EuropaLeste Europeu

Melhor que a encomenda

Evidentemente que a Polônia, por ser uma das sedes da Euro 2012, poderia ter um caminho facilitado, já que estavam nos potes dos cabeças de chave e escapariam dos finalistas da última Copa do Mundo na fase inicial da competição. Contudo, após o sorteio, a sensação entre os poloneses vai do êxtase ao alívio, pois o país tem uma chance considerável de chegar até as quartas de final, o que seria uma conquista e tanto para os polacos.

Os adversários serão Rússia, Grécia e República Tcheca. Analisando os concorrentes, temos uma Rússia titubeante, que fracassara nas Eliminatórias para a Copa de 2010 e que, durante o classificatório da Euro, teve um desempenho bastante irregular, num grupo em que entrava como favorita (Irlanda e Eslováquia eram as demais forças da chave). No entanto, a fase inconstante do time dirigido por Dick Advocaat não apaga o fato de a Rússia ser uma seleção experiente, com jogadores de bom nível técnico ainda que em má fase (Arshavin, Pavlyuchenko, Zhirkov), e que foi semifinalista da última Euro em 2008. Feita a ponderação acerca dos russos, é inegável que eles eram a seleção mais fraca do pote 2 (as demais eram Alemanha, Itália e Inglaterra) e que a Polônia tirou a sorte grande ao enfrentá-los.

A Grécia vive de boas Eliminatórias, onde o fator casa faz a diferença, e da exceção em 2004, quando buscou um título para lá de improvável. O fator casa pode ser comprovado nas Eliminatórias: para a Euro 2008 foram cinco vitórias e uma derrota; para a Copa do Mundo de 2010 foram quatro vitórias e uma derrota; e para a Euro 2012 quatro vitórias e um empate.

O termo “exceção” foi usado para definir a campanha da Grécia em 2004 devido aos seus números nas edições posteriores dos dois principais torneios (Euro e Copa do Mundo). Em 2006 sequer foi à Alemanha. Em 2008, a Grécia terminou com a pior campanha: três derrotas, um gol marcado e cinco sofridos. Em 2010, mesmo num grupo acessível com Coreia do Sul e Nigéria, não passou de fase, somando apenas uma vitória sobre os africanos. Em tese, a Grécia é inferior a todos os outros integrantes do pote 3: Portugal, Croácia e Suécia – mesmo que tenha ficado na frente da Croácia nas Eliminatórias.

A República Tcheca possui uma base envelhecida e com jogadores em declínio (Rosicky e Baros). Estava no mesmo nível de qualquer outra seleção do pote 4 (França, Dinamarca e Irlanda).

Resumindo: o sorteio ajudou e muito a Polônia, mais do que eles próprios poderiam sonhar. O problema é que, mesmo pegando as forças mais fracas possíveis, os polacos não entram com favoritismo algum, exceto pelo fator casa. Na teoria, a Polônia pode disputar com Rússia, Grécia e República Tcheca em iguais condições para ao menos passar da fase de grupos. O desempenho nos amistosos de preparação para o torneio mostra que o trabalho do técnico Franciszek Smuda não conseguiu grandes resultados até o momento, ainda que se deva considerar que a safra de jogadores não seja das melhores. Os destaques vão para o goleiro Szcz?sny do Arsenal, o lateral Piszczek do Borussia Dortmund e o atacante Lewandowski, também do Borussia.

Em 2011 foram 6 vitórias, sendo que nenhuma delas foi sobre algum adversário que chegou até a Euro 2012 (Hungria, Moldávia, Noruega, Bielorrússia e Geórgia). A exceção foi o triunfo sobre uma Argentina remendada. Quando enfrentou concorrentes mais fortes, não conseguiu vencer, apesar de alguns bons resultados como empates com Alemanha e México. A Polônia inclusive enfrentou a Grécia em março e o resultado final foi um 0 a 0 xoxo. Assim, a Polônia terá de contar com a força de seus torcedores para empurrar a seleção nacional.

A República Tcheva padece do mesmo mal da Polônia. Caiu no grupo mais acessível possível, no entanto anda mal das pernas e mostra menos força que os polacos para passar de fase. Embora sem grandes pretensões a República Tcheca vai para a sua quinta Euro seguida, sendo que em 96 terminou com o vice-campeonato. Na edição de 2008, a campanha foi aquém e os tchecos não passaram da fase de grupos (Portugal e Turquia se classificaram na chave).

Já a Croácia terá sérias dificuldades para se classificar até as quartas de final, já que terá de passar pela campeã do mundo Espanha e a tradicional Itália, que sob o comando de Cesare Prandelli vai se reconstruindo depois do vexame na Copa do Mundo de 2010.

CURTAS

RomenasNa Liga I, a liderança é ainda é do Dínamo Bucaresti com 36 pontos, no entanto o time da capital agora vê os concorrentes muito perto. Na última rodada, o Dínamo caiu para o arquirrival Steaua Bucaresti por 3 a 1, mesmo atuando em seus domínios. CFR Cluj e Rapid Bucaresti agradeceram a derrota, já que encostaram no líder. O CFR Cluj bateu o Dacio Mioveni por 3 a 0 e está em segundo com 35 pontos, enquanto o Rapid venceu por 2 a 0 o Sportul e tem 34. O tradicional Steaua subiu na tabela com a vitória sobre o Dínamo e agora é o quarto. Já o atual campeão Otelul Galati teve a boa fase cortada ao conquistar apenas um pontos nos dois últimos jogos.

Polacas
Na liga polonesa, o Slask Wroclaw ainda lidera depois de 16 partidas com 36 pontos. Na última rodada o Slask se recuperou da derrota sofrida para o Wisla Cracóvia ao bater o Gornik Zabrze por 2 a 0. O Legia Warszawa segue em segundo, dois pontos atrás. Quem se aproxima das primeiras posições é o Wisla Cracóvia que engatou duas vitórias seguidas, diminuindo a diferença para o Slask para sete pontos. Para seguir na sua recuperação o Wisla terá uma tarefa difícil na próxima rodada já que enfrenta o Polônia Warszawa, terceiro colocado.

Sérvias
E o Partizan continua com a sua incrível sequência de vitórias. No último final de semana, o time chegou ao seu décimo segundo triunfo consecutivo. Já são 39 pontos conquistados entre os 42 possíveis. A segunda colocação é do Estrela Vermelha, sete pontos atrás do líder. Por sinal, o Estrela Vermelha foi punido após os incidentes envolvendo sua torcida no clássico contra o Partizan, onde saiu derrotado por 2 a 0. O Estrela Vermelha perdeu um mando de campo e foi multado em 10 mil euros. O duelo entre as equipes foi paralisado duas vezes por conta da fumaça causada por sinalizadores acesos nas arquibancadas. Na partida ainda houve confronto entre torcedores dos dois times à beira do campo.

Tchecas
Na Gambrinus Liga, o Sparta Praga segue firme rumo ao caneco. Na última rodada venceu o Jablonec, quinto na tabela, por 4 a 2 fora de casa. Com o resultado o Sparta chegou a 40 pontos, seis a mais do que o Slovan Liberec, e dez a mais do que o Plzen, segundo e terceiro colocados respectivamente.


Húngaras
Depois de 17 rodadas, o Debreceni segue invicto na atual temporada. O time lidera com 41 pontos conquistados, quatro a mais do que o Gyori ETO, vice-líder. O Videoton é o terceiro com 32. Na última rodada, o três primeiros na tabela venceram. O Debreceni goleou o lanterna Zalaegerzseg por 5 a 2, enquanto o Videoton bateu o Paksi por 2 a 1 e o o Gyori ETO fez 3 a 1 no Ujpest.

Croatas
Na Croácia a vantagem do Dínamo Zagreb para o arquirrival Hajduk Spli está na casa de seis pontos, após 17 rodadas. E assim deve ficar até fevereiro, já que o campeonato croata terá a pausa no inverno. No entanto, depois da goleada vergonhosa sofrida na Liga dos Campeões para o Lyon, o Dínamo terá meses turbulentos. O técnico Krunoslav Jurcic inclusive já foi mandado embora tão logo acabou a partida. Com essa goleada o Dínamo terminou como o pior time da fase de grupos da competição.

Búlgaras
A Bulgária é outro campeonato que entrou na pausa de inverno e só retorna em fevereiro. O Ludogorets e CSKA Sofia seguem pau a pau na disputa pela liderança da Liga Búlgara. Os dois times possuem 36 pontos após 15 rodadas. Na última rodada, as duas equipes empataram em 2 a 2, na casa do CSKA. Quem encostou com o resultado foi o Chernomorets que tem 33 pontos.

Montenegrinas
Na First League, Buducnost é o líder com 42 pontos após 17 partidas. Logo atrás vem o Rudar com 40. O Mogren é o terceiro com 33 pontos, empatado com o Zeta.

Bósnias
Na Premier Liga,o Zeljeznicar chegou à liderança ao bater o Leotar por 2 a 0. Para assumir o posto o time contou com o empate do então líder Siroki Brijeg em 0 a 0 com o Olimpik Sarajevo. A vantagem do Zeljeznicar é de apenas um ponto.

Macedônicas
Na First League, o topo da classificação é do Vardar com 41 pontos após 17 rodadas. O Vardar segue como a única equipe invicta do campeonato com 12 vitórias e cinco empates. O atual campeão Skendija está na terceira posição com 33 pontos, oito atrás do líder.

Eslovenas
Na Eslovênia, o atual campeão Maribor segue nadando de braçada. O time tem 49 pontos após 21 jogos, 15 a mais do que Olimpija Ljubljana e ND Gorica.

Eslovacas
A liga eslovaca também está na pausa de inverno e será assunto de coluna posterior. Mas o colunista adianta: apenas três pontos separam os cinco primeiros colocados. O Zilina segue líder com 33 pontos.

[Nota do editor: Na coluna passada, algumas informações postadas estavam desatualizadas porque a mesma por problemas técnicos não foi ao ar na data prevista. A responsabilidade não foi do colunista]

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo