Inglaterra

“Wembley do Norte”: o plano ousado de Sir Jim Ratcliffe para a reconstrução de Old Trafford

O magnata britânico quer que a casa do Manchester United se torne um local de classe mundial e que rivalize com o próprio Wembley

No final de dezembro, o Manchester United anunciou um acordo com o bilionário Sir Jim Ratcliffe, homem mais rico do Reino Unido, para adquirir 25% das ações do clube. Pois bem, desde então o magnata britânico tem trabalhado fortemente nos bastidores com intuito de recuperar o protagonismo dos Red Devils, tanto fora quanto dentro de campo. Dito isso, o novo acionista do time está pronto para se comprometer com um grande projeto de regeneração em Old Trafford, a fim de transformá-lo no “Wembley do Norte”.

O lendário estádio precisa urgentemente de investimento, tendo se desgastado sob a gestão da Família Glazer, ainda dona da maior parte das ações do United. Antes de tomar qualquer decisão sobre o projeto para o Old Trafford, Ratcliffe ainda precisa aguardar a ratificação de seu acordo que, como citado, prevê uma participação de 25% no clube de Manchester. No entanto, isso é questão de tempo e a tendência é que a Premier League assine tal permissão em breve.

O que Ratcliffe pretende fazer com o Old Trafford?

Enquanto espera o aval da Premier League, Jim Ratcliffe já começou a traçar os planos para o Manchester United. O diretor esportivo da Ineos, Dave Brailsford, é encarregado de fazer uma revisão dos departamentos focados no futebol dos Red Devils. Mas é importante salientar que o bilionário também está procurando maneiras de aperfeiçoar a infraestrutura do clube fora das quatro linhas. Além de investir em melhorias no campo de treinamento em Carrington, ele sonha com um grande projeto para Old Trafford.

Segundo o jornal britânico “The Telegraph”, Ratcliffe quer transformar o ‘Teatro dos Sonhos' em um local de classe mundial que rivalize com Wembley, principal casa do futebol inglês. Na cabeça do magnata, o United precisa de um estádio de última geração para chamar de lar. Uma espécie de “Wembley do Norte”.

Ratcliffe se opõe à ideia de o Manchester United ter que se mudar, apesar de acreditar que o apoio (e aval) dos torcedores poderia ser garantido se essa se tornasse a única opção lógica do projeto para o estádio do clube. Os terrenos ao redor de Old Trafford poderiam ser adquiridos e desenvolvidos, e esse parece ser o plano A do empresário. Ao “The Telagraph”, fontes acrescentaram: “O lar espiritual é importante. Achamos que os torcedores ficariam muito felizes em aceitar um estádio totalmente novo se permanecermos onde estamos”.

Entretanto, nem tudo são flores, e esse plano A pode melar… O United precisa também trabalhar com a hipótese da construção de um novo estádio. Isso porque, Chris Lee, presidente-executivo da Populous, empresa de design arquitetônico responsável pela revisão do projeto de Old Trafford, já disse ao “The Telegraph” que uma reconstrução “pode muito bem acabar sendo a mais cara solução eficaz”. E acrescentou: “O edifício está chegando ao fim da sua vida natural. O cabeamento, o fornecimento de eletricidade, tudo está próximo do prazo de validade”.

A reconstrução de Old Trafford custaria pelo menos 800 milhões de libras, enquanto um novo terreno entre 1,5 e 2 bilhões de libras. Ratcliffe e companhia já iniciaram conversas com o presidente da câmara da Grande Manchester e com os líderes do conselho sobre os planos futuros para o ‘novo' estádio do United. A esperança é de que possa ser criado um local pioneiro e impactante, que incorpore uma ‘aldeia' esportiva e de entretenimento.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo