Itália

Junior Messias, 30 anos, contratado pelo Milan: “Em certo ponto, não acreditava mais que seria jogador”

Cinco anos depois de chegar à Itália para trabalhar, Junior Messias passou por todas as divisões até chegar à Serie A e a um gigante como o Milan

Jogar na Itália é um sonho para a maioria dos jogadores de futebol brasileiros. A liga viveu altos e baixos nas últimas três décadas, mas há muitos brasileiros que se apaixonaram pelo futebol europeu, e italiano em específico. Um desses foi Junior Messias, atualmente com 30 anos. Contratado pelo Milan neste último dia de janela de transferências, ele se emocionou em vestir a camisa de um clube, cinco anos depois de chegar à Itália sem nem ser jogador profissional. Saiu de entregador de eletrodomésticos e jogador amador a reforço de um dos maiores clubes do país em apenas cinco anos.

LEIA MAIS:
De entregador de eletrodomésticos a atacante de um gigante, Júnior Messias chega ao Milan
Da várzea ao primeiro gol no Campeonato Italiano em quatro anos: a incrível história do brasileiro Junior Messias

A história de Junior Messias é dessas de cinema. O jogador chegou na Itália há cinco anos e disse que não levou muito tempo para se adaptar à Itália. “Cheguei aqui e foi tudo diferente. Eu nunca deixei a minha cidade até vir para cá. Foi um mundo completamente diferente”, contou.

“Eu imediatamente me adaptei e comecei a trabalhar. Então, meu irmão, que me trouxe para cá, voltou ao Brasil depois de 30 ou 40 dias, mas eu fiquei. Em certo ponto, eu não acreditava mais nisso [em virar jogador profissional], eu jogava apenas por diversão. Não achava realmente que chegaria nesse nível. Nas ligas amadoras, você joga por 10 meses, então nos outros dois meses eu ia trabalhar e fazia entregas”, contou.

“Isso me fez ver os valores da vida e me ajudou muito. Se eu cheguei, foi porque eu trabalhei muito duro, sofri, diz sacrifícios. Quando você chega, precisa mostrar a si mesmo, aos outros, ao time, ao grupo, tudo junto”, continuou o brasileiro.

Em 2020, contamos a história de Junior Messias, que era estreante na Serie A. O meia, natural de Ipatinga, mostrava seu talento pelo Crotone e balançou as redes pela primeira vez na divisão mais alta da Itália. Jogador de futebol amador, ele só se profissionalizou aos 24 anos, em 2016.

Na temporada 2020/21, foi importante para o Crotone, com boas atuações, mas não impediu o rebaixamento do clube. Fez 36 jogos, marcou nove gols e fez quatro assistências. O suficiente para chamar a atenção do Milan, que precisava de um jogador dessa posição, que tinha Hakan Çalhanoglu como principal nome do time na temporada passada – o turco foi para a Internazionale.

“Quando eu vi a palavra ‘Milan’, fiquei empolgado. É o time do meu coração, o time que eu torci e estou empolgado por estar aqui”, contou Messias, que contou sobre como é viver o sonho de andar entre ídolos. “Paolo era um jogador excepcional e agora está fazendo um grande trabalho como diretor. Ele é uma pessoa exemplar. Ainda há Zlatan, um jogador extraordinário”.

“Eu aprendi a jogar nas ruas com amigos, algumas vezes até sozinho. Se tivesse espaço, eu chutava uma bola, fazia isso sozinho também. Foi algo bonito e o que eu gostei mais. Meus pais sempre me apoiaram, então minha família, minha esposa, meus filhos, me mudaram completamente”.

Para Junior Messias, jogar com atacantes como Olivier Giroud e Ibrahimovic facilita as coisas. “Jogar com eles torna tudo mais fácil. Eles fazem você entender, com seus movimentos, quando passar a bola”, disse o jogador.

“Sou humilde e trabalho pelo grupo e essa é a minha força. É preciso sacrifício, é preciso trabalho. Nunca pensei em chegar nesse nível”, continuou Messias. “Mas ano a ano, temporada por temporada, estava trabalhando para jogar na Serie D e quando cheguei na Serie B, estava trabalhando para aquela divisão. Os sonhos se tornam realidade, é preciso acreditar neles”.

Junior Messias será uma das grandes histórias para se acompanhar na temporada. O jogador mostrou qualidade em um clube menor e terá a chance de atuar com uma das camisas com mais história no futebol europeu e mundial. Talento e força de vontade o brasileiro já mostrou que tem.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo