Itália

Serie A também afirma que apoiará clubes italianos que não liberarem jogadores às seleções

A Data Fifa de setembro está cada vez mais em risco, após a Itália se juntar a Espanha e Inglaterra em apoio a clubes que não quiserem liberar jogadores

Após Premier League e La Liga tomarem ações similares, a Serie A afirmou nesta quarta-feira que apoiará seus clubes que decidirem não liberar jogadores às seleções nacionais para atuar em países aos quais a Itália exige quarentena após a viagem de volta.

“A Serie A comunica que, para a janela de Data Fifa de setembro de 2021, apoiará a decisão de seus clubes de não liberar jogadores convocados pelas seleções para jogar em países aos quais é exigido isolamento ao retornar, em conformidade com as disposições de lei vigentes devido ao vírus Sars-Cov-2”, disse a entidade, em um comunicado.

A Premier League anunciou na última terça-feira uma decisão “relutante, mas unânime” dos seus clubes de não liberar jogadores que viajariam para 26 países que constam na lista vermelha do Reino Unido, o que significa que precisariam fazer quarentena de 10 dias ao retornar ao país, consequentemente perdendo jogos do calendário de clubes. Isso impactaria todas as seleções da Conmebol. A Football League, responsável pelos campeonatos da segunda à quarta divisão, tomou a mesma decisão.

La Liga ficou particularmente irritada com a “decisão unilateral” de expandir a janela internacional da Conmebol em setembro de nove para 11 dias e afirmou que apoiaria seus clubes que decidissem não liberar jogadores para a Conmebol. Segundo o comunicado, são 25 jogadores de 13 clubes diferentes que seriam afetados pela decisão.

Essas decisões chegam depois de a Fifa não estender a sua exceção de liberação temporária, que permitiria que os jogadores não precisassem fazer quarentena obrigatória após atuarem pelas seleções. “A decisão da Fifa de não estender as exceções às convocações para países aos quais há uma obrigação de quarentena ao retornar e as várias limitações relacionadas à propagação da pandemia criariam disparidades competitivas às equipes que permitissem que seus jogadores fossem a esses países”, completou a liga italiana.

Antes do comunicado da Serie A, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, havia pedido uma “demonstração de solidariedade” dos clubes ingleses e espanhóis, um apelo para que voltassem atrás nas suas decisões de barrar as convocações dos jogadores, e também requisitou uma exceção ao primeiro-ministro britânico Boris Johnson às regras de quarentena para pessoas que chegam ao Reino Unido de países da lista vermelha.

No caso da seleção brasileira que enfrentará Chile, Argentina e Peru no começo de setembro, o comunicado da Serie A pode deixar Tite sem Danilo e Alex Sandro, ambos laterais da Juventus, além dos jogadores que atualmente estão em clubes da Inglaterra e da Espanha.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo