Inglaterra

Guia da Premier League 2021/22 – Newcastle: Ainda não saiu do lugar

O Newcastle ainda não conseguiu encontra a receita para afastar a mediocridade - e não é nem certeza que a está procurando

Este texto faz parte do Guia da Premier League 2021/22. Clique e leia sobre todos os times.

Cidade: Newcastle
Estádio: St. James Park (52.490 pessoas)

Temporada passada – 12º lugar

Mais uma campanha que deixou o Newcastle dividido. Escapou confortavelmente do rebaixamento, então Mike Ashley nem precisa se preocupar em fazer grandes investimentos na equipe, e grande parte da imprensa sem envolvimento emocional com o clube acredita que Steve Bruce faz um bom trabalho com os recursos à disposição – e faz.

Por outro lado, muitos na torcida estão cansados da mediocridade que Ashley os impõe e que foi bastante associada com a figura do treinador. Eles não queriam que Rafa Benítez fosse embora e sonharam com o dinheiro da Arábia Saudita, bloqueado após a Premier League impedir a venda do clube. Contribuiu à tranquilidade que as arquibancadas do St. James Park tenham ficado vazias a temporada quase inteira. Senão, a história poderia ter sido outra.

Porque é verdade que o Newcastle emendou sua quarta campanha consecutiva no meio da tabela. Não fica mais estável do que isso. Mas, com 45 pontos, liderou a segunda metade da Premier League, 10 pontos atrás do Aston Villa. Ficou muito mais próximo do Burnley, com 39, logo acima da zona de rebaixamento.

E não é muito fácil lembrar os grandes momentos. Dois empates com o Tottenham? Mais dois com o Liverpool? Provavelmente derrotar o Leicester por 4 a 2, praticamente garantindo a salvação a três jogos do fim. Ficou muito mais gravada na memória das arquibancadas a sequência entre a 13ª e a 30ª rodada, quando o time venceu apenas duas vezes – com um surto de Covid-19 nesse período que afastou alguns jogadores importantes.

Culminou em uma derrota por 3 a 0 para o Brighton, que raramente ganha por mais de um gol de diferença, e houve uma sensação forte de que era o fim da linha para Steve Bruce. Ele se recuperou, porém. O Newcastle ganhou cinco das últimas oito rodadas e chegou aos tais 45 pontos. A segunda vez que tem essa pontuação nos últimos quatro anos, desde que subiu. Nas outras duas, fez 44. Simplesmente não sai do lugar.

Mercado

Principais chegadas: ninguém
Principais saídas: Christian Atsu (Al-Raed), Yoshinori Muto (Vissel Kobe), Andy Carroll (sem clube)

Mike Ashley facilita o nosso trabalho porque é mais fácil colocar um porco no ar do que ele abrir a carteira. A temporada começará e nenhum reforço ainda foi contratado oficialmente. O mais próximo é Joe Willock, do Arsenal, o que não é realmente uma novidade porque ele estava emprestado na última temporada.

O elenco

Outra dúvida existencial do Newcastle é manter o esquema com três zagueiros que foi introduzido por Benítez ou jogar com linha de quatro. Bruce tentou os dois e se deu melhor com a primeira opção. Foi no 3-5-2 que conseguiu a arrancada final responsável por terminar a temporada em alta.

Esse time teve Emil Krafth, Paul Dummet e Ciaran Clark como zagueiros à frente de Martin Dubrávka, retornando ao gol após perder o começo da Premier League com uma lesão. A defesa também conta com o capitão Jamaal Lascelles, machucado na reta final, Federico Fernández e Fabian Schär. Matt Richie foi aberto como ala pela esquerda, uma opção de mais experiência enquanto o promissor Jamal Lewis ainda se desenvolve, e Jacob Murphy atuou pela direita do meio-campo.

Jonjo Shelvey, Miguel Almirón e Joe Willock ou Sean Longstaff entraram pelo meio, com Callum Wilson ou Joelinton e Allan Saint-Maximin na frente. Competente goleador de Premier League, Wilson contribuiu com 12 gols, e Willock foi o vice-artilheiro, com oito. Pelas características dos jogadores, é um ataque que funciona melhor em velocidade. Especialmente se Ryan Fraser voltar a ser o ponta incisivo que era no Bournemouth. O esquema com três zagueiros foi mantido na pré-temporada.

O técnico

Ex-capitão do Manchester United, Steve Bruce é especialista em promoção e um pouco menos especialista em manter seus times no meio da tabela da Premier League, embora ainda muito bom nisso. Torcedor do Newcastle, sempre sonhou em treinar a equipe e deve ser muito frustrante ter precisado fazê-lo quase sempre sem torcedores nas arquibancadas e sob constantes questionamentos de parte da torcida. Há quem ache que se manteve no cargo até agora justamente porque não houve St. James Park lotado para vaiá-lo. O Newcastle contratou o assistente Graeme Jones, em janeiro, e ele tem sido bastante elogiado por ter um conteúdo tático mais refinado para passar aos jogadores, o que não é exatamente ótimo para a reputação de Bruce.

Expectativa para a temporada

Depois de somar 44, 45, 44 e 45 pontos, talvez tentar 46? Dentro da estrutura atual, e com os jogadores à disposição, o Newcastle precisará fazer bastante coisa errada para realmente correr risco de rebaixamento, mas fica muito difícil imaginar ir além disso. Logo, mais uma campanha com mais baixos do que altos e no fim o confortável meio da tabela o esperam.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo