Serie A

A Internazionale tem muito repertório, e o Genoa sofreu com isso em nova vitória nerazzurri

Apesar de sofrer no segundo tempo, Inter mostrou todo seu repertório para vencer o Genoa

O repertório tático para atacar é o objetivo de muitos treinadores que querem (ou precisam) que seus times sejam protagonistas no futebol. Isso representa ser menos previsível no momento ofensivo e ter diferentes armas para surpreender seu adversário ao tentar marcar gols. A Internazionale nesta temporada é um exemplo perfeito disso, e o Genoa soube disso da pior forma nesta segunda-feira (4), pela 27ª rodada da Serie A.

Para criar o primeiro gol da vitória por 2 a 1, os Nerazzurri fizeram algo clássico do futebol moderno: pressionar o rival no campo de ataque. Assim que o goleiro Josep Martínez foi obrigado a dar um chutão e devolver a bola para o adversário. E aí vem outra característica do time de Simone Inzaghi: atacar com muita gente, independente da função que o jogador cumpre. Nicolò Barella serviu Alexis Sánchez por dentro, que tocou de primeira para Kristjan Asllani mandar uma bomba direto às redes. Com a lesão de Hakam Çalhanoglu, o autor do gol era o foi o primeiro volante na escalação de hoje, mas ele apareceu na área como um digno atacante para abrir o placar.

A ida do primeiro volante para área adversária não é algo totalmente estranho. Até os zagueiros “laterais” do trio de zaga de hoje, Carlos Augusto e Benjamin Pavard, vão ao ataque, trocam com os alas, aparecem por dentro. Novamente, são muitos atletas para atacar e ocupar o campo adversário.

Antes mesmo do primeiro gol, a Inter adotou uma postura tática interessante. Não queria pressionar o Genoa de Alberto Gilardino lá em cima. Ficava postada em um bloco médio e armada para fazer a transição para o ataque. No entanto, quando o rival se fechou no campo de defesa, o time de Milão mostrou dificuldades para infiltrar em uma fortaleza montada no 5-4-1. Nesse cenário que a pressão abriu espaço.

No segundo gol, ainda no primeiro tempo, outra faceta tática dos comandados por Inzaghi. Ao efetuar a saída de bola, a Inter tocou entre os zagueiros para atrair a pressão do Genoa e abrir espaços – e deu muito certo. Asllani foi muito inteligente ao proteger e girar, Lautaro Martínez recebeu próximo do grande círculo e viu Barella disparando nas costas da defesa adversária. Dentro da área, o meia finalizou na rede pelo lado de fora, mas o árbitro entendeu que o carrinho de Morten Frendrup após a finalização foi faltoso, pênalti. O VAR até chamou, mas o homem do apito manteve sua decisão mesmo ao rever o lance. Alexis Sánchez deslocou facilmente o goleiro na cobrança e marcou seu primeiro gol neste Campeonato Italiano, mesma coisa com Asllani.

Defensivamente, o time basicamente não sofreu na etapa inicial, além de um cabeceio perigoso do jovem argentino Matteo Retegui. Novamente, como acontece muito nesta temporada, Yann Sommer brilhou e segue mostrando como foi um substituto perfeito para André Onana.

Naturalmente, a Internazionale voltou em uma rotação menor no segundo tempo, jogando mal mesmo, e o Genoa marcou um gol rapidamente. Sofrendo com cruzamentos na segunda trave, a defesa afastou mal e o zagueiro Johan Vásquez apareceu na entrada da área para diminuir a vitória nerazzurri. Com 20′, Vitinha até igualou o placar, mas estava impedido na origem do lance.

O time visitante pressionou de forma quase inédita os donos da casa, em pleno San Siro, nesta temporada. O Grifone só não criou algo muito efetivo pelo mérito defensivo da Inter – que estava trocando para que o jogo acabasse logo. Em meio aos problemas da etapa final, o torcedor azul e preto teve algo bom para comemorar: o retorno do atacante Marcus Thuram, ainda ganhando minutos após a lesão. A presença do francês ao lado de Lautaro no ataque será essencial para o clube na Champions League.

Mais uma vitória para equipe de Milão, a 12ª em 12 jogos em 2024. O 20º Scudetto está cada dia mais próximo. Hoje, a vice-líder Juventus tem 57 pontos, 15 a menos que o rival.

Inclusive, os 72 pontos que a Inter soma agora é o mesmo número que pontuou em toda temporada passada, quando terminou em terceiro e o Napoli foi campeão nacional.

Tabela da Série A

Serie A
# Seleção J V E D +/- Pontos
1 Inter Milan

Inter Milan

32 26 5 1 60 83
2 AC Milan

AC Milan

32 21 6 5 26 69
3 Juventus

Juventus

33 18 10 5 21 64
4 Bologna

Bologna

32 16 11 5 20 59
5 Roma

Roma

31 16 7 8 21 55
6 Lazio

Lazio

33 16 4 13 7 52
7 Atalanta

Atalanta

31 15 6 10 21 51
8 Napoli

Napoli

33 13 10 10 9 49
9 Torino

Torino

32 11 12 9 2 45
10 Fiorentina

Fiorentina

31 12 8 11 7 44
11 Monza

Monza

32 11 10 11 -7 43
12 Genoa

Genoa

33 9 12 12 -5 39
13 Cagliari

Cagliari

33 7 11 15 -20 32
14 Lecce

Lecce

32 7 11 14 -21 32
15 Verona

Verona

33 7 10 16 -13 31
16 Empoli

Empoli

33 8 7 18 -22 31
17 Udinese

Udinese

32 4 16 12 -18 28
18 Frosinone

Frosinone

32 6 9 17 -23 27
19 Sassuolo

Sassuolo

32 6 8 18 -23 26
20 Salernitana

Salernitana

32 2 9 21 -42 15
Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo