Inglaterra

Consultor de arbitragem do Forest pede demissão após polêmica na Premier League

Mark Clattenburg deixa o cargo alegando que sua função estava sendo um obstáculo para o clube

Contratado em fevereiro como Consultor de Arbitragem do Nottingham Forest, Mark Clattenburg, de 49 anos, renunciou ao seu cargo nesta sexta-feira (3), admitindo que sua função no clube estava “mais atrapalhando do que auxiliando o clube”. Ex-árbitro da Premier League, o conselheiro tinha como atribuições auxiliar os jogadores e funcionários a entender melhor sobre o funcionamento do árbitro de vídeo (VAR), e ajudá-los a compreender como as decisões em campo são tomadas.

Contudo, o que era para ser um trabalho didático, se tornou um problema nos bastidores do Nottingham Forest. A presença de Clattenburg como Consultor de Arbitragem gerou polêmica em meio a uma série de decisões dos árbitros em campo que prejudicaram o clube, principalmente em uma partida diante do Everton, na qual três pênaltis não foram marcados em favor do Forest.

Segundo informações do jornal britânico Daily Mail, a contratação de um ex-árbitro da Premier League para o cargo teria causado um desgaste entre o Forest e o órgão responsável pela arbitragem dos jogos em todo o território inglês (PGMOL).

Clattenburg anunciou oficialmente a sua saída do Nottingham Forest, afirmando que realizou seu trabalho utilizando todos os preceitos da boa-fé, e na expectativa de usar sua experiência como árbitro para auxiliar o clube a entender como as decisões do VAR funcionam dentro da Premier League. Entretanto, considerou ser o momento de sair, pois seu serviço estaria causando um atrito, não intencional, entre a equipe e demais clubes, se tornando mais um obstáculo do que uma ajuda ao time.

“Realizei meus serviços sob o contrato de consultoria de boa fé, da melhor forma possível e na esperança de usar minha vasta experiência como árbitro para ajudar a NFFC a entender como as decisões em relação a incidentes importantes são tomadas em meio ao funcionamento do VAR.

No entanto, agora está claro que a existência e a atuação desses serviços de consultoria causaram atritos não intencionais entre a NFFC e outros participantes, na medida em que se tornaram mais um obstáculo do que uma ajuda à NFFC”, disse Clattenburg em comunicado.

Confronto diante do Everton foi estopim para crise

O jogo no qual o Nottingham Forest mais reclamou da arbitragem foi o confronto direto contra o rebaixamento diante do Everton, realizado no dia 21 de abril (domingo). Na ocasião, o Forest reclamou de três decisões da arbitragem, alegando que o VAR responsável pelo jogo, Stuart Attwell estava de alguma forma beneficiando o Luton, outro candidato ao rebaixamento.

No jogo em questão, o Nottingham foi derrotado pelo placar de 2 a 0, com três pênaltis não marcados em Goodison Park, e sem revisão do VAR nas jogadas. Um dos fatores que preocupou ainda mais a diretoria do Forest, foi o fato de Attwell ser torcedor do Luton, segundo informa o Daily Mail. Howard Webb, chefe da PGMOL, disse esta semana que ao menos um dos pênaltis deveria ter sido marcado.

O dono do Nottingham Forest, o grego Evangelos Marinakis, fez um post nas redes sociais criticando veementemente a atuação da arbitragem. O mandatário fez um pedido à PGMOL para não escalar Stuart Attwell para o confronto diante do Everton, alegando que seria torcedor do Luton, e poderia prejudicar o andamento do jogo.

“Três decisões extremamente ruins – três pênaltis não dados – que simplesmente não podemos aceitar. Avisamos o PGMOL que o VAR é torcedor do Luton antes do jogo, mas eles não o mudaram. Nossa paciência foi testada várias vezes”, disse o dono do Forest em publicação.

Premier League convoca as partes para prestar esclarecimentos

Mark Clattenburg, analisou os lances polêmicos do jogo entre Nottingham Forest e Everton em uma coluna do Daily Mail. Em seu texto, o consultor chamou os erros cometidos de “piada”, fazendo fortes críticas ao trabalho do VAR, e também do árbitro FIFA Anthony Taylor, responsável pelo apito no dia 21 de abril.

“Um desses erros teria sido ruim o suficiente. Três foi uma piada, e é por isso que o Nottingham Forest se sentiu vitimizado após mais uma derrota em que nenhuma grande decisão no jogo foi ao seu favor”, escreveu Clattenburg em uma coluna do Daily Mail, após a polêmica vitória do Everton sobre o Forest.

A fala de Evangelos, bem como o texto de Clattenburg, não foram bem aceitos pelos responsáveis pelo futebol na Inglaterra. As partes foram convocadas pela Premier League, e também pela Football Association (FA) para prestar esclarecimentos a respeito dos últimos acontecimentos, e tem até a próxima semana para responder à convocatória.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo