Itália

Tem como não gostar de um goleiro que marca um gol nos acréscimos para salvar o time?

Os goleiros são frequentemente personagens de atos dramáticos no futebol. Às vezes, por terem cometido uma falha daquelas terríveis que nos deixam até com dó do arqueiro (ou com raiva, quando é do seu time). Também são personagens que ganham ares épicos nas disputas por pênaltis, quando eles estão sempre em desvantagem em relação ao cobrador. Mas a categoria que talvez seja mais emocionante envolvendo goleiros seja mesmo a dos gols marcados por eles no último lance da partida, em escanteios desesperados. Foi o que aconteceu no lance que você verá a seguir.

CLÁSSICO: Belos gols, dribles incríveis, ânimos exaltados: Juve e Inter fizeram um dérbi eletrizante
RIVALIDADE: A possível traição de Neto já começou a ser condenada pela torcida da Fiorentina
ZEBRA: Outra vez o Sassuolo aprontou contra o Milan, e virou com dois lindos gols

O Gubbio recebeu o Grosseto em casa em jogo pela Serie C1, Grupo B, equivalente à terceira divisão do Campeonato Italiano. Aos 43 minutos do segundo tempo, os visitantes conseguiram um gol com Luca Verna, o que dava ares de vitória. Só que o jogo só termina quando acaba, já dizem os filósofos do futebol. E em um escanteio aos 46 minutos, naquele momento que os narradores antigos chamavam de “apagar das luzes”, o goleiro Antonny Iannarilli foi para a área. É evidente que se estamos falando disso, é porque você sabe o que aconteceu.

De cabeça, Ianarilli marcou o gol de empate do Gubbio e, como é de se esperar de qualquer cidadão nesta situação, saiu correndo, comemorando loucamente o feito que conseguiu. Gubbio e Grosseto nem fazem campanhas assim tão boas – são sexto e sétimo colocados, respectivamente -, mas o futebol tem esses momentos que valem demais. Eis aí o gol:

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo