InglaterraItáliaPremier LeagueSerie A

O Liverpool perdeu a aposta em Balotelli, e agora é o Milan quem gira a roleta

Quando o Liverpool precisou contratar um atacante para substituir Suárez, arriscou € 19 milhões no talento de Mario Balotelli, mas poucas vezes conseguiu coletar o bônus dessa contratação. A princípio, perdeu a aposta. O italiano acertou nesta terça-feira o seu retorno por empréstimo para o Milan por uma temporada.

LEIA MAIS: A Fiorentina abriu a Serie A batendo o Milan, e com um golaço de falta de pura categoria

Ele ainda tem contrato com o time inglês até 2018, mas fica difícil imaginar que ainda tenha um futuro em Anfield Road, a não ser que a conjuntura mude dramaticamente. A atual mostra que Brendan Rodgers não confia no atacante e o teria vendido em definitivo de muito bom grado se houvesse boas propostas, mas um empréstimo já ajuda a diminuir o fardo de pagar salário de quase € 500 mil por mês para um jogador que não faz parte dos planos.

Na reta final da última temporada, Rodgers preferiu Lambert, adiantar Sterling ou jogar com Coutinho e Lallana na frente a lhe dar uma chance. Não o levava nem para o banco de reservas. Seu espaço ficou ainda menor com as chegadas de Benteke, Origi, Ings, Firmino e a ascensão de Jordan Ibe. Ele não viajou com o elenco para fazer pré-temporada na Ásia e ainda perdeu uma boa parte dos treinamentos porque recebeu uma licença quando o seu pai adotivo morreu.

Balotelli estreou bem contra o Tottenham, na segunda rodada da Premier League e foi titular mais nove vezes. Marcou um único gol, contra o mesmo Tottenham, no segundo turno. Com mais três na Copa da Liga Inglesa, na Liga Europa e na Champions League, chegou a quatro em 28 partidas vestido de vermelho, apenas metade delas como titular. Uma lesão na coxa em novembro atrapalhou sua melhor sequência pelo clube. Uma suspensão, quando publicou uma mensagem anti-racismo no Instagram e inacreditavelmente foi punido por ser racista pela Federação Inglesa, também atrapalhou.

Mas o principal problema de Balotelli foi – e sempre foi – a atitude. Seu problema não é ser insolente ou arrogante como muitas super-estrelas, mas, pelo menos no Liverpool, ele foi sufocado por uma liga mais competitiva que a italiana e pela estratégia de uma equipe que exige um alto nível de comprometimento, tanto na marcação da saída de bola adversária quanto na movimentação ofensiva. Ele não se encaixou na tática de Rodgers, e foi criticado pela imprensa inglesa por não ter se esforçado muito para fazer isso. Uma imprensa que adora explorar personagens como ele, muitas vezes de maneira pejorativa, contribuiu com a pressão cada vez maior sobre seus ombros, sem falar na expectativa de que ocupasse pelo menos um pouco o grande vácuo que Suárez deixou em Anfield quando se mudou para Barcelona. Balotelli sucumbiu.

Balotelli está de volta ao Milan (Foto: AP)
Balotelli está de volta ao Milan (Foto: AP)

Foi, portanto, natural que desejasse retornar à Itália, principalmente a Milão, onde começou sua carreira na Internazionale e teve seu melhor momento por clubes, no Milan, pelo qual marcou 30 gols em 58 partidas. Ele até aceitou abrir mão de parte do seu salário, que será compartilhado por ingleses e italianos, para concretizar o empréstimo, segundo o Liverpool Echo. Apesar de já ter Luiz Adriano e Carlos Bacca, o clube decidiu girar a mesma roleta do Liverpool porque os riscos são muito menores: não terá que pagar nada pela contratação, as despesas mensais não são tão grandes, a adaptação deve ser mais rápida e, se der tudo errado, ele devolve a bomba para a Inglaterra no final da temporada. E Balotelli terá a chance de jogar em um campeonato mais fácil e onde se sente mais confortável, apesar do histórico de racismo que já sofreu nos estádios italianos.

“Eu sempre achei que retornaria para o Milan. Sempre tive o Milan no meu coração e sempre quis voltar um dia”, afirmou em entrevista a repórteres, já na Itália, onde passou por exames médicos. E é sintomático que ele tenha que ter respondido, na mesma entrevista, se pensa em encerrar a carreira no Milan. Porque parece mesmo que o seu melhor já passou e que ele não tem condições de alçar voos mais altos, o que é absolutamente maluco para um jogador de 25 anos sem grandes problemas físicos. Apesar de encontrar um contexto favorável, Balotelli tem que entender por que passa essa impressão aos críticos, apesar de ter talento, e ajustar a sua conduta para corresponder às expectativas. Do contrário, terá sorte se conseguir jogar no Milan até o fim da carreira.

Veja todos seus gols pelo Milan:

E pelo Liverpool:

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo