Inglaterra

Stoke precisou apenas aproveitar os erros infantis do Arsenal para fazer três gols em 45 minutos

Uma rápida análise na lista de inscrição do Arsenal no Campeonato Inglês em setembro faria um torcedor mais prudente ter calafrios. Havia apenas cinco jogadores de defesa adultos inscritos, sem contar Calum Chambers, 19 anos, e os jovens das categorias de base do clube, que Wenger pode usar à vontade. Nenhum dos nomes (Debuchy, Gibbs, Mertesacker, Koscielny e Monreal) são incontestáveis. O cobertor curto fica ainda mais arriscado no Emirates, onde as lesões são tão comuns quanto garoa em Londres.

LEIA MAIS: Desde 1987: inglês prepara-se para ver o 1.507º jogo seguido do seu time no estádio

Três meses depois, e todos os medos do torcedor prudente viraram realidade. O Arsenal encontrou em Alexis Sánchez um atacante decisivo, mas perdeu qualquer solidez, e o auge da fragilidade defensiva pode muito bem ter sido este sábado, quando sofreu três gols em 45 minutos do Stoke City e foi derrotado por 3 a 2 (reagiu no segundo tempo). Foi vazado 18 vezes em 15 rodadas, mais que qualquer outro clube entre os seis primeiros da Premier League, e os últimos erros foram simplesmente infantis.

No primeiro minuto de jogo, o cruzamento do Stoke veio pela direita, Chambers errou espetacularmente o tempo de bola na tentativa de corte, e Hector Bellerin escorregou. No chão, ainda tentou fazer o desarme, cortar a bola ou, na verdade,o que fosse possível, mas Crouch recolheu e abriu o placar.

O segundo foi marcado por Bojan, e o problema do Arsenal foi a física: tempo e espaço. Havia um buraco entre as duas partes da defesa, pelo qual o espanhol apareceu na velocidade da luz. Mas pode ter sido apenas uma aparência porque Mertesacker o acompanhava apenas com os lhos. Sem tirar os méritos do atacante, que pegou muito bem na bola:

O gol de Jonathan Walters já entra na cota de desespero. Em bola levantada na área, cinco jogadores do Arsenal tentaram marcar dois jogadores do Stoke e fracassaram. Quatro, inclusive, fizeram o mesmo movimento e se aproximaram do ponto final do cruzamento ao mesmo tempo. Nenhum conseguiu interceptar. Walters pegou a escorada debaixo da trave e não perdoou:

O Arsenal não vence o Campeonato Inglês desde 2004, o time do Invictos. Cada temporada é uma história, e o problema de 2014/15, que impede o time de pelo menos desafiar os líderes, é a defesa. Wenger prometeu ir ao mercado em janeiro para aumentar as opções defensivas e deve remediar a situação para tentar  ficar pelo menos em quarto lugar. Mais uma vez.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo