Inglaterra

Josh Kroenke diz que Arsenal não está à venda e confia que clube está no caminho certo

O fundador do Spotify, Daniel Elk, tenta comprar os Gunners, com ajuda de lendas como Bergkamp e Henry, mas não deve ter sucesso em um futuro próximo

Herdeiro de Stan Kroenke, dono do Arsenal, e um dos diretores do clube, Josh Kroenke afirmou em entrevista à Sky Sports que os Gunners não estão à venda e confia que, após uma correção de curso, a sua gestão finalmente colocou os londrinos no caminho certo para voltar a brigar pelo título da Premier League.

Os Kroenkes assumiram de verdade o controle do Arsenal entre 2017 e 2018 e não são exatamente adorados pela torcida. Entre os problemas mais recentes, estão os cinco anos sem se classificar à Champions League, a atrapalhada demissão do mascote Gunnerssaurus, em meio a cortes de funcionários para reduzir os custos durante a pandemia, e a entrada na Superliga Europeia, abortada após pressão dos torcedores.

Não à toa, esses torcedores ficaram empolgados com as notícias de que Daniel Elk, fundador do Spotify, planejava comprar o Arsenal, com o apoio de lendas como Dennis Bergkamp e Thierry Henry. As primeiras propostas foram rejeitadas. Há outra na mesa, e Kroenke afirmou que a sua família não pretende aceitá-la.

“Recebemos propostas pelo clube o tempo todo, de vários lugares do mundo, o que diz muito sobre a força do Arsenal. É uma instituição maravilhosa. O Arsenal Football Clube é uma marca global e minha única resposta é que o clube não está à venda. Acabamos de começar”, disse Kroenke, em entrevista à Sky Sports antes do jogo contra o Watford no último domingo. “Nós somos donos mesmos do clube desde 2018. Temos um treinador jovem. Temos um time jovem e estamos traçando nosso caminho para o futuro”.

Esse caminho, segundo o diretor, é reunir jogadores jovens e talentosos com a mentalidade certa e permitir que eles cresçam juntos. Uma aposta em “continuidade nos bastidores” e “pessoas trabalhando juntas e na mesma direção”. Ele admitiu que foi necessário mudar a maneira como o clube vinha sendo administrado e disse que isso foi visto na última janela de transferências. O Arsenal gastou bastante com jogadores jovens, como Ben White, Martin Odegaard, contratado em definitivo do Real Madrid após um empréstimo, Aaron Ramsdale, Takehiro Tomiyasu, Alberto Lokonga e Nuno Tavares.

“Os torcedores do Arsenal têm que esperar o melhor. É o que eles esperaram durante a história e isso não deve mudar. Nós tivemos que repensar como alcançar esses objetivos? Sim. Isso aconteceu nesse verão. Não quebramos recordes transferências, mas o valor líquido investido foi muito alto”, disse.

“Havia muitas áreas que precisávamos preencher em campo. Fizemos isso com jogadores de uma certa qualidade, de uma certa idade, e acho que o que acaba passando batido é que precisávamos mudar algumas mentalidades por aqui. Precisávamos fortalecer a mentalidade. Eu acho que com esses novos reforços, os garotos que estão surgindo e os jogadores mais velhos estão dando o tom no vestiário diariamente. Essa mentalidade é competir e deixar tudo em campo”, explicou.

Kroenke reconheceu que os adversários – Chelsea, Liverpool, Manchester City e Manchester United – estão em uma posição mais “forte” no momento porque tiveram a chance de construir times fortes nos últimos anos. O Arsenal precisou mudar a sua estratégia, acrescenta, e também tem os recursos para competir, desde que os use “de maneira esperta, adequada e inteligente”.

“Assim, um mais um uma hora dará três. Estou cada vez mais confiante, mas ainda há muito trabalho pela frente. Apesar de estarmos começando a ver sinais de progresso, se não continuarmos em frente, vamos estagnar. Esse é o nosso principal foco: quais nossos próximos passos? Estamos contentes com onde estamos? Estamos nos sentindo melhor com onde estamos, mas não estamos contentes. Nossos torcedores merecem mais”, afirmou.

“Precisamos voltar ao top quatro, precisamos começar a nos classificar para a Champions League regularmente e, com essa vaga na Champions, chega um novo nível de jogadores que podemos contratar. Os melhores jogadores querem jogar na melhor liga do mundo, que é a Champions League, depois da Premier League”.

“Quando você começa a competir consistentemente pelo título da Premier League, você está praticamente competindo por todo o resto dos troféus no esporte. Então nosso objetivo é vencer a Premier League. Quando estivermos na conversa para ganhar a Premier League, acho que é quando coisas interessantes começarão a acontecer em outros locais também”, disse.

O diretor do Arsenal tem a possibilidade de adotar um tom positivo porque os resultados em campo estão muito bons. O time de Mikel Arteta está invicto na Premier League desde que perdeu as três primeiras rodadas para Brentford, Chelsea e Manchester City. São seis vitórias e dois empates que deixam os Gunners em quinto lugar, a dois pontos do G4.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo