México

Felinos rugem mais alto

No 118º encontro entre América e Pumas, os felinos alcançaram sua 30ª vitória no Clásico Capitalino, ampliaram a série de vitórias no torneio para três partidas e reassumiram a liderança do Apertura, afundando de vez o rival na disputa por uma vaga nos playoffs.

O duelo no Olímpico foi uma amostra da atual situação de ambos os clubes. Enquanto as águias partiram para cima desde o início, pressionando e desperdiçando boas oportunidades, a UNAM esperou de forma paciente em seu campo de defesa e, em uma de suas poucas chances na partida, selou o destino de ambos no jogo.

O primeiro tempo foi marcado pelo amplo domínio do conjunto de Coapa, que teve maior posse de bola e criou grandes oportunidades, mas não as transformou em gols. Rojas, Rosinei, Montenegro e Reyna jogaram fora as chances criadas pelos millonetas.

E, para piorar, os universitários acordaram na segunda etapa, equilibraram o duelo e chegaram ao gol do triunfo aos 10 minutos, com Fuentes desviando com categoria um chute de rebote de Palencia e pegando Navarrete no contrapé. Após o gol, os azulcremas continuaram melhores, apesar de mais desguarnecido na defesa, dando boas chances de contragolpes aos rivais ao se lançar ao ataque.

Foi a quinta partida seguida sem vitória do América, incluindo-se aí quatro derrotas, que distanciam o time da briga pela classificação. Nem a queda de um técnico e de um vice-presidente parece dar resultado no conturbado ambiente de um time forte, mas ineficiente. Em uma de suas melhores exibições no campeonato, o time saiu novamente derrotado.

Já os de Pedregal parecem ter percebido que, com um elenco enxuto e sem grandes estrelas, a aposta deve ser no entrosamento do grupo, dominando adversários menores e optando pelos contragolpes contra equipes tecnicamente mais poderosas e reforçadas. A experiência de nomes como Palencia, Verón e os irmãos Palacios vem dando resultado. Resta saber se será suficiente também durante a Liguilla.

Surpreendente Jaguares

Quem também segue em boa toada no Apertura é o Jaguares. Apesar de desperdiçar uma boa oportunidade de somar mais três pontos (já que enfrentou o lanterna Atlas em casa), a igualdade por um gol alçou os chiapanecos aos 19 pontos, mantendo a vice-liderança. Se não foi suficiente para manter o time na ponta, ao menos aumentou para nove partidas a invencibilidade (incluindo cinco vitórias).

Para um time cotado para brigar no início do torneio contra o descenso (e ainda corre algum risco), os da selva surpreendem pela ótima campanha e caminham firme para assegurar seu retorno à Liguilla após amargar a lanterna no último Clausura.

O time comandado por José Guadalupe Cruz deve boa parte de seu sucesso a sua linha ofensiva formada pelo trio colombiano Luis Gabriel Rey, Jackson Martínez e Franco Arizala, autores de 70% dos gols marcados pelos da selva até agora na competição.

Ainda que o objetivo esteja longe de ser repetir o mágico desempenho do Clausura de 2004, quando, comandado pelo artilheiro paraguaio Salvador Cabañas, o time surpreendeu o país ao conquistar a Superliderança, os felinos voltam a apostar em sul-americanos para manter-se na primeira divisão e, principalmente, consolidar-se com uma força no futebol azteca, pondo fim a gangorra de campanhas que marcam a estadia do clube na elite.

CURTAS

México

– Outros resultados: Morelia 0x2 Estudiantes, Monterrey 0x0 Toluca, Santos 1×0 Cruz Azul, Guadalajara 0x1 Querétaro, San Luis 2×1 Puebla, Atlante 0x1 Pachuca e Tijuana 1×1 Tigres;

– O La Piedad manteve a liderança do Apertura da Liga de Ascenso, com 19 pontos, ao empatar em casa sem gols com o León. Em segundo, com 17, aparece o Necaxa, que venceu o Irapuato por 1×0 fora de casa. O Veracruz venceu o Mérida por 3×0, em casa, e já é o sétimo, com 14 pontos;

Costa Rica

– A Alajuelense venceu pelo placar mínimo o Belen Siglo XX, em casa, e isolou-se na ponta do Campeonato de Invierno 2011, com 26 pontos, dois acima do Herediano, que empatou sem gols com o Santos, em Guápiles. O Saprissa bateu o Limón, fora, por 2×0, e já soma 19, na terceira posição, com um jogo a menos que os rivais;

El Salvador

– O FAS foi derrotado pelo Luis Ángel Firpo por 3×1, fora, mas manteve a liderança do Apertura com 18 pontos em 10 partidas. Com 17, aparecem Isidro Metapán, que venceu o Alianza em casa por 1×0 (e tem apenas 8 jogos), e o próprio Alianza (10 jogos);

Guatemala

– Aproveitando-se de um empate sem gols entre Peñarol La Mensilla e Marquense, em Huehuetenango, o Suchitepéquez (25 pontos) voltou ao topo do Apertura da Liga Nacional ao bater o Petapa por 2×1, em casa. Marquense (24) e Comunicaciones (22), que derrotou o Heredia por 3×1, em casa, completam o pódio;

Honduras

– Na Copa Salva Vida o Marathón manteve a liderança ao empatar por um gol com o Deportivo Savio, fora, e somar 20 pontos em dez partidas. Os Verdolagas foram beneficiados pelo tropeço do vice-líder Olimpia que perdeu fora para o Atlético Choloma pelo placar mínimo e tem 17 pontos em oito jogos;

Panamá

– Líder da Copa Digicel Apertura da Liga Panamenha de Futebol, o Sporting San Miguelito foi derrotado pelo Árabe Unido por 2×1, fora de casa, e estacionou nos 23 pontos em 12 jogos. Quem aproveitou a bobeada foi o Tauro, que superou o Alianza pelo mesmo placar, só que em casa, e está somente um ponto atrás, mas com 11 partidas.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo