Serie A

Com um ataque de poucos gols, De Ligt admite que Juventus sente falta de Cristiano Ronaldo

Com um ataque que faz poucos gols, De Ligt admite que a saída do artilheiro da Serie A tem tido peso na Juventus

A Juventus é o pior ataque entre os sete primeiros times da tabela da Serie A nesta temporada e é difícil não relacionar isso à saída de Cristiano Ronaldo, artilheiro da liga na última temporada. Com 22 jogos disputados, são 34 gols marcados até aqui no Campeonato Italiano, muito atrás do melhor ataque, a Internazionale, com 51 gols. Depois da vitória por 2 a 0 sobre a Udinese em Turim neste sábado, o zagueiro Matthijs de Ligt admitiu que o time sente falta de Ronaldo, que voltou ao Manchester United.

O artilheiro da Juventus até aqui na temporada é Paulo Dybala, com sete gols, seguido por Álvaro Morata, com cinco. São os dois atacantes que mais atuam no time comandado por Massimiliano Allegri. O artilheiro da Serie A é Ciro Immobile, da Lazio, que já tem 17 gols, seguido por Dusan Vlahovic, da Fiorentina, com 16.

Perguntado se a Juventus sentia falta de Cristiano Ronaldo, De Ligt admitiu o óbvio. “Eu acho que sim. Cristiano é o tipo de jogador que entra na área e sempre consegue um gol, ele raramente desperdiça uma oportunidade. Sentimos falta disso desde o começo da temporada”, afirmou. “Não temos um artilheiro que pode marcar 30 gols por temporada, mas precisamos contribuir com gols de todo mundo e em todo lugar, o que está começando a acontecer agora”.

O técnico Massimiliano Allegri não estava feliz com o desempenho do time, embora tenha vencido com alguma tranquilidade a Udinese e De Ligt também comentou isso. “Ouvi o técnico dizer isso e entendo o que ele quer dizer, porque temos muitos jogadores jovens”, afirmou o zagueiro à Sky Sport Italia. “Sou muito jovem também, ao menos em termos de idade, mas já joguei 250 partidas em nível principal, então tenho alguma experiência. Você amadurece mais rápido quanto mais jogos você joga”.

“Foi uma vitória fundamental para nós hoje e ainda temos muitas coisas que precisamos melhorar, mas o mais importante é que vencemos. Temos que crescer gradualmente, ganhamos seis dos últimos oito jogos da Serie A e estamos chegando lá”, continuou o neerlandês.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo