Serie A

Milan recusa demanda salarial de Çalhanoglu e turco deixará o clube

Depois de negociações não avançarem, Maldini, diretor do Milan, não quer aumentar a proposta e deixará o jogador turco sair dos rossoneri ao final do contrato

O meio-campista Hakan Çalhanoglu deixará o Milan, assim como já foi com Gianluigi Donnarumma. O clube desistiu de aumentar a proposta para convencer o jogador turco a permanecer e o diretor, Paolo Maldini, não quer entrar em uma guerra de propostas para manter o camisa 10.

VEJA TAMBÉM: Milan apresenta nova camisa titular com listras diferentes e uma inspiração do passado

Maldini tinha tomado o mesmo caminho com Donnarumma, que tinha um salário de € 8 milhões por temporada, mas que seu agente, Mino Raiola, exigia um aumento para permanecer. O Milan não quis aumentar mais o gasto em folha salarial e, assim, decidiu liberar o jogador, que tem contrato até junho. A história foi similar com Çalhanoglu.

Segundo a Gazzetta dello Sport e Sport Mediaset, o jogador da seleção turca não receberá uma proposta maior do que os € 4 milhões anuais nos rossoneri. Como não chegaram a um acordo por esse valor, o turco vai procurar um novo clube após a Eurocopa.

Nascido em Mannheim, na Alemanha, e filho de pais turcos, Çalhanoglu defende a seleção turca. Jogou pelo Karlsruher, por quem foi revelado, Hambugo e Bayer Leverkusen. Chegou ao Milan em 2017 por € 23,3 milhões. Aos 27 anos, Çalhanoglu fez uma boa temporada pelo Milan. Teve um bom entendimento com Zlatan Ibrahimovic, mas o sueco teve problemas de lesão que impediram a dupla funcionar junta mais vezes. Ibra inclusive está fora da Eurocopa por uma lesão no joelho. Foram 43 jogos de Çalhanoglu, com nove gols e 12 assistências. O meia é conhecido pela sua excelência nas bolas paradas, em cobranças de faltas ou escanteios.

O jogador é especulado em vários clubes, como Juventus, Chelsea e Liverpool, mas efetivamente não houve propostas por ele ainda. Em nenhum desses clubes o salário é próximo ao que ele gostaria.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo