México

Hora de comemorar – parte 1

Festa e mais festa. A América Latina vê surgir seus primeiros campeões de fim de ano. Alguns causam surpresa, como o das internacionais Copa Sul-Americana e Torneio dos Campeões da Uncaf. Outros já eram esperados, até pelo modo como os campeonatos vinham se desenvolvendo. Veja quem já comemora.

Hora de comemorar: zebra leva Sul-Americana
O título mais inesperado desta primeira leva. O Arsenal-ARG superou o América-MEX e protagonizou uma zebra tão grande quanto o título do Cienciano em 2003 pela mesma competição. Uma conquista justa se considerarmos que o avanço do time de Sarandi não foi fortuito: o Viaducto passou por San Lorenzo, Goiás, Chivas de Guadalajara e River Plate. Todas equipes mais tradicionais que os arsenalistas.

O jogo cínico desenvolvido por Gustavo Alfaro se impôs. Na primeira partida da decisão, na Cidade do México, o Arsenal se encolheu e viu o América proporcionar uma enorme pressão. A bola não saía da área argentina, mas os platinos tinham experiência para se manterem tranqüilos diante do assédio adversário. Quando as energias azulcremas foram acabando, o Viaducto matou a partida m falhas bisonhas da defesa mexicana. Resultado: Arsenal 3×2 no Azteca lotado.

O jogo de volta foi bem diferente. O futebol apresentado não foi dos melhores, mas as emoções não deixaram de comparecer. O Arsenal parecia nervoso e não conseguia se soltar. O América não estava muito melhor, mas a necessidade de vencer o fazia tomar a iniciativa. Os mexicanos fizeram 2 a 0 no meio do segundo tempo e estavam provisoriamente com o título.

Nos minutos finais, o Arsenal já não tinha mais a organização que o fez chegar ali. A pressão de estar perdendo o título em casa (no caso, em Avellaneda, porque o estádio de Sarandi não tem capacidade suficiente para a final da Copa Sul-Americana) se fazia sentir. O que não faltava era garra e determinação para buscar o gol. Assim, toscamente, Andrizzi foi tropeçando entre os zagueiros mexicanos de modo comovente e, quando a oportunidade se abriu, ele finalizou no canto esquerdo de Ochoa. Já eram 38 minutos do segundo tempo e não havia muito mais tempo para nova investida mexicana.

Não há elementos para dizer que o Arsenal é uma nova força no continente ou que luta pelo título da Libertadores 2007. O que fica é a marca de uma equipe bem montada, de futebol consistente, que conseguiu superar as limitações e ganhou uma competição em mata-mata. O que não é demérito, apenas uma constatação.

Hora de comemorar: nada de novo no Equador
Poucos títulos na América do Sul pareciam tão certos quanto o da LDU Quito no Campeonato Equatoriano. Com seis vitórias e dois empates em oito jogos, os blancos conquistaram o título com duas rodadas de antecipação. A certeza matemática veio na vitória por 2 a 0 no clássico quitenho contra o El Nacional.

Não há adversários à altura da LDU no Equador. O experiente técnico Edgardo Bauza deu consistência a um time que já é, no papel, o mais forte do país. O curioso 3-4-2-1 da LDU tem um meio-campo muito forte. Urrutia e Vera ficam na marcação pelo meio, enquanto Chango e Guerrón abrem os jogos nas alas. Mais à frente, Lara e Bolaños armam o jogo para o argentino Escalada, homem de referência na frente.

Para facilitar a tarefa blanca, a única equipe que teria condições de acomapnhar o ritmo soçobrou. O El Nacional também tem bons jogadores, mas o time não se ajustou sob o comando de Ever Almeida. O futebol foi frágil, irregular e falho nos momentos decisivos. A campanha dos puros criollos no hexagonal final é uma tragédia, com uma vitória e dois empates em oito jogos.

Para a Libertadores, a LDU Quito chega com boas parspectivas. Neste ano, não passou da fase de grupos porque o sorteio foi infeliz a ela, colocando diante de Caracas, River Plate e Colo-Colo. Em 2008, se o trabalho de Bauza for mantido e a distribuição das chaves for menos azarada, dá para pensar no campeão equatoriano passando de fase. Seria a única chance realista do país, porque não dá para esperar muito de Deportivo Azogues, Olmedo e Deportivo Cuenca, que brigam pelas duas vagas restantes.

Hora de comemorar: consistência premiada no Uruguai
Um gol a dois minutos do final da partida deu ao Defensor Sporting o título do Apertura uruguaio. Uma conquista que fechou muito bem o ano de uma equipe que fez grandes campanhas internacionais e mostrou que o futebol doméstico uruguaio ainda pode ter bons times.

A arma do Defensor é contar com um time equilibrado em todos os setores. A defesa justifica o nome do clube e é segura, mesmo depois da venda do zagueiro e capitão Ithurralde para o México. Na frente, Diego de Souza se destacou como estrela do campeonato armando as jogadas para a dupla Álvaro Navarro e Sebastián Fernández.

Desse modo, os violetas tiveram o terceiro melhor ataque e a melhor defesa da competição. Aliás, dos nove gols sofridos, cinco foram em um jogo, o cataclísmico River Plte 5×1 Defensor. À exceção desse jogo, o time de Parque Luis Franzini só teria sofrido quatro gols em 13 jogos. Um desempenho que seria superior ao do São Paulo no Brasileirão deste ano.

Hora de comemorar: hondurenhos mandam na Uncaf
Nada de Costa Rica em 2007. Dessa vez, o campeão do Torneio Interclubes da Uncaf (Unión Centroamericana de Fútbol, entidade que reúne os países da América Central) vem de Honduras. O Motagua venceu o Saprissa por 1 a 0 em Tegucigalpa e, com o 1 a 1 do jogo de ida, assegurou o título.

Mais que o título dos hondurenhos, esse resultado mostra o mau momento por que passa o futebol da Costa Rica. A nova geração não tem mostrado tanto potencial e as equipes já estão envelhecidas. Exemplo rápido: o Saprissa ainda depende muito da experiência do goleiro Porras e sua ausência na decisão deixou a equipe insegura. Ainda que o substituto Fausto González não possa ser responsabilizado pela derrota.

Esse cenário foi reforçado pelo resultado da disputa do terceiro lugar do Interclubes da Uncaf. A disputa, necessária porque a América Central tem três vagas na Copa dos Campeões da Concacaf, viu outra derrota costarriquenha. O Municipal da Guatemala perdeu em casa por 1 a 0 para a Alajuelense, mas ficou com o terceiro lugar devido à vitória por WO (3 a 0) na partida de ida, em Alajuela. Na realidade, os guatemaltecos venciam por 2 a 1 e o jogo foi interrompido por falta de segurança. O WO foi estabelecido pela Uncaf.

Somando isso à eliminação em casa da Costa Rica para o Panamá no Pré-Olímpico, fica a sensação de que os ticos precisam repensar o futuro. Caso contrário, podem perder o status de nação mais forte da América Central.

Baderna punida. Ou quase isso
O Chile não faz uma má campanha nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa. Perdeu da Argentina fora (normal), venceu o Peru em casa (normal), empatou com o Uruguai fora (bom resultado), perdeu do Paraguai em casa (muito ruim). Na média, dá para dizer que a seleção de Marcelo Bielsa ainda está no páreo, até porque tem uma tabela mais fácil nas próximas rodadas e pode se recolocar na luta pelas quatro vagas e meia do continente.

No entanto, não tem sido suficiente. Até porque o potencial chileno é maior. Na derrota para o Paraguai, ficou evidente que falta uma opção a Matías Fernández na armação. E aí, fica a pergunta: por que não Valdivia? A resposta é clara: o meia do Palmeiras está suspenso pela ANFP (federação chilena) por participar de uma baderna na véspera do jogo contra o Brasil na Copa América. Surge nova questão: se a ANFP determina a punição que prejudica ela própria (via seleção), por que não diminuir a pena?

E isso aconteceu. Contreras, Navia, Valdivia, Tello, Vargas e Ormeño haviam sido suspensos por 20 partidas da seleção chilena, contando amistosos e jogos oficiais. Nesta semana, a federação reduziu a punição pela metade. Como já foram cumpridas seis partidas, as restantes estão previstas para o início de 2008, permitindo que eles voltem na retomada das Eliminatórias, em junho de 2008. A única exceção é Ormeño, sobre o qual a decisão da ANFP não se pronuncia.

O abrandamento das penas não foi uma decisão surpreendente. Marcelo Bielsa já havia dito que gostaria de contar com os jogadores suspensos, sobretudo Valdivia. Além disso, os atletas haviam entrado, na última semana de novembro, com um processo contra a ANFP pedindo o fim da pena. O anúncio desta semana mostra que era uma situação insustentável do ponto de vista técnico e, talvez, jurídico.

Curiosamente, esta semana vê o início de outro caso parecido no Peru. Após o empate em 1 a 1 com o Brasil, Cláudio Pizarro, Farfán, Acasiete e Mendoza, quatro dos jogadores mais importantes da seleção peruana, foram comemorar. O quarteto exagerou na dose. Dias depois, o peru perdeu por 5 a 1 para o Equador e a crise se instalou.

Juvenal Silva, presidente da Comissão África do Sul-2010 da FPF (federação peruana), anunciou que os jogadores estão suspensos da rojiblanca por tempo indeterminado. A comissão de justiça da entidade julgaria o caso e estabeleceria o prazo correto. No entanto, a Justiça da FPF não se considera apta a julgar o caso e deixou um impasse no ar. É provável que nada ocorra, pois a seleção peruana já vem mal o suficiente com esses quatro jogadores e, sem eles, a chance de ir à Copa do Mundo são microscópicas.

CURTAS

PRÉ-OLÍMPICO
– O Panamá surpreendeu e eliminou a Costa Rica nas eliminatórias para o Pré-Olímpico da Concacaf. Os canaleros haviam perdido em casa, mas venceram fora por 1 a 0 e asseguraram a classificação nos pênaltis (4 a 3).

BOLÍVIA
– Um empate com o Jorge Wilstermann em Cochabamba custou caro ao San José. Esse resultado, somado à vitória do La Paz contra o Blooming, fez que paceños e orureños terminassem o hexagonal final empatados no primeiro lugar, com 18 pontos. O título será decidido em confrontos de desempate. Podem ser necessários até três jogos.

CHILE
– Resultados dos jogos de ida das quartas-de-final do Clausura: Cobresal 2×4 Universidad de Chile, O’Higgins 0x5 Colo-Colo, Cobreloa 2×2 Audax Italiano e Universidad Católica 5×3 Universidad de Concepción.

COLÔMBIA
– A duas rodadas do final dos quadrangulares semifinais, o La Equidad está bem perto da final. Com 10 pontos, lidera com folga o Quadrangular B. O segundo colocado é o Tolima, que tem 5 e precisa de um milagre para tirar dos bogotanos a vaga na final. No Quadrangular A, o Atlético Nacional tem 9 pontos, seguido por América de Cáli e Once Caldas, com 6.

EQUADOR
– O técnico uruguaio Ever Almeida se demitiu do El Nacional a duas rodadas do fim do hexagonal final. Especula-se que ele esteja acertando com o Barcelona de Guaiaquil. Seu substituto no puros criollos será o argentino Jorge Célico.

MÉXICO
– Atlante e Pumas de la Unam decidem em Cancun o título do Apertura mexicano neste domingo. O jogo de ida, na Cidade do México, ficou no 0 a 0. Para chegarem a essa inusitada final, o Atlante superou as Chivas de Guadalajara nos pênaltis, enquanto que os Pumas superaram o Santos Laguna nas semifinais.

– O bom meia Fernando Arce, da seleção mexicana, foi vendido do Morelia para o Santos Laguna.

PARAGUAI
– Neste fim-de-semana, Sportivo Luqueño e Libertad fazem o primeiro jogo da final do Campeonato Paraguaio.

– O Trinidense foi rebaixado. O 12 de Octubre disputará a repescagem contra o General Díaz.

PERU
– O Alianza Lima fez 3 a 2 no Coronel Bolognesi e embolou a reta final do Clausura. A duas rodadas do final, os sete primeiros colocados – Coronel Bolognesi, Cienciano, Alianza Lima, Universitário, Sport Ancash, Sporting Cristal e Deportivo San Martín – estão separados por cinco pontos.

URUGUAI
– Estão para começar a ampliação do complexo “Uruguay Celeste”, centro de treinamento da federação uruguaia. As obras são bancadas pelo programa Goal, da Fifa.

VENEZUELA
– O Caracas ganhou, na Justiça, os três pontos da partida contra o Monagas. O motivo foi que o time de Maturín usou Arroyo como atleta sub-19 (obrigatoriedade pelo regulamento), mas o jogador tem 22 anos. O jogo havia terminado 1 a 0 para o Monagas.

– Com a vitória, o Caracas foi a 33 pontos, três a frente do Deportivo Anzoátegui. Se vencer o Guaros de Lara neste fim-de-semana, será campeão do Apertura com uma rodada de antecipação.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo