Premier League

O bagunçado Manchester United fechou 2023 sucumbindo diante do novo Forest de Nuno Espírito Santo

Manchester United, que vinha de vitória heroica no Boxing Day, não igualou a intensidade do Nottingham Forest e foi derrotado por 2 a 1

O Nottingham Forest, agora sob o comando de Nuno Espírito Santo, vai passar a virada do ano com um bom presságio e mais distante da zona de rebaixamento da Premier League. Depois de estrear sendo derrotado pelo Bornemouth, o técnico português viu seu time conseguir seis pontos importantíssimos e talvez improváveis nas vitórias contra o rico Newcastle e, neste sábado (30), diante do inconstante e bagunçado Manchester United.

Com a vitória, o Forest abre cinco pontos para o Luton Town, primeiro dentro da zona de rebaixamento. O United, por sua vez, frustra a sua torcida e não consegue embalar nem mesmo após a vitória heroica contra o Aston Villa no Boxing Day.

Os donos da casa começaram o jogo em cima. Antes do primeiro minuto, Nicolás Domínguez recebeu na área e bateu de primeira, mas a zaga do United conseguiu tirar para escanteio. Logo na sequência, Chris Wood, animado pelo seu hat-trick na rodada passada, bateu de fora da área e assustou Onana.

O United até tentava ficar com a bola e dominar as ações, mas não conseguia frear o ímpeto do Forest. O ex-palmeirense Danilo e o argentino Domínguez levaram perigo ao gol dos visitantes em arremates quase que seguidos.

Um dos principais escapes do Forest no ataque era justamente Anthony Elanga, um ex-United. Foi ele que escapou e acionou Yates, que bateu de fora da área e mais uma vez ameaçou tirar o zero do placar.

Só depois dos 30 minutos foi que o United conseguiu criar uma real chance de perigo. Eriksen achou Wan-Bissaka, que arriscou de longe e deu um susto em Turner. Anthony, que vem sendo muito criticado pela sua má temporada, até tentava costurar jogadas individuais pelos lados, mas sofreu com a marcação muito concentrada do Forest.

Segundo tempo teve mais iniciativa e intensidade de ambas as equipes

Na volta dos vestiários, Ten Hag promoveu a entrada de McTominay no lugar do jovem Mainoo, que teve atuação muito apagada na etapa inicial. Pouco depois, antes dos 10 minutos da segunda etapa, o treinador holandês foi obrigado a realizar outra alteração: Antony sentiu e deu lugar a Amad Diallo. O brasileiro encerra o ano com apenas um gol em 33 partidas de Premier League.

A melhor chance do jogo até o momento veio logo depois da alteração e foi criada pelos visitantes. Wan-Bissaka escapou pela direita e rolou para Dalot, que bateu firme de fora da área e acertou em cheio a trave.

A etapa final teve, desde o início, muita velocidade, mas também muita tensão. Por diversas vezes, jogadores do Forest e do United discutiram asperamente logo após faltas marcadas. Dalot, Varane e Gibbs-White tomaram cartões seguidos, fato que não bastou para que a temperatura abaixasse no gramado.

Protagonistas argentinos e redenção de goleiro marcam etapa final

Os argentinos acabariam se tornando os protagonistas do duelo. Isso porque, aos 20 minutos do segundo tempo, Gonzalo Montiel – que vem ganhando espaço no Forest desde o Boxing Day – achou o compatriota Domínguez na área, um dos jogadores mais agudos dos donos da casa no duelo. Ele teve tempo para escolher o canto e bater com força para vencer Onana.

Pressionado na temporada, o United tentou uma resposta rápida e conseguiu. A equipe de Ten Hag pressionou a saída de bola do Forest e acabou vendo o goleiro Turner errar duas vezes na sequência. Na primeira, o arqueiro ainda conseguiu ficar com a bola. Na segunda, aos 33 minutos, ele deu nos pés de Garnacho, que dominou, invadiu a área e rolou para Rashford, livre, empatar a partida.

A redenção de Turner viria menos de cinco minutos depois. O goleiro norte-americano impediu a segunda assistência de Garnacho na partida. O jovem acionou Erikesen, que arrematou com força e parou em linda defesa de Turner. Na sequência, o Forest saiu em um contra-ataque fulminante.

O sempre agudo Elanga conseguiu escapar livre pela direita e achar Gibbs-White que, também com muita liberdade, pode escolher o lado e anotar o segundo para a festa geral dos comandados de Nuno Espírito Santo.

Com tantas paralisações na segunda etapa, o árbitro Tim Robinson deu dez minutos de acréscimos. Aos 95, o United teve uma grande chance para empatar. Bruno Fernandes bateu de fora da área e parou em ótima defesa de Turner, que definitivamente foi do inferno ao céu em apenas 45 minutos.

Foto de Lucas Tomazelli

Lucas Tomazelli

Apaixonado por futebol desde as primeiras memórias de infância, Lucas é formado em jornalismo pela USP. Antes de integrar a equipe da Trivela, atuou na Jovem Pan Online, Grupo Bandeirantes de Comunicação e Yahoo Notícias Brasil.
Botão Voltar ao topo