México

Ballet Azul (e amarelo)

Um baile amarelo. Difícil descrever de outra forma a atuação de América e Cruz Azul na 177ª edição do “Clásico Joven”, disputado no último fim de semana. Mais do que alçar de vez as águias ao grupo dos líderes, o placar (e o impacto de resultado) afundou o Cruz Azul, tanto na tabela de classificação, distanciando-o do grupo que briga pela Liguilla, quanto na moral da equipe. E o duelo teve um personagem-símbolo: “Chucho” Benítez, autor do “triplete” do triunfo Crema.

A superioridade das águias ficou explícita pelas estatísticas da partida: foram 12 chutes a gol dos Millonetas contra apenas dois disparos dos azuis. Disparos, aliás, que nem mesmo assustaram, fazendo com o a meta defendida por Moisés Muñoz praticamente não sofresse ameaças durante toda a partida. O América teve, também, 11 escanteios, frente a apenas cinco da Máquina Azul.

Analisando o duelo, contudo, a superioridade dos comandados de Herrera fica ainda mais evidente. Nem mesmo a desculpa da tola expulsão de Israel Castro ainda no primeiro tempo se justifica, pois os donos da casa já venciam por 1×0. E após a expulsão de Aguilar, na etapa final, o conjunto de Coapa, que já vencia por 2×0, ainda fez mais um, garantindo um triunfo tranquilo.

Para o América, os reflexos positivos da vitória são claros. Dono do melhor ataque e da segunda melhor defesa do Clausura, o time volta a se estabilizar após somar apenas um ponto nas últimas duas rodadas. Mais do que isso, entretanto, vê sua principal arma se reencontrar com as redes e o bom futebol numa exibição impressionante, e em um momento importante da temporada, contra um de seus rivais mais complicados. Dentre os clássicos que disputa, incluindo os encontros contra Chivas e Pumas, vale dizer que o único no qual tem o retrospecto negativo de vitórias/derrotas ainda é contra o clube Cementero.

Para além dos aspectos mentais, saltam aos olhos a boa forma das principais peças do elenco Canário. O paraguaio Osvaldo Martínez, autor de duas assistências no clássico, ambas em jogadas de bola parada, se consolida a cada dia como o substituto ideal de Daniel Montenegro, que deixou o clube no fim do ano. Isso sem falar no bônus de ser mais jovem e com ampla margem de progressão. A defesa continua segura, ao passo que o veterano goleiro Muñoz parece ter conquistado a confiança de Herrera na briga pela titularidade com os jovens López e González.

O brilhantismo, todavia, parece sempre culminar em “Chucho”. Seu terceiro hat-trick atuando pelos Azulcremas (os primeiros foram contra Atlas e Pachuca) veio de forma incontestável, em um clássico, de forma a não deixar dúvidas sobre o protagonismo do jogador responsável pela transferência mais cara do futebol azteca. Benítez é, hoje, indiscutivelmente o melhor jogador da Liga MX. Mas somente um título nacional que ponha fim ao jejum americanista será capaz de colocar o jogador de vez no hall dos maiores nomes do América.

Se as notícias são boas em Coapa, o mesmo não se pode dizer do lado azul da capital mexicana. A derrota deve aprofundar um pouco mais as críticas ao técnico “Memo Vázquez” e às exibições de sua equipe. O revés também ampliou a série de partidas sem vencer para cinco, sendo que nas três últimas rodadas o Cruz Azul saiu de campo derrotado. Desde 1965, as Liebres não sofriam uma derrota por três gols de diferença para o América jogando como visitantes.

Conturbando um pouco mais o já confuso ambiente em La Noria, o diretor esportivo da Máquina, Alberto Quintano, recusou-se a responder sobre a manutenção de Vázquez no comando do time, qualificando a derrota como “muito dolorosa” e afirmando que um resultado como o de sábado gera “dor e raiva” em qualquer torcedor do clube, mas que evitaria tomar decisões com a cabeça ainda quente.

Não que a saída de “Memo” deva resolver muita coisa em Benito Juárez, mas as recentes atuações do time sob seu comando ficam devendo e muito para as exibições mostradas pelo clube com Enrique Meza no comando. Se o objetivo da chegada do jovem técnico foi dar ao grupo o salto que faltava nos momentos decisivos para o título, hoje pode-se dizer que o Cruz Azul está ainda mais distante de pôr fim ao jejum de 16 anos.

Com rendimento abaixo do esperado dos principais nomes do elenco, pouco auxílio dos que chegaram como reforço e, para piorar, lesão dos poucos que estavam rendendo (“Chaco” Giménez, com uma lesão no joelho, já deu adeus à temporada), os azuis agora podem começar a sofrer com algo mais difícil do que fraquejar nos momentos decisivos: a possibilidade de nem mesmo alcançar essas decisões…

Curtas

– Seleção da 9ª rodada Trivela: Miguel Pinto (Atlas), Daniel Arreola (Pachuca), Leandro Cufré (Atlas), Oswaldo Henríquez (Querétaro) e Adrián Aldrete (América); Ángel Reyna (Pachuca), Diego de Buen (Puebla), Osvaldo Martínez (América) e Carlos Quintero (Santos); Hérculez Gómez (Santos) e Christian Benítez (América); T: Miguel Herrera (América);

– Jogando em Puebla, a seleção mexicana sub-20 derrotou os Estados Unidos por 3×1 na prorrogação e garantiu seu 12º título do Campeonato da Concacaf da categoria. Ambos também garantiram vaga no Mundial sub-20 que será disputado na Turquia, em junho;

Costa Rica

– Com uma vitória mínima, fora de casa, sobre o Belén Siglo XXI, o Cartaginés disparou na ponta do Campeonato de Verano da Primera División, com 26 pontos em 10 jogos disputados. O clube ainda foi beneficiado pela derrota do vice-líder Pérez Zeledón para o Santos, em Guápiles, abrindo dez pontos de vantagem para os concorrentes;

– Já os três grandes do futebol costarriquenho aproveitaram o tropeço do segundo colocado e venceram seus duelos para encostar na briga pelo posto, todos com 15 pontos: a Alajuelense bateu o Puntarenas, enquanto Saprissa e Herediano superaram Carmelita e San Carlos, respectivamente;

El Salvador

– Derrotado, pelo Once Municipal, o FAS perdeu a invencibilidade, mas não a liderança do Clausura da Liga Mayor, somando 16 pontos em 7 partidas. Na vice-liderança aparece o Luis Ángel Firpo, que venceu o Isidro Metapán e alcançou os 13 pontos, mesmo número de Santa Tecla, que bateu o Alianza, e Juventud Independiente, que superou o Águila;

– Além de México e Estados Unidos, El Salvador também garantiu vaga no Mundial sub-20. Na disputa pelo terceiro lugar, La Azulita venceu Cuba pelo placar mínimo, com gol nos acréscimos, mas ambos já haviam se garantido com a vaga nas semifinais;

Guatemala

– Um gol de pênalti marcado pelo meia José Manuel Contreras foi o suficiente para dar ao Comunicaciones seu sétimo triunfo em 8 partidas, na liderança isolada da Liga Nacional, com 22 pontos, ainda sem sofrer gols na competição;

– Já o Malacateco contou com gol do brasileiro Enéas da Conceição para vencer o Marquense, alcançar os 16 pontos e manter a segunda posição, dividindo-a com o Heredia, que superou o Juventud Escuintleca por 2×0. Já o Municipal segue na lanterna e em péssima fase (apenas dois pontos em oito partidas), não passando de um empate com o Suchitepéquez no fim de semana;

Honduras

– Mesmo sem passar de um empate em casa frente ao Deportes Savio, o Victoria manteve a ponta do Clausura da Liga Nacional, com 17 pontos em 10 jogos. Logo atrás, com 16 pontos, estão Real España, que venceu o Atlético Choloma, e Platense, que superou o Marathón com um “triplete” do colombiano Javier Estupiñán;

– Atual tricampeão nacional, o Olímpia segue em má fase. Os Albos não saíram do zero frente ao Vida e chegaram a quatro partidas sem vencer, com 15 pontos, despencando para a quinta colocação;

Panamá

– Com um gol do meia Eduardo Jiménez, o San Francisco bateu o Chepo e manteve boa distância para seus perseguidores na liderança do Clausura da Liga Panamenha, com 20 pontos em 9 partidas. Com 16 pontos, Árabe Unido e Sporting San Miguelito seguem na vice-liderança, enquanto o Tauro superou o Plaza Amador no “Clásico del fútbol Panameño” e alcançou 14 pontos, na quarta posição;

– Destaque do Panamá no Mundial sub-17 de 2011 e uma das maiores promessas do país, o atacante Jorman Aguilar, de 18 anos, acertou no último fim de semana sua transferência para o Parma (ITA). Cria do modesto Río Abajo, que conquistou a Liga de Ascenso também em 2011, “el niño del gol” jogará inicialmente pela categoria Primavera do clube da Emília-Romanha.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo