México

De lanterna a ponteiro

O roteiro do La Equidad no Apertura colombiano foi dentro do esperado. Um clube pequeno, sem torcida, vindo da segunda divisão, com elenco barato e técnico ainda jovem dificilmente seria protagonista. E não foi. O terceiro time de Bogotá, mantido pela Equidad Seguros (seguradora), ficou em último em sua estréia na elite cafetera, com 13 pontos em 18 jogos. A expectativa era de ver algo semelhante no Finalización (equivalente ao Clausura) e um retorno natural à Segundona. Mas, aí, parece que tudo mudou.

Os “seguradores” são a grande sensação do Finalización. Em sete rodadas, a equipe já fez 17 pontos e é líder isolada. Com cinco vitórias e dois empates, é o único invicto do torneio do segundo semestre. E tudo isso foi construído com um calendário hostil, que tee Atlético Nacional (campeão do Apertura) e Independiente Santa Fe fora de casa e o Atlético Huila (vice do Apertura).

Não há uma grande história que explique o repentino crescimento de rendimento do La Equidad. Na realidade, o mais próximo da verdade é dizer que a diretoria teve paciência para deixar o projeto do início do ano se consolidar, contratou jogadores que fizeram uma diferença acima do esperado e, principalmente, que tudo se encaixou, o time ganhou confiança e deixou os traumas de lado.

O líder desse trabalho é o técnico Alexis García (alguns gaúchos podem se lembrar dele como meia de armação do Atlético Nacional que foi vice-campeão da Libertadores de 1995, perdendo para o Grêmio na final). Mesmo com a má campanha do primeiro semestre e as críticas que recebeu da imprensa, o treinador insistiu na aposta em um time de jogo ofensivo e insinuante, que contradiz um pouco a onda de futebol defensivo que vem tomando conta da Colômbia.

Uma das chaves para o impulso que tomou o La Equidad foi a melhoria da defesa. No Apertura, os seguradores foram o terceiro time mais vazado. Algo até previsível para uma equipe ofensiva, mas isso tirava a confiança do ataque e o conjunto como um todo não funcionava. Por isso, foi fundamental a chegada de dois reforços para o setor: o goleiro Carlos Bejerano e o zagueiro Juan Diego González.

Ambos não são craques, mas deram estabilidade à defesa dos alviverdes. Com isso, a sangria de gols diminuiu e o setor ofensivo pôde desenvolver seu jogo com mais desenvoltura. Aí, o futebol da dupla de meias Stalin Motta e Diego Cochas cresceu bastante. Habilidosos, ambos abrem espaços nas defesas adversárias e aproveitam a velocidade e porte físico do atacante Carpintero, recém-contratado do Caracas.

Ainda há muito para o La Equidad provar. Até porque a ameaça de rebaixamento continua viva (é feita pela soma de Apertura e Finalización) e o time sente falta de apoio. O pequeno clube praticamente não tem torcida e seus jogos, disputados no pequeno estádio de Techo, quase sempre estão vazios. Algo que pode fazer a diferença em jogos decisivos, até porque, em uma eventual classificação para a segunda fase, a equipe teria de mandar jogos no El Campín. De qualquer maneira, é uma feliz novidade nesse início de segundo semestre na América Latina.

História curiosa 1: Colo-Colo e as Fiestas Patrias
No Brasil, um feriado como este 7 de setembro é muitas vezes visto apenas como mais uma oportunidade de descansar. No Chile, país politizado (até em excesso) e que valoriza muito suas instituições políticas e governamentais, a semana de 18 de setembro é algo bem mais sério.

O período é chamado de Fiestas Patrias, pois 18 de setembro, dia da independência chilena, emenda com 19 de setembro, dia da Glória do Exército. Todo o país praticamente pára, inclusive com muitas escolas e empresas dando folga a alunos e funcionários durante a semana. Em todos os edifícios do país, públicos ou privados, é obrigatória a colocação de uma bandeira do Chile em perfeito estado de conservação. Quem não obedece está sujeito a multa.

Isso nunca valeu muito par ao futebol, mas Claudio Borghi, técnico argentino do Colo-Colo, pensa em mudar. Assim, ele não quer que seus atletas sejam obrigados a jogar durante a semana de Fiestas Patrias. O problema é que a Conmebol já marcou, justamente para 18 de setembro, uma partida entre o Cacique e o vencedor do duelo Millonarios x Atlético Nacional (o Millonarios venceu o jogo de ida por 3 a 2 em Medellín) pela Copa Sul-Americana.

A proposta de Borghi é inusitada. Adiar para 3 de outubro o confronto contra o time colombiano. Parece simples, mas neste mesmo dia o Colo-Colo já tem compromisso contra o Everton pela 13ª rodada do Clausura. Solução: fazer as duas partidas no mesmo dia. Isso já ocorreu no Brasil com São Paulo e Grêmio (os gremistas jogaram três partidas no mesmo dia), mas foi por calendário sobrecarregado. Neste caso, seria uma opção do clube para preservar um feriado.

História curiosa 2: técnico do Rampla sem sono
O Rampla Juniors é a grande surpresa das primeiras rodadas do Apertura uruguaio. O clube é bastante tradicional e até tem um título nacional, em 1927. No entanto, se apequenou e várias vezes passeia pela segunda divisão. De volta à elite, o clube não consegue esconder sua situação ainda semi-amadorística. Mesmo na disputa pelas primeiras posições.

Nesta sexta, o Rampla enfrentou o River Plate. Duelo de um dos líderes (River) contra o terceiro colocado. A expectativa era grande para o encontro, já que nenhuma das duas equipes está acostumada a disputar partidas em que a liderança está em jogo. Assim, Luis López, técnico do Rampla, teve de pedir uma folga. Não no clube, mas no departamento de higiene de um hospital de Montevidéu.

O salário como técnico de clubes pequenos não é suficiente para López se sustentar. Por isso, ele trata o futebol quase como um “bico”, sendo que seu emprego principal sempre foi no hospital, onde já foi até porteiro. Claro, isso muda de figura quando a liderança do campeonato está em jogo.

Assim, López pediu dispensa no trabalho. Ele diz que tem 46 anos e demorou 10 até conseguir um lugar em clube de primeira divisão. Por isso, não queria estar com sono durante a partida (seu turno no hospital é das 23h às 7h do dia seguinte).

O técnico-funcionário de hospital teve sua folga. E não se arrependeu, pois o Rampla venceu o River Plate, comandado por Juan Ramón Carrasco, por 3 a 1. Com o empate do Danubio com o Defensor Sporting, os Picapiedras assumiram a liderança isolada. E Luis López pôde dormir tranqüilamente, sonhando com o título.

NOTAS

AMISTOSOS
– Veja os amistosos que disputarão as seleções latino-americanas esta semana: sexta, 7/setembro: Suíça 2×1 Chile; sábado, 8/setembro: Peru x Colômbia, Venezuela x Paraguai e Equador x El Salvador; domingo, 9/setembro: México x Panamá e Costa Rica x Honduras; terça, 11/setembro: Áustria x Chile e Colômbia x Paraguai; quarta, 12/setembro: África do Sul x Uruguai, Canadá x Costa Rica, Venezuela x Panamá, Peru x Bolívia e Honduras x Equador; quinta, 13/setembro: Brasil x México e Trinidad e Tobago x Guatemala.

BOLÍVIA
– Duas vitórias em clássicos contra o Oriente Petrolero deram uma amenisada na crise do Bolívar. Agora, a Academia já é segunda do Grupo B (ao lado justamente do Oriente) e luta por um lugar no hexagonal final.

CHILE
– O Deportes Concepción anunciou uma ambiciosa parceria com o Schalke 04 para a construção de uma arena multiuso para 55 mil torcedores. Concepción é a segunda maior cidade do Chile e o estádio seria usado na Copa América 2011. Parece estranho? É estranho, até porque o Schalke não menciona esse assunto em seu site oficial e Moritz Becker Schwartz, suposto dirigente dos Azuis Reais envolvidos na negociação, não é mencionado na lista de dirigentes do clube alemão.

COLÔMBIA
– Depois de perder por 6 a 1 para o Quindío e por 3 a 0 em casa para o Deportivo Pasto, o Millonarios demitiu o técnico Martín Lasarte. Para seu lugar, foi contratado o argentino Mario Vanemarak.

EQUADOR
– A Justiça citou Chiriboga Acosta (presidente da federação equatoriana) e o secretário Francisco Acosta por envolvimento em coiotagem (ajuda para levar imigrantes ilegais aos Estados Unidos). O caso vem sendo investigado desde 2006 e já foi falado por esta coluna. Não lembra? Clique aqui.

MÉXICO
– No duelo de líder contra vice-líder da classificação geral, Atlante e Santos Laguna ficaram no 2 a 2. O resultado tirou os 100% de aproveitamento dos laguneros no campeonato e dos Potros de Hierro em casa, mas as duas equipes seguem como as únicas invictas do Apertura.

– O goleiro colombiano Calero, do Pachuca, levou um susto essa semana. Um exame detectou um problema vascular que deixará o jogador fora dos gramados por dois a três meses. Mas não há risco de se tornar mais um futebolista com doença cardíaca.

PARAGUAI
– A Justiça paraguaia pediu a prisão do meia uruguaio Sergio Orteman, do Boca Juniors. Clique aqui para entender melhor.

PERU
– Com a paralisação do campeonato, Alianza Lima e Deportivo San Martín enfrentam, pela ordem, Colo-Colo e Barcelona-EQU em amistosos para arrecadar fundos para ajudar os desabrigados do terremoto que destruiu a região de Ica em agosto.

URUGUAI
– O Peñarol perdeu par ao Montevideo Wanderers e teve sua crise agravada. O time é nono colocado no Apertura, com 4 pontos em quatro rodadas.

VENEZUELA
– O Caracas venceu o Estudiantes de Mérida e, com o tropeço do Deportivo Anzoátegui para o Llaneros, assumiu a liderança do Apertura após cinco rodadas.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo