experiente meia pode ajudar na disputa simultânea da competição com a Liga Mexicana. Outra boa aposta é no promissor atacante Antonio Salazar e no meia Francisco Torres, ex-Santos.

 

Monterrey

Nome do clube: Club de Fútbol Monterrey
Estádio: Tecnológico (36.485), em Monterrey
Site oficial: www.rayados.com
Quem chegou: Nenhum
Quem saiu: Pierre Ibarra (Z, Necaxa) e Brayan Martínez (A, Puebla)
Principal jogador: Humberto Suazo (A)
Fique de olho: Hiram Mier (Z)
Técnico: Víctor Manuel Vucetich
Apertura 2010: 2º – (1º colocado do Grupo 1 – campeão vencendo a Liguilla)
Grupo no Clausura 2011: 1
Objetivo na temporada: título
Previsão Trivela: briga pelo título

O título do Apertura caiu no colo dos Rayados. Não que o time não tivesse qualidade, mas contou com a ajuda providencial de Cruz Azul e América, favoritos ao título, que caíram uma partida antes de enfrentar La Pandilla. O Monterrey não fez nenhuma contratação nesse meio de temporada e manteve a base, perdendo apenas o defensor Ibarra (que não disputou nenhum partida pelo time) e o promissor Martínez (que foi para o Puebla).

Bom mesmo foi a manutenção da base formado por Basanta, Ayoví, Neri Cardozo, De Nigris e Suazo, o mais perigoso quinteto ofensivo da Liga. Pelo título conquistado é um dos favoritos, mas deve enfrentar maior dificuldade dos grandes. Além disso, joga a Concacaf Champions League e terá que dividir bem suas prioridades neste fim de temporada.

 

Morelia

Nome do clube: Club Atlético Monarcas Morelia
Estádio: Morelos (41.500), em Morelia
Site oficial: www.fuerzamonarca.com
Quem chegou: Joel Huiqui (Z, Cruz Azul), Manuel Pérez (M, Toluca) e Joao Rojas (A, Emelec-EQU)
Quem saiu: Hugo Droguett (M, Cruz Azul) e Fernando Salazar (Z, Necaxa)
Principal jogador: Jaime Lozano (M)
Fique de olho: Joao Rojas (A)
Técnico: Tomás Boy
Apertura 2010: 12º – (4º colocado do Grupo 3 – Eliminado na primeira fase)
Grupo no Clausura 2011: 3
Objetivo na temporada: classificação para a Liguilla
Previsão Trivela: deve brigar pela vaga na Liguilla

Perder o chileno Droguett pode ter sido um golpe duro demais para o Monarcas. Referência no meio e municiador do ataque nos últimos dois anos, o ídolo monarquista rendeu ao time 3 milhões de dólares, mas pode se converter numa perda irreparável. Talvez ainda pior (para o esquema tático) tenha sido a saída do experiente zagueiro Salazar para o Necaxa, figura central de uma defesa segura e eficiente no Apertura.

Aos Canarios, restou apostar em Joel Huiqui, defensor que veio do Cruz Azul, e Manuel Pérez, que veio do Toluca. A promessa Joao Rojas, ex-Emelec, deve render frutos no futuro, mas ainda é pouco para um time que pretende reeditar o a boa fase do início da década, onde obteve o inédito (e único) título nacional.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo