Itália

Giroud: “O Milan me fez sonhar. Shevchenko era meu jogador favorito na adolescência”

Atacante, de 34 anos, elogiou muito a história do Milan e sonha em fazer um bom papel na Champions e conquistar o Scudetto

O Milan chegou a sonhar com o título italiano, o Scudetto, na temporada passada. Até a virada do ano, os rossoneri eram líderes. Acabaram perdendo rendimento, tiveram lesões, mas acabaram em segundo lugar, atrás apenas da rival Inter. Desta vez, o sonho é mais alto. Terá um reforço que já sonhou muito com o Milan. Olivier Giroud foi anunciado neste sábado e contou que admirava o clube e seus jogadores, como Jean-Pierre Papin, Marco Van Basten e Andriy Shevchenko, que era o seu maior ídolo.

Giroud estava no Chelsea e se despediu do clube na última sexta. Ele chegou a Milão na quinta-feira, fez os exames médicos na sexta-feira para ser, enfim, anunciado neste sábado. Será o sétimo clube na sua carreira e ele chega à Itália depois de nove anos jogando na Inglaterra. Ele conquistou alguns títulos importantes na carreira, como a Ligue 1 pelo Montpellier, quatro títulos de Copa da Inglaterra (três pelo Arsenal, uma pelo Chelsea), uma Liga Europa e uma Champions League pelo Chelsea. Além, claro, de ter sido campeão mundial com a seleção francesa na Copa do Mundo de 2018.

“Eu ainda me sinto um garoto aos 35 anos, ou quase 35 anos”, afirmou Giroud, que faz aniversário em setembro, em entrevista à MilanTV. “Quando eu era mais novo, admirava Jean-Pierre Papin, Andriy Shevchenko e obviamente Paolo [Maldini]. Este time me fez sonhar. Eu também sou um grande fã de Marco van Basten. Então, muitos jogadores atuaram por este clube enorme na Europa. O Milan tem uma grande história na Europa e é por isso que eu queria vir para este clube”, disse o atacante.

“Também para jogar a melhor competição na Europa, a Champions League, e espero conseguir grandes coisas com o time. Eu estarei mais perto da minha família também, porque eu venho de Grenoble. Eu estou realmente muito empolgado, estou ansioso pelo primeiro jogo”.

“Eu me sinto abençoado em ter a oportunidade de ganhar troféus, jogar por grandes clubes. Eu acho que o Milan é um clube que merece jogar no mais alto nível. Brigar pelo Scudetto na Serie A e ter um grande torneio pela Champions League também. Nós queremos jogar em todas as competições, eu sei que tem a Copa da Itália também, que é muito importante para os tifosi”, disse o jogador.

“Eu falei com Fik [Fikayo Tomori] algumas semanas atrás e ele me disse: ‘Nós estamos esperando por você para nos ajudar a ganhar o Scudetto’. Eu não quero colocar muita pressão em ninguém, mas nós obviamente queremos ser os protagonistas”.

“Tenho orgulho das minhas raízes italianas”

O jogador também contou que têm raízes italianas. “É verdade que as minhas duas avós eram italianas. Eu tenho muito orgulho das minhas origens italianas, porque eu aprendi italiano na escola, eu amo o país. A gastronomia é incrível, só um pouquinho atrás da francesa, mas ainda é muito boa. Eu estou ansioso para descobrir os hábitos, a língua, a cidade, ir a passeios turísticos com a minha família”, disse

Shevchenko como ídolo

“Eu estou muito orgulhoso de poder jogar pelo Milan e na Serie A. Um campeonato que eu admirava quando era mais novo. Eu sempre me senti orgulhoso porque o meu jogador favorito quando eu era adolescente era Sheva. E tenho sorte em ter a oportunidade de jogar, como ele, por este enorme clube e escrever história. E eu realmente espero que eu possa fazer isso, é por isso que estou aqui”.

“Sonhava em ganhar uma Copa do Mundo”

Giroud foi perguntado sobre um jogo inesquecível da sua carreira. “Um jogo que é fácil de lembrar, que eu não esqueço, é a final da Copa do Mundo. Quando era pequeno, eu sonhava em ganhar uma Copa do Mundo, como muitas crianças. Foi uma grande conquista e é claro que eu me sinto muito orgulhoso e abençoado”, respondeu o francês.

“Quando Lloris se aposentar, Maignan será titular da França”

Mike Maignan foi contratado para o lugar de Gianluigi Donnarumma, que deixou o Milan e foi para o PSG. O goleiro foi campeão pelo Lille na Ligue 1 e foi muito elogiado pelo compatriota. “Eu falei com Mike Maignan sobre a vinda para o Milan. Quando Hugo Lloris parar, eu acho que ele se tornará o titular da França. Ele é muito talentoso, eu acredito que temos um time forte este ano. Eu espero que o time melhore e que sempre posamos dar o nosso melhor para alcançar nossos objetivos”, declarou ainda o jogador.

Uma parceria com Ibrahimovic?

No Milan ele será parceiro de Zlatan Ibrahimovic, que tem 39 anos e tem sido o principal destaque do time desde que voltou ao clube, em janeiro de 2020. Giroud está ansioso para jogar com o atacante, já que, em campo, os dois já se enfrentaram algumas poucas vezes.

“Eu joguei contra Zlatan algumas vezes. Estar jogando com quase 40 anos, eu acho que ele é um profissional excepcional. Você não pode jogar até essa idade, desse jeito, sem um grande comprometimento pelo time e com grande determinação. Ele está se cuidando e cuidando do seu corpo. Eu tentarei fazer o mesmo para continuar a aproveitar o futebol enquanto o meu corpo me permitir”.

“Eu acho que ele é um exemplo para os mais jovens, ele é um dos melhores atacantes da Serie A e estou ansioso para jogar ao lado dele. E aproveitar o treinamento também, eu acho que nós iremos nos divertir”, continuou Giroud. “Eu quero apenas conquistar algo pelo Milan, e com Zlatan é ainda melhor”.

A conversa com Stefano Pioli

“Quando eu falei pela primeira vez com o senhor Pioli, ele foi muito simples e natural. Nós tivemos uma conversa bastante honesta. Nós estávamos falando sobre táticas e futebol em geral. Eu gosto do modo como ele está pensando futebol e das suas ideias”.

“Eu estava acompanhando o Milan no último ano e ele obviamente tiveram uma grande temporada, também por causa de Pioli, que fez um grande trabalho. Eu estou realmente ansioso para começar a treinar”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo