Inglaterra

[Vídeo] Para homenagear a Copa do Mundo de Rúgbi, Pellè comemorou seu gol com um “try”

Vitória do Chelsea no clássico com o Arsenal, virada espetacular do Manchester United, perda de invencibilidade do Manchester City, tropeço do Liverpool. A rodada do final de semana na Premier League foi bastante interessante. Mesmo assim, apenas um assunto secundário no noticiário esportivo local. Afinal, o grande assunto é mesmo a Copa do Mundo de Rúgbi, pela primeira vez com a maioria dos jogos realizada exclusivamente nos estádios ingleses – em 1991, o país foi uma das quatro sedes, enquanto recebeu alguns jogos em 1999. Por isso mesmo, é até natural que o assunto respingasse sobre o futebol. E aconteceu no jogo mais emocionante do domingo, na vitória do Manchester United sobre o Southampton.

VEJA TAMBÉM: Martial justifica a aposta e comanda a virada do United no jogaço contra o Southampton

Graziano Pellè não deveria estar tão contente assim com o resultado de sua Itália, que tomou um vareio da França na estreia do Mundial. Mesmo assim, homenageou o evento ao anotar o seu primeiro gol, abrindo a contagem: saiu correndo à linha de fundo e, com uma bola imaginária, anotou o seu try. “Placar moral” de 7 a 3 para o Southampton, que não ajudou tanto na realidade para evitar a derrota por 3 a 2 para os Red Devils.

Embora fosse um dos estádios pré-selecionados, o St. Mary’s não foi uma das sedes escolhidas para a Copa do Mundo de Rúgbi. Mesmo assim, outros tradicionais palcos do futebol também receberão os jogos da bola oval: St. James’ Park (Newcastle), Villa Park (Aston Villa), Etihad (Manchester City), King Power (Leicester), Elland Road (Leeds), Denbigh (MK Dons), Falmer (Brighton), Olímpico de Londres (West Ham) e Millenium (seleção galesa). Já neste domingo, o Wembley, tradicional palco da seleção inglesa de futebol e da final das copas, recebeu a estreia da favorita Nova Zelândia – que venceu a Argentina.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo