Inglaterra

Com Rodri em campo, Manchester City é invencível há um ano – e isso não é mera coincidência

Rodri alcançou uma marca histórica no Manchester City, que não sabe o que é perder quando tem seu volante dentro de campo há um ano

Futebol é coletivo. Isso todo mundo sabe. Contudo, algumas individualidades acabam se destacando. Esse é o caso de Rodri, que acumula a incrível marca de um ano sem perder enquanto esteve em campo pelo Manchester City. Ao todo, são 53 jogos, 42 vitórias e 11 empates para os Citizens com a presença do volante. Nesse período, o espanhol ajudou Pep Guardiola e companhia a conquistarem cinco títulos:

A Tríplice Coroa em 2022/23 (Champions League, Premier League e Copa da Inglaterra), além da Supercopa da Uefa e do Mundial de Clubes. A última derrota do Manchester City com Rodri aconteceu no dia 5 de fevereiro de 2023, quando o Tottenham ganhou por 1 x 0, em casa, pela 22ª rodada daquele Campeonato Inglês. À época, os Citizens estavam cinco pontos atrás do então líder Arsenal.

Além do feito em todas as competições, o volante conseguiu um recorde no Manchester City, chegando a 35 rodadas sem perder na Premier League. Rodri foi eleito o melhor jogador da última Liga dos Campeões (quando inclusive fez o gol do título) e do Mundial. O próprio técnico dos Citizens não escondeu a importância do espanhol para seu time titular:

“Todo mundo fala de Haaland, mas sem Rodri isso não teria sido possível”.

Rodri estendeu sua invencibilidade no Manchester City no último domingo (4), quando o Manchester City venceu o Brentford por 3 x 1, fora de casa, pela 23ª rodada deste Campeonato Inglês. Por mais que seja óbvio, a sequência fenomenal dos Citizens com o volante não é mera coincidência. Entenda o papel do espanhol com Guardiola e como ele faz a diferença.

Rodri é o coração do Manchester City

Nesses 365 dias, o Manchester City perdeu cinco partidas oficiais – para o Brentford (pela Premier League 2022/23), Wolverhampton, Arsenal, Aston Villa (os três nesta edição do campeonato) e Newcastle (pela Copa da Liga Inglesa). Em todos esses jogos, Rodri não entrou em campo. Isso é uma prova do porquê o volante é o coração dos Citizens.

Segundo o jornal Marca, o espanhol disputou 19 partidas nesta temporada, marcando cinco gols e distribuindo três assistências. Ou seja, Rodri se tornou um dos destaques ofensivos do Manchester City em 2023/24, chegando mais perto da grande área adversária e criando grandes chances. Em um ano sem derrota pelos Citizens, o volante já balançou as redes nove vezes.

Mais do que isso, o jogador de 27 anos é responsável por fazer a transição da defesa para o ataque, sendo o elo de ligação no meio-campo. Não à toa, o volante tem uma taxa de acerto de 92,2% dos passes nesta temporada, ocupando vários setores do gramado. Além de trazer equilíbrio para o Manchester City, o espanhol também é fundamental nas roubadas de bola, tanto que já recuperou 138 bolas em 2023/24:

“É difícil substituí-lo. Não vou negar o quão importante ele é”, declarou Pep Guardiola.

A dependência de Rodri é sentida quando ele não pode jogar, tanto que os Citizens apresentam dificuldades nos quesitos citados anteriormente. A ausência do volante no top-3 dos melhores jogadores no último The Best foi uma surpresa, mas ele ter ficado de fora da seleção do ano da Fifa chega a ser um escárnio – principalmente com Lionel Messi (quem diria) conquistando uma vaga apesar de não ter merecido.

Em entrevista à agência de notícias espanhola EFE, Rodri deixou claro que esse reconhecimento individual não o importava, pois “os títulos coletivos” o satisfaziam. Após a vitória sobre os Bees, o volante deixou claro que quer dar a resposta dentro de campo nos Citizens. E isso já é mais do que suficiente para deixar o Manchester City muito feliz:

“Procuro sempre dar o meu melhor. Este é um clube onde, obviamente, você vai perder algumas vezes ao longo do ano. Mas uma das coisas que mais me orgulha é ter crescido nesse aspecto, entender o que o é o meu papel e onde mais posso ajudar a equipe. Nisso e no trabalho de contenção, de limitar ao máximo as armas do adversário. E isso significa que sofremos poucas derrotas, por assim dizer”.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo o futebol. Por mais redundante que seja, ama escrever sobre o que é apaixonado, ficando de olho em tudo o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo