Serie A

De ‘melhor meio-campista do mundo’ a custos-benefícios: 5 razões para título da Inter

Internazionale foi campeã da Serie A com folgas; campanha brilhante é explicada por bom desempenho em campo e fora dele também

79 gols marcados, apenas 18 sofridos, o artilheiro do campeonato e apenas 1 derrota sofrida até aqui. Os números falam por si só na brilhante campanha da Internazionale na Serie A desta temporada. Para abrilhantar ainda mais o título conquistado com 5 rodadas de antecedência, os Nerazzurri ganharam nada mais nada menos do que o rival Milan, para festa do lado norte do San Siro no Derby Della Madonnina.

Para explicar como o time de Milão chegou aos 86 pontos em apenas 33 jogos até aqui e conquistou o título com tamanha superioridade sobre os rivais, a Trivela listou cinco razões que explicam isso, e mostram que além de um trabalho de qualidade de Simone Inzaghi, o futebol jogado também nas mesas de negociação faz muita diferença em um mercado cada vez mais inflacionado.

Custos-benefícios na prática

Yann Sommer foi contratado para a vaga de Onana (Icon Sport)

Atrair jogadores que entreguem resultados em campo por um preço muito baixo é o que todo clube busca, mas poucos mostram tanta competência quanto a Inter. Andre Onana foi contratado após deixar o Ajax como agente livre, e apenas depois de uma temporada na Inter, foi vendido por 50 milhões de euros ao Manchester United. Sua reposição foi um goleiro bastante similar, mas muito mais barato. Yann Sommer chegou à Inter proveniente do Bayern de Munique por 6 milhões de euros, e vem mostrando tanta segurança e qualidade na saída de bola quanto o camaronês. Outro custo-benefício impactante foi Mearcus Thuram. O francês chegou também como agente livre do Borussia Mönchengladbach, e vem substituindo à altura Dzeko e Lukaku.

Além deles, é possível citar Mkhitaryan e Çalhanoglu de temporadas anteriores, que também chegaram de graça de Roma e Milan, respectivamente. E vem mais por aí. Titular e referência do meio de campo do Napoli nos últimos anos, Piotr Zielinski será jogador nerazzurro a partir da próxima temporada, segundo a imprensa italiana, assim como Mehdi Taremi, atacante do Porto. Ambos chegarão em fim de contrato com seus clubes.

Melhores números da carreira do capitão Lautaro Martínez

Lautaro Martinez brilhou como nunca nesta temporada (Icon Sport)

Dentre os jogadores que chamaram a responsabilidade a partir desta temporada, o principal destaque talvez seja Lautaro Martínez. Magoado pela forma como Lukaku conduziu sua saída da Inter, ele também assumiu a faixa de capitão de vez após Skriniar ir para o PSG, e se tornou o cara da equipe. Mesmo sofrendo com algumas lesões, o camisa 10 interista é disparado o artilheiro da Serie A, com 23 gols. Levando em conta o número de jogos, essa é a temporada em que Lautaro mais balançou as redes na sua carreira em média. Em números inteiros, o argentino marcou 26 gols em 2023/2024, e ainda pode ultrapassar os números de 2022/2023, quando fez 28 tentos.

Thuram, um camisa 9 versátil

Marcus Thuram é um dos líderes de assistências da equipe (Icon Sport)

Marcus Thuram chegou com uma grande responsabilidade de substituir Edin Dzeko e principalmente Romelu Lukaku, que magoou a torcida nerazzurra por negociar com a Juventus enquanto buscava retornar em definitivo à Inter. E em sua primeira temporada atuando no país em que nasceu, o atacante da Seleção Francesa não decepcionou. Mesmo usando a camisa 9, ele se mostrou ser mais versátil que os centroavantes anteriores. Pela Serie A, Thuram fez até agora 12 gols e deu 11 assistências. Uma excelente temporada de estreia de um jogador que, além de forte e rápido, se mostrou fazedor de gols e um parceiro ideal para fazer Lautaro Martínez brilhar ainda mais.

Çalhanoglu, o ‘melhor meio-campista do mundo’

Hakan Calhanoglu se adaptou bem a uma nova posição (Icon Sport)

Camisa 10 da Seleção Turca e também em Hamburgo, Bayer Leverkusen e Milan, Çalhanoglu ganhou mais destaque atuando mais recuado na Internazionale, e chegou ao seu auge como primeiro volante. Substituto de Brozovic, que foi para a Arábia Saudita, o turco mostrou força para defender em parceria com Barella e os alas Dumfries e Dimarco, e manteve o faro de gols apurado. Mesmo sendo o jogador mais recuado do meio nerazzurro, ele marcou até agora 11 gols na Serie A, que o deixaram com a autoestima no topo quando perguntado sobre quem é o melhor meio-campista do mundo pelo DAZN.

– Em quinto Enzo Fernández, em quarto Kimmich, em terceiro Kroos, em segundo Rodri e em primeiro eu. Sou o melhor porque faço mais gols que eles. Se você olhar para as estatísticas, eu não marco perto da área, mas sim de 25 a 30 metros ou em cobranças de faltas. Essas coisas são difíceis.

Maturidade e confiança do elenco em Simone Inzaghi

Simone Inzaghi foi campeão pela primeira vez da Serie A como técnico (Icon Sport)

Simone Inzaghi assumiu a Inter de Milão em 2021, e aos poucos foi conquistando os torcedores e o elenco. Após um vice dolorido da Champions League no ano passado, finalmente o treinador foi campeão italiano, e fazendo seus atletas se adaptarem ao esquema 3-5-2.

Inzaghi foi muito feliz ao recuar jogadores como Darmian e Çalhanoglu, e montou um elenco com reservas que dão opções de mudanças táticas da equipe ao longo da partida, como Cuadrado, Buchanan, Bisseck e Alexis Sánchez. Ele e a diretoria souberam também gerir dentro do grupo as polêmicas saídas de Skriniar e Lukaku, e criaram um ambiente de união e qualidade técnica. Mesmo que a decepcionante campanha na Champions League dessa temporada seja um ponto negativo, o título incontestável da Serie A mostrou a força e a maturidade do trabalho do treinador de 48 anos.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo