México

Guias: Pré-Libertadores e Mexicano – parte 2

A temporada nem começou direito e já tem jogo importante pela frente. Com cinco partidas entre as próximas terça e quinta, começa a Copa Libertadores da América 2008. São confrontos da chamada Pré-Libertadores, que oficialmente é a primeira fase da principal competição do futebol sul-americano (mais que a Copa América).

Como tem equipe que ainda nem estreou oficialmente no ano, é algo difícil projetar que tipo de futebol apresentarão. Algumas podem ser mais fracas, mas estarem melhores preparadas nesse mês e, por isso, saírem em vantagem. De qualquer modo, segue uma rápida apresentação dos seis confrontos dessa fase.

ARSENAL X MINEROS DE GUAYANA
O Arsenal manteve a base do título da Copa Sul-Americana. Ainda que haja especulações a respeito das saídas do goleiro Cuenca, o zagueiro Matellán, o meia Andrizzi e o atacante Calderón, eles continuam no elenco celeste y rojo. Ainda que o time não tenha jogado partidas oficiais nesse ano, já deve ser o suficiente para passar pelo Mineros. A equipe de Ciudad Guayana está na Libertadores pela boa fase na temporada 2006/7, mas caiu muito desde o segundo semestre do ano passado. Foi 8º no Apertura e, com o time titular, estreou com derrota de 3 a 0 para o Atlético El Vigía no Clausura 2008. Salvo enorme surpresa, as chances venezuelanas nesse confronto são ínfimas.

CRUZEIRO X CERRO PORTEÑO
Certamente o jogo mais interessante dessa fase, até pela tradição das duas equipes. O Cerro Porteño se reforçou bem para 2008 e tem um time experiente e relativamente talentoso. Os destaques são o goleiro Diego Barreto (medalha de prata olímpica em 2004), o experiente volante Brítez, o meia Fretes (que retornou do México) e o atacante César “El Tigre” Ramírez, empretado pelo Flamengo. Se conseguir segurar o empate no Mineirão, não seria uma surpresa se o Ciclón assegurasse a classificação em casa. Ainda assim, o favorito é o Cruzeiro. Em 2007, os mineiros mostraram um time jovem e talentoso. Agora, o clube acrescentou experiência com as chegadas de Espinoza, Fabrício e o técnico Adílson Batista.

ATLAS X LA PAZ
De ânimo novo depois de um segundo semestre melancólico em 2007, o Atlas surge como favorito nessa etapa da competição. O técnico argentino Miguel Ángel Brindisi recuperou o futebol da equipe, que teve bons reforços como o goleiro uruguaio Bava (ex-Libertad) e volante Achucarro (ex-Cerro Porteño). Ainda é o mais fraco dos mexicanos, mas tem capacidade de passar sem problemas pelo frágil La Paz. O time boliviano é fraco e monta o elenco com o que a situação financeira delicada do clube permite. Não tem investimentos pesados para a temporada ou torcida que empurre. Assim, depende demais de um bom resultado na altitude de La Paz para se classificar.

OLMEDO X LANÚS
O Olmedo perdeu Bagüí para o Barcelona de Guaiaquil e tem Luis Caicedo se recuperando de grave contusão. As principais contratações foram o goleiro Villafuerte e o defensor Guerrón. Muito pouco para encarar o atual campeão argentino. O Lanús não é um timaço, mas manteve jogadores importantes do títulod o Apertura 2007, como o goleiro Bossio, o zagueiro Graieb, o meia Valeri e o atacante Sand.

CIENCIANO X MONTEVIDEO WANDERERS
Um jogo cheio de incógnitas. O Cienciano pode ser considerado favorito pela experiência internacional e o fato de ter a altitude de Cuzco a seu favor. Mas o time é fraco, com as principais estrelas sendo o goleiro Flores e os meias Ccahuantico e Bazalar. Das caras novas, a mais chamativa é o brasileiro Manique, que começou no Internacional e passou pelo Sport antes de ir à Europa (defendeu München 1860 e Partizan Belgrado). O Montevideo Wanderers tem um talento em potencial maior, mas sofre pela juventude do elenco. Por isso, o clbue foi buscar na Colômbia dois reforços experiente: o meia Fadeuille, ex-Defensor Sporting, Peñarol e Millonarios, e o atacante Manuel Abreu, ex-Defensor Sporting, Unión Maracaibo e Independiente Santa Fe.

