Inglaterra

Kane mostra o que fazer no Tottenham — e o que o Bayern tanto quer

Amistoso neste domingo, a uma semana da estreia na Premier League, teve quatro gols, grande parceria com Maddison e incerteza sobre uma possível despedida

O destino de Harry Kane para a temporada não está definido. É público e notório o interesse do Bayern de Munique no atacante, e que fez uma proposta pelo jogador. Seu contrato apenas até junho de 2024, o que coloca o Tottenham, seu clube, em uma posição de fragilidade. Vende o seu principal jogador para receber alguma receita, ou manter o atacante, pelo ganho esportivo, e arriscar perdê-lo de graça ao final da temporada. Tudo isso esteve, de alguma forma, no pensamento de quem estava no Tottenham Stadium para o amistoso contra o Shakhtar Donetsk, vencido pelos Spurs por 5 a 1.

Kane foi capitão do time em Londres. Ele assume a braçadeira sem Hugo Lloris, capitão anterior, liberado para procurar outro clube. O time foi montado em um 4-2-3-1, com James Maddison atuando como meia central, Son Heung-min na esquerda, Dejan Kulusevski na direita e Kane mais à frente. No gol, Guglielmo Vicario foi o titular e assim deve ser na temporada. Emerson Royal foi o lateral direito, com Cristian Romero e Ben Davies na zaga e outra novidade na esquerda, Destiny Udogie. No centro do meio-campo, Pape Matar Sarr e Pierre-Emile Hojbjerg.

Despedida… Mas não de Kane

Foi um dia de despedida. Não de Kane (embora pudesse ser), mas sim do histórico goleiro Andriy Pyatov, capitão do time, de 39 anos. Depois de Ele jogou pelo Shakhtar ininterruptamente desde 2007 (começou em 2006, mas foi emprestado a Vorskla Poltava). Fez história pelo clube e pela seleção ucraniana, fazendo 102 jogos.

Para celebrar os 16 anos de Pyatov, o jogo foi interrompido aos 16 minutos para homenagear o goleiro. Ele deixou o gramado, em cerimônia que marca a sua aposentadoria. Ele foi aplaudido pelos outros jogadores do Shakhtar e deixou o gramado pela última vez como jogador profissional.

Ninguém sabe se esse foi o último jogo de Kane pelo Tottenham, porque o Bayern espera uma resposta pela proposta. Se foi a última vez que ele jogou pelo Tottenham, foi uma grande exibição para marcar a ocasião. Se ele ficar e este foi só o último momento da pré-temporada, o sabor que o torcedor ficou na boca é de quero mais. O time parece promissor com a parceria entre James Maddison e Kane, além dos já conhecidos Dejan Kulusevski e Son Heung-min.

Kane e seus quatro gols na partida

O meia James Maddison foi a principal contratação do Tottenham na temporada até aqui. Ele chegou do rebaixado Leicester para aumentar as forças de criação de jogadas da equipe. Era mesmo uma posição carente dos Spurs. E o que os torcedores viram no Tottenham Stadium foi algo que deixou com vontade de quero mais, sem saber se terá.

O primeiro tempo teve uma ótima fluidez, o Tottenham criou muitas chances e poderia ter aberto o placar muito antes. Aos 36 minutos, em uma invertida de bola, Son acionou Maddison, que fez a finta e foi derrubado dentro da área. Pênalti. Harry Kane, agora capitão, cobrou com precisão e marcou 1 a 0 para os mandantes.

Antes do intervalo, o Shakhtar empatou em um cruzamento de Danylo Sikan para Kevin Kelsy, que tocou de cabeça para igualar o marcador em 1 a 1. Foi o placar do primeiro tempo. Mas havia muito a ser jogador ainda.

A parceria Maddison-Kane se concretizou diretamente no segundo tempo. Aos quatro minutos, Maddison recebeu na esquerda, puxou para o meio e cruzou para o meio da área, onde Kane cabeceou para marcar 2 a 1. O terceiro veio em seguida. Aos nove minutos, Son recebeu, tocou para Kulusevski, que fez um bom passe pelo meio para Kane. Na cara do gol, o camisa 10 tocou com calma para marcar 3 a 1.

O quarto gol veio já aos 34 minutos, quando Manor Solomon chutou, o goleiro Dmytro Riznyk defendeu, mas Kane no rebote marcou 4 a 1. No final do jogo, já com Kane no banco, o quinto gol saiu após jogada de Kulusevski, que acionou Dane Scarlett no meio da área. Ele girou e bateu firme, de pé esquerdo, e marcou 5 a 1. O atacante, de 19 anos, é das categorias de base do Tottenham e passou a última temporada emprestado ao Portsmouth.

Palavras de Ange Postecoglou

Foi o primeiro jogo de Ange Postecoglou no comando do Tottenham no estádio do clube. Mas o foco era Kane. O prazo para responder teria vencido na sexta à noite. Perguntado sobre isso, o técnico foi bastante evasivo, como é normal em situações como essa.

“Da minha perspectiva, eu não sei o que significam prazos. Savemos que há um prazo e que é o fim da janela de transferências. Além disso, estou em diálogo aberto com Harry e com o clube de forma regular. Disse a eles que se o status mudar, que me informem. Não precisa saber das idas e vindas no meio. Só quero lidar com o que está na minha frente, porque independentemente do resultado disso, estou construindo uma equipe aqui”, afirmou Postecoglou.

Sobre o interesse público do Bayern em Kane, Postecoglou não quis polemizar, mas deixou claro que não concordar. “Cabe ao Bayern decidir. Se esse é o modo como eles querem conduzir as coisas, não cabe a mim julgar isso. Não me afeta. Eu não sento aqui diariamente e me preocupo com o que outros clubes estão fazendo. Eu acho que é factualmente correto dizer que ele é um jogador com contrato com o nosso clube”, disse o australiano.

“Vocês viram hoje que Harry certamente está investido no que está fazendo e manteremos assim, a não ser que algo mude. Não há dúvida que eu usaria Harry, não preciso do jogo de hoje para me mostrar isso. Ele é um centroavante fantástico, um dos melhores do mundo. Acho que o modo como o time joga irá ajudá-lo também”.

A torcida do Tottenham não parece ter tratado como uma despedida. Durante o jogo, com quatro gols marcados, a torcida cantava para ele. “Ele é um de nós”. Além disso, cantaram também: “Queremos que você fique”.

O Tottenham faz seu último jogo de pré-temporada na terça-feira, contra o Barcelona, pelo Troféu Joan Gamper. A estreia dos Spurs na Premier League será no próximo domingo, dia 13, contra o Brentford, fora de casa.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo