Quando o Tottenham conquistou o título da Copa da Liga em 2008, a impressão era que o clube estava voltando aos seus melhores tempos. O time de Juande Ramos levantou aquela taça com uma vitória sobre o Chelsea por 2 a 1 e gols de Dimitar Berbatov e Jonathan Woodgate (Didier Drogba marcou pelo Chelsea). O que poderia ser um momento de renascimento do time virou um distante título neste ano de 2021. Nove anos depois, o time, dirigido por José Mourinho, algo impensável naquela época, terá a chance de voltar a conquistar um título. A equipe do português venceu o Brentford por 2 a 0 na semifinal da Copa da Liga e espera por Manchester United ou Manchester City na final.

LEIA TAMBÉM: [It’s A Goal] A curiosa tradição do Tottenham: os títulos em anos terminados em 1

O time de 2021 do Tottenham é melhor do que aquele de 2008, em praticamente todos os aspectos. O patamar dos Spurs mudou desde então. A equipe se tornou mais frequente na Champions League, briga mais no alto da tabela. Passou até a superar com frequência o rival Arsenal na tabela da Premier League, algo que era motivo de piada. O período sob o comando de Mauricio Pochettino foi de crescimento do clube, com direito até a chegar a uma final de Champions League. Faltou um título, porém.

José Mourinho foi contratado exatamente por isso. Era um técnico disponível naquele final de 2019, é verdade, mas além disso, é um técnico que tem uma cartela de títulos respeitável. Em todos os clubes que esteve desde o Porto, sempre levantou ao menos uma taça. E normalmente, consegue mais de uma. Depois de uma temporada em que conseguiu uma melhora no time, mas teve momentos de altos e baixos, terminou em sexto na tabela de classificação. Ficou com uma vaga na Liga Europa, fora da Champions.

DIRETO DO ARQUIVO, EM 2008: A Inglaterra comemora com o Tottenham

Nesta temporada, o Tottenham está brigando mais acima na tabela, facilitado também pelo desempenho mais comum de Liverpool e Manchester City, que protagonizaram campanhas fantásticas na temporada passada. Em quarto lugar na tabela, a quatro pontos dos dois times na ponta, há uma chance de brigar até pelo título. Só que o primeiro título a ser decidido na Inglaterra é o da Copa da Liga. A final será no dia 25 de abril e poderá marcar o fim de um jejum que incomoda muito o Tottenham.

A partida contra o Brentford foi absolutamente controlada. A equipe da segunda divisão não conseguiu ser uma ameaça aos comandados por Mourinho em nenhum momento. Logo aos 12 minutos, o lateral Sergio Reguillón fez um cruzamento preciso para a área e o meia Moussa Sissoko tocou de cabeça, sozinho, para marcar 1 a 0.

Os grandes destaques do Tottenham, porém, são os seus atacantes. Harry Kane não fez um grande jogo, é verdade, mas é uma ameaça constante, se posiciona e preocupa os adversários. Já Heung-min Son mais uma vez foi muito bem. O jogador foi o autor do segundo gol, em uma jogada rápida que combinou boa presença ofensiva de Kane com um bom passe de Ndombélé e finalizada com a velocidade de Son. Um belo gol, aos 25 minutos do segundo tempo, que deixou a situação muito mais tranquila para o clube de Londres.

Mesmo sem conseguir atacar muito contra um Tottenham bem posicionado e seguro na defesa, o Brentford até chegou a ameaçar o empate. Depois de uma cobrança de escanteio, Ivan Toney aproveitou um desvio para tocar de cabeça para o gol. O tento foi invalidado por impedimento, após checagem do VAR. O time não teve mais chances de marcar depois disso.

A missão do Brentford já era altamente improvável, mas ficou quase impossível aos 39 minutos. Joshua Da Silva deu uma entrada duríssima sobre Pierre-Emile Hojbjerg, que deixou marcas na canela do dinamarquês. O árbitro foi chamado pelo VAR, reviu o lance e voltou para expulsar o jogador.

Nesta quarta-feira, o Manchester United enfrenta o Manchester City em Old Trafford para definir quem será o outro finalista. Jogo único com os dois rivais de cidade se enfrentando e buscando também uma chance de título. O vencedor estará em Wembley junto com o Tottenham, no dia 25 de abril.

Para o Tottenham de Mourinho, o título teria um peso imenso. Especialmente porque o técnico saiu em baixa do Manchester United, embora sua saída tenha mostrado que ele não era exatamente o único problema dos Diabos Vermelhos. Aliás, seria um molho para lá de picante se a final for justamente contra o Manchester United e ele tirar um título de Ole Gunnar Solskjaer, sendo que foi o próprio Mourinho o último a conquistar uma taça pelo time vermelho de Manchester.

Ficha técnica