BOYACÁ CHICO X AUDAX ITALIANO
O Colo-Colo é tetracampeão nacional, mas nenhum clube chileno empolgou tanto no segundo semestre de 2007 quanto o Audax Italiano. O time jovem que já havia sido uma feliz surpresa na Libertadores do ano passado (empatou as duas partidas com o São Paulo) ganhou corpo e passou a jogar um futebol confiante e ofensivo. Isso chamou a atenção de clubes mais fortes do exterior e o desmanche começou. Franco di Santo assinou com o Chelsea, Scotti foi ao Newell’s Old Boys e Peric acertou com o Genclerbirligi. Villanueva e Rieloff ficaram, mas estão descontentes porque também queriam sair. Fica difícil imaginar qual o clima da equipe para o início da temporada, mas é favorito diante do Boyacá Chicó. O time colombiano não poderá nem jogar em casa, pois o estádio de Tunja não tem condições de receber a Libertadores e, por isso, o clube mandará os jogos em Bogotá. A altitude ajuda, mas os objetivos são discretos. Como o duelo não terá início na próxima semana, há chance de os clubes mudarem um pouco seus perfis até lá.

Futebol vai à montanha
É oficial: haverá jogos na altitude pela Copa Libertadores da América. Na última semana, uma reunião da Conmebol aprovou por unanimidade a proposta da confederação de não estender para competições de clubes a limitação da Fifa à altitude. No caso, a federação internacional determinou que os times deverão ter tempo de adaptação mínimo de 3 dias para jogos entre 2.500 e 2.750 m de altitude, de uma semana para partidas entre 2.750 e 3.000 m e duas semanas para duelos acima de 3.000 m.

A determinação da Fifa diz respeito a “jogos internacionais”, o que, em inglês, pode ter a interpretação de jogos entre seleções. A Conmebol foi por essa linha. Nas Eliminatórias, que são organizadas pela Fifa, cidades como La Paz, Cuzco, Quito e Bogotá precisarão atender às exigências impostas para sediar alguma partida. Na Libertadores, não há restrição.

Importante mencionar que a CBF, representada por Marco Polo Del Nero (presidente da federação paulista), votou a favor dos jogos na altitude para o torneio interclubes. O Flamengo, principal defensor do fim dos jogos na montanha, perdeu a briga política e corre o risco de ter de subir os Andes para enfrentar o Cienciano, caso o clube peruano passe pelo Montevideo Wanderers, na fase de grupos.

Em 2008, a questão da altitude é particularmente delicada. Nunca a Bolívia teve representantes tão altos na média. Para se ter uma idéia, La Paz é a cidade mais baixa entre as bolivianas que receberão o torneio (está a 3,6 mil m, menos que os 3,8 mil m de Oruro e 3,9 mil m de Potosi). O peru tem o Cienciano a 3,4 mil m, o Equador tem três equipes andinas e Colômbia e México, uma cada (Boyacá Chicó e América).

Clausura Mexicano – parte 2

Confira a segunda parte da apresentações dos participantes do Torneo Clausura do Campeonato Mexicano. Para ver a primeira parte, clique aqui.

MONTERREY

Nome: Club de Fútbol Monterrey (Monterrey)
Estádio: Tecnológico (38.000 pessoas)
Principal jogador: Jared Borgetti
Fique de olho: Robert
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegaram: Robert (Al-Ittihad/ARS), José Joel González (Atlante), Ricardo La Volpe (técnico), Jared Borgetti (Cruz Azul) e Edgar Solano (Morelia)
Saíram: Isaac Mizrahi (técnico), Ignácio Ithurralde (Olimpo/ARG), Alex Fernandes, Irving Rubirosa e Ernesto Serrato (Tijuana)
Técnico: Ricardo La Volpe
Objetivo no Clausura: classificar para o mata-mata

O Apertura foi uma tragédia e o Monterrey terá dificuldades para recuperar a confiança. A campanha na Interliga foi discreta e mostrou que o time precisa melhorar muito para ser tão grande quanto cobra sua torcida e direção. O clube concentrou as contratações no ataque, com Borgetti e o brasileiro Robert (ex-Botafogo-SP, São Caetano e Betis) se juntando ao chileno Humberto Suazo e o mexicano Carlos Ochoa. Sinal de que há um certo desespero da diretoria e a campanha de mercado não foi das mais equilibradas. Ricardo La Volpe terá muito trabalho para recuperar o moral da equipe, penúltima colocada no Apertura.

SANTOS LAGUNA

Nome: Club Santos Laguna
Estádio: Corona (18.500 pessoas)
Principal jogador: Daniel Ludueña
Fique de olho: Fernando Arce
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegou: Fernando Arce (Morelia)
Saíram: Sonny Guadarrama (Morelia) e Mario García (Morelia)
Técnico: Daniel Guzmán
Objetivo no Clausura: título

Depois da excelente campanha no Apertura, não havia muito o que mexer no Santos Laguna. Ainda assim, o investimento foi muito bem feito. O único reforço a chegar foi Fernando Arce, um dos melhores jogadores mexicanos da atualidade. Com isso, a base de Oswaldo Sánchez, Ludueña e Christian Benítez fica ainda mais sólida. Sonhar com o título não é exagero.

VERACRUZ

Nome: Club Deportivo Tiburones Rojos de Veracruz
Estádio: Luis “Pirata” Fuente (30.000 pessoas)
Principal jogador: Aldo de Nigris
Fique de olho: Santiago Raymonda
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegaram: Rodrigo Ruiz (Tecos), Alejandro Corona (Jaguares), Ariel González (San Lus), Santiago Raymonda (Arsenal/ARG), Cláudio Graf (Sakaryaspor/ARG), Salustiano Candía (Olimpo/ARG) e Raúl Salinas (Necaxa)
Saíram: Juan de la Cruz (Necaxa), Alonso Sandoval (Tecos), Héctor Mancilla, Marco Palacios (Pumas), Jaime Ruiz (Morelia) e Irênio (Atlético-PR/BRA)
Técnico: Antonio Mohamed
Objetivo no Clausura: escapar do rebaixamento

Nem o Puebla está tão ameaçado pelo rebaixamento. O Veracruz já fez uma campanha muito fraca no Apertura e precisa de muitos pontos para escapar do rebaixamento ao final do Clausura. O pior é que os investimentos não foram dos melhores e a equipe continua frágil. A esperança é contar com a força da torcida quando joga em casa e uma eventual série de bons resultados que reverta o clima melancólico no clube do Golfo do México.

GRUPO 3

CHIVAS DE GUADALAJARA

Nome: Club Deportivo Guadalajara (Guadalajara)
Estádio: Jalisco (56.713 pessoas)
Principal jogador: Ramón Morales
Fique de olho: Omar Arellano
Competição continental que disputa: Copa Libertadores da América
Não houve movimentação de mercado
Técnico: Efraín Flores
Objetivo no Clausura: título

A falta de movimentação de mercado não engana: as Chivas são fortes e ambicionam o título. O elenco 100% nativo é forte e tem figuras importantes no futebol local, como o ascendente Míchel, e os experientes Omar Bravo, Ramón Morales e Alberto Medina. O problema maior é lidar com a agenda lotada, sobretudo no mata-mata, quando o Clausura tem dois jogos por semana justo quando a Libertadores chega nos momentos decisivos.

CRUZ AZUL

Nome: Club Deportivo Social y Cultural Cruz Azul (Cidade do México)
Estádio: Azul (35.907 pessoas)
Principal jogador: Gerardo Torrado
Fique de olho: César Villaluz
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegaram: Jaime Lozano (Tigres), Nicolás Vigneri (Peñarol/URU), José Luis López (Necaxa) e Pablo Zeballos (Sol de América/PAR)
Saíram: César Delgado (Lyon/FRA), Jared Borgetti (Monterrey), Richard Núñez (América), Gregório Torres (Atlas) e Israel López (Toluca)
Técnico: Sergio Markarián
Objetivo no Clausura: título

Supostamente, o Cruz Azul entra como favorito. No entanto, o time está mais fraco que em campanhas recentes. O elenco ainda tem figuras de destaque, como o goleiro Óscar Pérez, o meia Torrado e o atacante Sabah. Entre os reforços, os mais interessantes são Vigneri, revelação do Peñarol, e Lozano. Ainda há a jovem promessa Villaluz. Se todos eles jogarem o que podem, a Máquina Cementera pode encarar qualquer time do país. Se ocorrer o mesmo que nos últimos anos (e as perdas de Borgetti, Richard Núñez e César Delgado preocupam nesse aspecto), haverá uma queda de rendimento nos momentos decisivos. E, mais uma vez, o Cruz Azul ficaria aquém de seu potencial.

MORELIA

Nome: Club Atlético Monarcas Morelia (Morelia)
Estádio: José María Morelos y Pavón (41.056 pessoas)
Principal jogador: Aldo Leao Ramírez
Fique de olho: Adrián Aldrete
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegaram: Jaime Duran (Atlas), Sonny Guadarrama (Santos Laguna), Mario García (Santos Laguna), Aldo Leao Ramírez (Atlético Nacional/COL), Jaime Ruiz (Santos Laguna) e Luis Orozco (Cruz Azul)
Saíram: Fernando Arce (Santos Laguna), Diego Martinez (Tigres), Hugo Sánchez (Tigres), Marcinho, Wanderson, Leyva (Tijuana) e Sebastián Fernández
Técnico: David Patiño
Objetivo no Clausura: ficar no pelotão intermediário

O Morelia foi quadrifinalista no Apertura, mas esse resultado deve ser encarado como surpresa. O time é discreto e foi montado sem grandes gastos. Tanto que o principal nome do elenco é do colombiano Aldo Leao Ramírez, coadjuvado pelo jovem Aldrete (campeão mundial sub-17 em 2005). Considerando que Fernando Arce, ídolo dos monarcas, saiu, a possibilidade mais realista é de ver o time no meio da tabela.

NECAXA

Nome: Club Necaxa (Aguascalientes)
Estádio: Victoria (25.000 pessoas)
Principal jogador: Walter Gaitán
Fique de olho: Hugo Rodallega
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegaram: Omar Ortíz (Jaguares), Juan de la Cruz (Veracruz), Walter Gaitán (Tigres) e Fernando López (Atlante)
Saíram: Rodolfo Espinoza (Necaxa), José Luis López (Cruz Azul) e Fernando Morales (Pumas)
Técnico: Salvador Reyes
Objetivo no Clausura: ficar no pelotão intermediário

Uma equipe que já não fez uma grande campanha no Apertura e dificilmente fará muito melhor no Clausura. Como não há a Libertadores no caminho (o que ocorreu em 2007), o clube não investiu em grandes reforços no meio da temporada. A exceção é Gaitán, que pode proporcionar alguns momentos de brilho ao time hidrocálido.

SAN LUIS

Nome: San Luis Fútbol Club
Estádio: Alfonso Lastras Ramírez (35.000 pessoas)
Principal jogador: Tressor Moreno
Fique de olho: Alfredo Moreno
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegou: ninguém
Saíram: Ariel González (Veracruz), Adrián Zermeño, Leonel Olmedo (Sócio Águila) e Carlos Sánchez (Sócio Águila)
Técnico: Raúl Arias
Objetivo no Clausura: classificar para o mata-mata

O San Luis aparece como possível surpresa. A dupla Droguett e Tresor Moreno tem jogado muito bem junto, com o chileno dando segurança e levando a bola ao colombiano,q eu fica responsável pela armação. Na frente, Alfredo Moreno foi o artilheiro disparado do Apertura e, se continuar na fase iluminada, os tuneros têm boas chances de chegar ao mata-mata.

TIGRES DE LA UANL

Nome: Club Tigres de la Universidad Autónoma de Nuevo Leon
Estádio: Universitário (45.000 pessoas)
Principal jogador: Blas Pérez
Fique de olho: Hugo Sánchez
Competição continental que disputa: nenhuma
Chegaram: Blas Pérez (Hércules/ESP), Diego Martínez (Morelia), Hugo Sánchez (Morelia), Gastón Fernández (San Lorenzo/ARG), Lucas Lobos (Cádiz/ESP), Carlos Esquivel (Toluca) e Adrián Zermeño (San Luis)
Saíram: Walter Gaitán (Necaxa), Juan Pablo García (Jaguares), Sebastián Abreu (River Plate/ARG), Jaime Lozano (Cruz Azul) e Julio César Cáceres (Boca Juniors/ARG)
Técnico: Américo Gallego
Objetivo no Clausura: classificar para o mata-mata

Cenário semelhante ao do rivalíssimo Monterrey. Muitos investimentos, resultados pífios e excesso de cobrança de torcida, dirigentes e imprensa. De qualquer modo, o felinos têm perspectivas interessantes. A contratação do atacante Blas Pérez foi a mais bombástica da pré-temporada (aliás, porque nenhum brasileiro tentou buscá-lo no Hércules?). O panamenho tem condições de substituir (e com vantagem) o uruguaio “El Loco” Abreu e formar uma dupla bastante perigosa com Kikín Fonseca. Com Esquivel, Hugo Sánchez e Cubero no meio-campo, há capacidade técnica para o Tigres fazer uma boa campanha. Isso se não subumbir, de novo, às pressões.

CURTAS

BOLÍVIA
– Clássicos locais na abertura da Copa Aerosur: Bolívar 1×1 The Strongest, Oriente Petrolero 4×0 Blooming e Jorge Wilstermann 3×0 Aurora.

CHILE
– Neste fim-de-semana começa o Apertura. Destaques da primeira rodada: o tetracampeão Colo-Colo pega o Melipilla e um dos “clássicos de colônias” entre Unión Española e Audax Italiano.

COLÔMBIA
– Resultados da Copa Cafam, torneio de pré-temporada na Colômbia: Millonarios 4×1 Huracán (ARG) e América de Cali 1×1 Independiente Santa Fe (4×3 América nos pênaltis).

EQUADOR
– Na média, os times equatorianos se deram mal nos jogos de pré-temporada contra os colombianos: LDU Quito 0x1 Atlético Nacional, Barcelona 1×3 Independiente Medellín, El Nacional 1×1 Independiente Medellín, Deportivo Quito 1×1 Millonarios e Emelec 3×1 Independiente Medellín.

MÉXICO
– Veja a seleção do site Médio Tiempo para a 1ª rodada do Clausura: Ochoa (América); Ponce (Toluca), Romero (Morelia), Dueñas (Toluca) e Ramón Morales (Chivas de Guadalajara); Carrasco (Morelia), Andrade (Cruz Azul), Ávila (Chivas) e Damián Álvarez (Pachuca); Cacho (Pachuca) e Maldonado (Atlante).

– A partir dessa semana, Latinoamérica sempre vai trazer a seleção da rodada do Campeonato Mexicano. Que tal?

-Hugo Sánchez divulgou a lista de convocados para o Pré-Olímpico da Concacaf. Veja a relação: goleiros: Guillermo Ochoa (América), Jonathan Orozco (Monterrey) e Jorge Villalpando (Puebla); defensores: Severo Mesa (Monterrey), Daniel Guerrero (Atlante), Julio César Domínguez (Cruz Azul), Rodrigo Iñigo (América), Omar Hernández (Necaxa), Francisco Gamboa (Toluca), Adrian Aldrete (Morelia) e Efraín Velarde (Pumas e la Unam); meio-campistas: Pablo Barreira (Pumas), Patrício Araujo (Chivas de Guadalajara), Alan Zamora (Atlante), Gerardo Rodríguez (Pachuca), Juan Carlos Silva (América), Edgar Castillo (Santos Laguna), César Villaluz (Cruz Azul) e Sergio Ávila (Chivas); atacantes: Enrique Esqueda (América), Ismael Valadez (Toluca), Edgar Andrade (Cruz Azul), Santiago Fernández (Toluca) e Luis Ángel Landín (Morelia).

PARAGUAI
– Nelson Cuevas estava sem clube e mantinha a forma no Libertad. Sem receber convites, o atacante aproveitou a proximidade e acertou com os gumarelos para a Libertadores.

PERU
– O Sporting Cristal apresentou sua equipe para 2008. O clube investiu para se recuperar da crise de 2007. As estrelas são o veterano Palácios, o garoto Ismodes e o brasileiro Wesley Brasília (ex-América-RN, Vila Nova-GO, Londrina, Volta Redonda e Paulista). No primeiro amistoso de pré-temporada, o futebol ruim de antes e derrota para o José Galvéz.

URUGUAI
– Resultados da primeira rodada da Copa Ricard: Defensor Sporting 2×0 Olimpia (PAR) e Peñarol 5×2 Vaduz (LIE/SUI).

VENEZUELA
– Começou o Clausura. O principal destaque da primeira rodada foi a vitória do Unión Maracaibo por 1 a 0 sobre o Deportivo Anzoátegui.

– A federação venezuelana decidiu que o Atlético El Vigía poderá continuar na Copa Venezuela. Assim, decidirá com o Unión Maracaibo um lugar nas semifinais. O Zamora acusava o El Vigía de ter apresentado documentos adulterados na inscrição do time na competição.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo