Inglaterra

Kepa manda mensagem clara: quer jogar mais, e, se não der no Chelsea, pensará “em coisas diferentes”

O goleiro de 27 anos, contratado por € 80 milhões, virou reserva de Édouard Mendy nas últimas duas temporadas

Em entrevista ao Marca, Kepa Arrizabalaga não deixou nenhuma dúvida: seja no Chelsea ou em outro lugar, o seu principal objetivo na próxima temporada é jogar mais vezes, após duas temporadas relegado à posição de reserva de Edouard Mendy, pensando em tentar voltar à seleção espanhola.

Kepa acredita que aproveitou as oportunidades que teve, geralmente utilizado nas copas nacionais. Foi praticamente titular em duas campanhas que terminaram na final, em 2020/21 na Copa da Inglaterra e na última temporada na Copa da Liga Inglesa. Na decisão mais recente contra o Liverpool, ele saiu do banco de reservas no fim da prorrogação para a disputa de pênaltis, mas não defendeu nenhum dos 11 que os Reds converteram e desperdiçou a cobrança decisiva.

“Estou empolgado, ambicioso, ansioso para começar (a nova temporada) e, acima de tudo, jogar mais. Quero estar em campo em mais partidas. No fim do dia, é o técnico quem decide. Você tem que lhe dar o máximo de razões possíveis para escolhê-lo. Eu gosto de treinar, de dar o meu melhor em toda sessão, de cuidar de mim mesmo e estar pronto quando o técnico me chama”, disse o goleiro de 27 anos.

A diretora de futebol Marina Granovskaia deixou o Chelsea nesta semana, conceituada como uma das melhores da indústria, mas também teve os seus erros. Kepa pode ser enquadrado nessa categoria. Após perder Alisson para o Liverpool, os Blues pagaram ainda mais caro pelo então jogador do Athletic Bilbao, e ele nunca ganhou a confiança da torcida.

Willy Caballero chegou a jogar em algumas partidas com Frank Lampard, e Kepa virou reserva de vez com a chegada de Édouard Mendy em 2020. Ele diz que tudo bem continuar no Chelsea, desde que consiga mais minutos em campo, mas, se isso não acontecer, “vamos olhar para coisas diferentes” porque meu “objetivo claro é jogar”.

“No fim do dia, estou em um clube muito grande. Não estou desesperado. Neste momento, sou jogador do Chelsea, mas o que é claro para mim é que quero jogar mais porque eu venho de um ou dois anos em que, quando eu joguei, eu joguei muito bem. Por essa razão, o sentimento é que quero mais. Quero jogar mais. Estou no Chelsea e quero ter sucesso aqui. Conversarei com o técnico e vamos decidir, mas a mensagem clara é que quero jogar mais”, reforçou.

Kepa afirmou que precisou se adaptar ao estilo de Thomas Tuchel, mais “elaborado” do que o do seu predecessor, Frank Lampard. “Nós não tínhamos que levar a bola da defesa, era um jogo menos planejado, mais baseado na livre expressão do jogador, lá e cá, e menos controle. Com Tuchel, voltamos a controlar (o jogo). É verdade que na Premier League não estivemos próximos dos dois primeiros (Liverpool e Manchester City), mas nas outras competições fomos competitivos”, disse.

Apesar de ter tido poucas chances com Tuchel, Kepa contou que a relação com o chefe é muito boa. “A conversa com ele é fácil, no dia a dia ele é totalmente acessível aos jogadores. Comigo, pessoalmente, eu noto afeição e confiança. Obviamente, quero jogar mais. É verdade que ele está escolhendo outro companheiro e é isso que estou tentando mudar no meu cotidiano. Quero jogar e é para isso que eu treino e me preparo”, completou.

O principal objetivo, naturalmente, é voltar à seleção espanhola, embora talvez esteja um pouco tarde demais para pensar na Copa do Mundo do Catar. Contratado do Athletic Bilbao por € 80 milhões em 2018, Kepa fez 11 partidas pela seleção espanhola, a última delas cerca de dois anos atrás.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo