Inglaterra

Hull City se inspira em Vuaden e também censura torcida

Vocês lembram ano passado quando Leandro Pedro Vuaden obrigou a torcida do Náutico a abaixar uma faixa que criticava a arbitragem? Com razão ou não, a frase “Não nos derrubarão no apito” não era ofensiva, e a postura do gaúcho flertou com a censura. Esse tipo de atitude chegou à Inglaterra e de um jeito até pior do que o executado nos Aflitos, quando o jogo foi atrasado em 15 minutos.

Alguns torcedores do Hull City discordam da ideia do presidente Assem Allam de mudar o nome do clube para Hull Tigers. Estão se organizando e estão levando faixas aos jogos para protestar. No último sábado, na derrota para o Crystal Palace por 1 a 0, no KC Stadium, foram com uma que dizia “Nós somos Hull City”.

A mensagem é até mais inofensiva que a da torcida do Náutico, mas provavelmente os fiscais estavam instruídos a abafar qualquer tipo de manifestação nesse sentido. Foram até as arquibancadas arrancar a faixa da mão dos torcedores, até com certa violência. Parece que alguém no Hull City precisa aprender uma coisa ou duas sobre democracia.

A inofensiva faixa do Hull City
A inofensiva faixa do Hull City

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo