México

Com a mão na taça

Em um campeonato equilibrado como o mexicano é sempre difícil apontar um único favorito. Já bati inúmeras vezes na tecla de que a falta de um time, ou um punhado deles, que se sobreponha com frequência aos demais torna o futebol azteca muito imprevisível e, no longo prazo, menos competitivo no cenário internacional. E neste mesmo espaço já deixei claro algumas vezes que, se existe um time forte candidato a ocupar esse espaço, certamente é o Monterrey.

Essa semana os rayados deram mais uma prova da sua “candidatura”. Na primeira partida da decisão da Concacaf Champions League, os albiazules venceram sem grandes sobressaltos o Santos por 2-0, aproximando-se da conquista do bicampeonato continental.

Impressiona a forma como vem atuando os comandados de Vucetich no ápice da temporada, quando o time inteiro parece atingir o auge da forma física e técnica justamente quando o momento competitivo exige. É possível notar a contribuição da segura defesa, do ótimo meio-campo e do ataque eficiente, bem como o comando exercido por Vucetich, mas é difícil e até injusto não creditar a maior parte do momento ao artilheiro Humberto Suazo.

Não somente pelos dois gols no primeiro duelo (já são seis na fase eliminatória do torneio continental), mas, principalmente, pela forma como “Chupete” demonstra ser o termômetro da Pandilla.

Suazo parece ter superado sua crise particular com o clube por não ter sido vendido ao futebol europeu. Aos 30 anos, o chileno percebeu, após uma passagem sem muito brilho pelo Zaragoza (ESP), que pode alcançar maior brilho levando o clube no qual é ídolo à supremacia no cenário nacional e continental.

O confronto não está decidido. Os laguneros possuem elenco para reverter o placar, ainda mais com a insinuante dupla ofensiva sul-americana Quintero-Suárez. O complicado será superar a boa fase do Coloso Del Norte. Na temporada, os rayados só perderam partidas por mais de um gol no fim do último Apertura, quando já estavam claramente focados no Mundial de Clubes, no Japão.

Para complicar ainda mais o desafio do clube de Torreón, até hoje nenhum clube derrotado por dois ou mais gols na decisão da competição continental reverteu o resultado na partida de volta.

Se confirmar o título, o Monterrey caminha para se tornar o clube azteca dominante da década. Ainda não possui as conquistas que deram ao Pachuca o domínio da primeira década, com quatro Concachampions e outros quatro títulos nacionais, além de uma Copa Sul-Americana, mas os troféus rayados dos últimos anos e a forma dominante como são obtidos qualificam o Monterrey como principal candidato a ocupar o posto. E, se confirmado, garantindo o papel de protagonista para Suazo nessa caminhada.

Quatro times para três vagas

Como falado na última coluna, a rodada do fim de semana reduziu de dez para quatro os postulantes às três vagas restantes para a Liguilla. Tijuana (27 pontos), Pachuca (25), Cruz Azul (24) e Jaguares (24) brigarão pelos lugares na última rodada.

Os Tuzos foram os únicos que não venceram na rodada (1 a 1 com o Monterrey, fora de casa), mas todos obtiveram bons resultados. No próximo fim de semana, Pachuca e Tijuana jogam em casa contra times grandes, mas em péssima fase e já eliminados (Chivas e Pumas, respectivamente). Ambos não devem encontrar grandes dificuldades para garantir a vaga.

A grande surpresa da rodada foi o excelente resultado conquistado pelos chiapanecos sobre a UNAM em pleno Olimpico de CU. Os fáceis 3 a 0 complicaram a vida dos cementeros, que, mesmo goleando o Tecos por 5 a 2, terão parada dura na última rodada para ficar com a vaga.

Detalhe: enquanto o Jaguares recebe o já classificado Morelia, no Víctor Reyna, a Máquina Azul decidirá seu futuro em um Clásico Joven, na casa do seu principal rival, América. Mesmo a vantagem de três gols de saldo sobre os felinos parece uma margem pequena para qualquer previsão.

Como o clássico será a partida de encerramento da rodada, os azuis já saberão por qual resultado precisarão jogar. Certeza de emoção e teste para a fanática torcida celeste.

Notas

Seleção da rodada do site Mediotempo: Antonio Pérez (Atlante), Gerardo Flores (Cruz Azul), Felipe Baloy (Santos), Ismael Fuentes (Jaguares) e César Ibáñez (Santos); Carlos Quintero (Santos), Juan Pablo Rodríguez (Santos), Daniel Montenegro (América) e Alejandro Vela (Cruz Azul); Edixon Perea (Cruz Azul) e Franco Arizala (Jaguares). T: Benjamín Galindo (Santos);

– Confira mais desse colunista e sobre o futebol mexicano pelo twitter: @renanbarabanov

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo