La LigaMundoPremier League

Infantino pede “solidariedade” de clubes ingleses e espanhóis, após decisão de não liberar jogadores para Data Fifa

O presidente da Fifa também apelou ao primeiro-ministro britânico Boris Johnson por uma exceção às regras de quarentena aos jogadores que retornarem de países na lista vermelha do Reino Unido

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, emitiu um comunicado pedindo que clubes ingleses e espanhóis liberem os jogadores para cumprir o calendário de seleções de setembro e também fez um apelo para que o primeiro-ministro britânico Boris Johnson abra uma exceção nas regras de quarentena para os atletas que precisarem retornar após defenderem os seus times nacionais em países inclusos na lista vermelha.

Na última terça-feira, a Premier League anunciou uma decisão “relutante, mas unânime” de não liberar 60 jogadores que viajariam para 26 países que estão na lista vermelha do Reino Unido, o que significa que teriam que fazer quarentena de 10 dias ao voltar para o país. A Football League, responsável pelos campeonatos de segunda à quarta divisão, tomou a mesma decisão. Isso inclui todas as seleções da Conmebol.

Incomodada com a “decisão unilateral” da Fifa de expandir a janela internacional da Conmebol de nove para 11 dias, um pedido para abrigar um terceiro jogo após atrasos ao calendário causados pela pandemia, La Liga anunciou que apoiaria “a decisão dos clubes espanhóis de não liberar seus jogadores pertencentes às seleções para a convocação da Conmebol” e também prometeu tomar ações legais.

“Peço uma demonstração de solidariedade de todas as federações associadas, todas as ligas e todos os clubes, que façam o que é certo e justo para o esporte global. Muitos dos melhores jogadores do mundo competem em ligas como as da Inglaterra e da Espanha, e acreditamos que esses países também têm responsabilidade de preservar e proteger a integridade esportiva das competições ao redor do mundo”, disse Infantino, em comunicado.

Dirigindo-se diretamente a Boris Johnson, Infantino sugeriu um esquema parecido ao que foi colocado em prática com VIPs para a final da Eurocopa em Wembley, quando autoridades da Fifa e da Uefa, além de executivos de patrocinadores e parceiros, puderam entrar na Inglaterra sem precisar fazer quarentena, mas eram submetidos a um rígido “código de conduta”, que exigia testes frequentes, restrições de movimento, hotéis designados e transporte privado.

“Sobre as restrições de quarentena na Inglaterra para jogadores retornando de países na lista vermelha, eu escrevi para o primeiro-ministro Boris Johnson e fiz um apelo pelo apoio necessário, especialmente para que jogadores não sejam privados da oportunidade de representar seus países em jogos eliminatórias da Copa do Mundo, que é uma das maiores honras para um jogador profissional”, acrescentou Infantino.

A decisão da Premier League terá um impacto importante na seleção brasileira, que, entre os últimos convocados, ficaria sem Alisson, Ederson, Thiago Silva, Fabinho, Fred, Gabriel Jesus, Raphinha, Richarlison e Roberto Firmino para a rodada tripla contra Chile, Argentina e Peru. Também afeta times com o Egito, que ficaria sem Mohamed Salah.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo