Inglaterra

Vem aí o professor John Terry: ex-jogador deixa de ser assistente no Aston Villa com foco em ser técnico

Ex-zagueiro do Chelsea era assistente técnico e, aos 40 anos, quer se preparar para ser o técnico principal de uma equipe

John Terry deixou o seu posto de assistente técnico no Aston Villa, clube onde estava desde 2017. A ideia do ex-jogador do Chelsea ter um tempo com a família e se preparar para ser o técnico principal de uma equipe. Aos 40 anos, Terry acredita que chegou o momento de tomar essa decisão pela sua carreira.

LEIA TAMBÉM: Depois de dez anos, será interessante ver o retorno de Ashley Young ao Aston Villa, onde viveu seu auge

O Aston Villa foi o seu último clube como profissional. Na temporada 2017/18, foram 32 jogos disputados pelo zagueiro no time. Ele chegou ao clube em 2017 para sua última temporada como jogador profissional na temporada 2017/18 e depois passou para a comissão técnica de Dean Smith como assistente. Encerrou uma carreira gloriosa e como capitão do Villa.

“Foi uma tremenda honra e privilégio passar esses três anos no Aston Villa, mas eu sinto que agora é o momento certo para tomar a decisão extremamente difícil de seguir em frente. Eu quero ser o mais respeitoso possível com o técnico e todo mundo no Aston Villa, depois de pensar seriamente no meu futuro ao longo do verão, eu genuinamente não sinto que é um movimento justo entrar em uma nova temporada sem estar certo de ir até o fim”, afirmou Terry em comunicado no site do clube.

“Meu plano imediato é ter um tempo de qualidade com a minha família e, depois disso, espero receber alguns convites para visitar clubes e técnicos ao redor da Europa para desenvolver o meu objetivo de me tornar técnico”, continuou Terry. “Sempre foi a minha ambição seguir como técnico de futebol e, se surgir a oportunidade certa, me sinto pronto para enfrentar o desafio”.

“Eu estou decepcionado em perder John como parte da minha equipe técnica, mas eu entendo completamente e respeito sua decisão. John teve um grande papel no sucesso deste clube nos últimos anos e tem me apoiado muito durante todo esse período. Não tenho dúvidas que ele se tornará um técnico de primeira linha por seus próprios méritos e desejo a ele o melhor para o futuro”.

LEIA TAMBÉM: Novamente destaque em um acesso do Norwich à Premier League, Buendía dá salto de patamar para o Aston Villa

John Terry foi um jogador de prestígio no futebol inglês. Marcou época como jogador e capitão do Chelsea. Formado nas categorias de base do West Ham, foi para os Blues ainda na base e estreou pelo time principal em 1999. Chegou a ser emprestado ao Nottingham Forest por dois meses em 2000, mas seria mesmo no Chelsea que ele escreveria uma grande história. Foram 713 jogos, 67 gols marcados, 29 assistências e muitos, muitos títulos. Conquistou três vezes a Premier League, cinco vezes a Copa da Inglaterra, três vezes a Copa da Liga, uma vez a Liga Europa, três vezes a Supercopa da Inglaterra e uma vez a Champions League.

O episódio mais controverso da sua carreira aconteceu meses antes da Copa do Mundo de 2010. Capitão da seleção dirigida por Fabio Capello na época, Terry teria se envolvido com a ex-namorada de Wayne Bridge, seu antigo colega de Chelsea. O episódio acabou com a amizade entre os dois, além de ter feito o zagueiro perder a braçadeira de capitão da seleção, que passou a Rio Ferdinand.

Deixou o Chelsea em 2017, já veterano, para jogar pelo Aston Villa. Por lá começou a carreira de técnico como assistente de Dean Smith. Agora, dá o passo para tentar seguir adiante, como o antigo colega de Chelsea, Frank Lampard, que já treinou Derby County e Chelsea.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo