Ao converter um pênalti contra a Suíça, Wayne Rooney entrou para a como o maior artilheiro da seleção inglesa, com 50 gols, um a mais que Bobby Charlton. Ao voltar aos vestiários de Wembley, foi festejado pelos companheiros, ganhou uma camisa especial e deu um discurso bem meia-boca, agradecendo os companheiros, falando da sua emoção e tudo mais. Mas o atacante do não foi o único a receber esse tratamento essa semana.

LEIA MAIS: Gibraltar perdeu de 8×1 da Polônia, mas manteve sua honra com um belo gol no único que fez

Voando sob o , Jake Gosling também tornou-se o homem que mais marcou gols pela sua seleção na última data Fifa. Marcou o gol solitário de Gibraltar na derrota por 8 a 1 para a e chegou à incrível marca de dois desde que o pequeno país foi aceito pelo futebol internacional. Ele também havia marcado no empate por 1 a 1 com a , ano passado. No total, Gibraltar soma cinco na rede em 13 partidas. Roy Chipolita, Kyle Casciaro e Lee Casciaro foram os outros algozes.

Gosling não recebeu festa no vestiário da seleção, mas no do seu clube, o Bristol Rovers, da quarta divisão da Inglaterra. Afinal, com exceção de Jermaine Easter, com algumas partidas por País de Gales, é o único jogador de seleção do elenco. Foi aplaudido por todos os companheiros, que fizeram uma bem-humorada festa. O técnico Darrell Clarke lhe deu os parabéns pelo feito e o presenteou com uma camiseta, branca, com o número 2 escrito à caneta.

A festa foi mais divertida, mas ninguém disse que foi mais glamorosa.