México

Força charrúa nas quartas

 “Só temos 3,5 milhões de habitantes e há muito tempo que buscávamos isso (vaga nas quartas de final). Agora está acontecendo. O objetivo é dar alegria ao povo. As pessoas no Uruguai têm suas expectativas e os seus sonhos, e nós devíamos isso a eles”.

A frase é do técnico da seleção uruguaia, Oscar Tabárez, e é muito significativa ao momento vivido pela equipe charrúa. Aqui no Brasil, o povo é um pouco mal acostumado com o futebol. Se a Seleção não vence jogando bonito, não vale, e assim pensam que tem que ser para todos.

Na imprensa mesmo existem comentaristas aos montes “exigindo” a expulsão de equipes que só atuam na defesa ou que focam seu jogo na marcação, por exemplo. Os países não são iguais, a maneira como vêem o futebol é muito diferente de um lugar para o outro, mas no fundo todos querem a mesma coisa: a vitória.

O Uruguai retorna às quartas de final de uma Copa do Mundo 40 anos depois da campanha semifinalista do Mundial de 1970. Um feito histórico para esse país com pouco mais de três milhões de habitantes, que viveu nos últimos anos uma situação caótica com seu futebol. A seleção há tempos não conquistava bons resultados, os grandes locais, Peñarol e Nacional, perderam a força na América do Sul, apesar de campanhas recentes razoáveis do último, e o Campeonato Uruguaio sofre com o baixo nível técnico.

Por isso o feito do Uruguai na África do Sul é ainda mais louvável. E pode aumentar muito mais, já que a equipe agora enfrenta Gana nas quartas de final.

Contra os africanos, a expectativa é de um jogo duro, com muita marcação. Gana não costuma sair para o jogo e tem na força física de seus jogadores a principal característica. O time marca muito forte e sai para os contra-ataques. Os uruguaios, por sua vez, também formam uma equipe muito determinada, com a tradicional raça charrúa. Tem, no entanto, mais jogadores habilidosos e talentosos – casos de Diego Forlán, que faz um Mundial excelente, com muita tranqüilidade e usando e abusando de sua experiência, além dos ótimos Luis Suárez e Edinson Cavani.

Apesar do apoio das arquibancadas que Gana receberá, o Uruguai, no estádio Ellis Park, em Joanesburgo, na próxima sexta-feira, é o favorito. E está pronto para reescrever a história.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo