Copa da Liga Inglesa

A icônica conquista do Middlesbrough em 2004, quebrando um tabu de 128 anos sem troféus relevantes

Título da Copa da Liga Inglesa há 20 anos foi a primeira e única taça de expressão da história do clube

O Middlesbrough, time que disputa atualmente a Championship (segunda divisão do futebol inglês), foi fundado no dia primeiro de janeiro de 1876. Inicialmente, o clube era formado por jogadores de críquete, mas encontraram no futebol uma alternativa para se manterem bem fisicamente durante as férias de inverno. Com o passar dos anos, o clube alternou entre a disputa da elite e a segunda divisão do futebol inglês, sendo inclusive campeão da antiga Football League Championship em 1926/27, 1928/29, 1973/74 e 1994/95.

Mas foi apenas 128 anos após a sua fundação, em 2004, mais precisamente no dia 29 de fevereiro, um domingo, que o Middlesbrough finalmente conquistou um título de expressão dentro do cenário nacional e poderia ali dar início a uma nova dinastia dentro do futebol inglês. Há 20 anos o clube de Riverside bateu o Bolton pelo placar de 2 a 1 e faturou a Copa da Liga Inglesa, em mais uma das grandes zebras que assolaram o futebol mundial em 2004.

Formado pelos brasileiros Ricardinho, que não jogou a final, mas foi importante durante a campanha, Doriva e Juninho Paulista, o maior craque e ídolo do Middlesbrough, a equipe foi assunto nos principais veículos de comunicação do Reino Unido durante um bom tempo e a conquista mais icônica da história do clube é lembrado até hoje. Neste artigo, vamos relembrar os detalhes da conquista da equipe responsável por eliminar o lendário Arsenal de Arséne Wenger e companhia e conquistou um dos troféus mais tradicionais do futebol inglês.

Contexto histórico do Middlesbrough em competições na Inglaterra

Como dito anteriormente, o Middlesbrough nunca foi um time muito consistente dentro do cenário do futebol inglês, alternando participações na elite e também na segunda divisão nacional. O clube chegou a disputar a terceira divisão também, mas em nenhum momento demonstrava fragilidade financeira e mesmo nos momentos mais complicados, conseguia se reerguer e voltava para a disputa da primeira divisão. Contudo, este cenário começou a mudar na década de 1980, quando foi atingido por uma crise financeira.

Na época, o presidente Steve Gibson foi um personagem importante na reconstrução do clube e formou um consórcio para salvar a equipe e tirou dinheiro do próprio bolso para manter as contas em dia e fazer outros investimentos em infraestrutura e contratações de novos jogadores. A partir daquele momento, o Middlesbrough passou a viver de forma mais saudável financeiramente, o que reverberou no desempenho do time em campo, mudando o patamar competitivo do time.

Como resultado do investimento, o Middlesbrough passou da terceira para a segunda divisão e da segunda para a elite do futebol inglês. Mesmo com o investimento pesado de Steve Gibson, o clube não conseguia se manter na primeira divisão do futebol inglês, sendo um time ioiô, alternando-se entre a elite e a divisão de acesso. Contudo, o desempenho da equipe era melhor nas copas, principalmente na League Cup (atual Copa da Liga Inglesa).

Em 1997, a equipe chegou a decisão da competição, mas perdeu para o Leicester na prorrogação da segunda partida (o jogo de ida terminou empatado sem gols). Apenas seis dias mais tarde, o Middlesbrough enfrentou o Chelsea pela final da Copa da Inglaterra, porém foi novamente derrotado, desta vez pelo placar de 2 a 0. As seguidas derrotas em decisões deixava o torcedor do clube apreensivo, afinal, em 128 anos de história, a sala de troféus do Boro não tinha nenhum caneco de maior expressão, mas isso mudaria sete anos mais tarde, em 2004, no considerado o ano das zebras.

Fator Juninho Paulista

Antes de iniciarmos a contar sobre a trajetória do Middlesbrough na Copa da Liga Inglesa de 2004, é necessário falar da importância da Copa Umbro de 1995 para a história do clube. Em uma partida da seleção brasileira diante da Inglaterra, Juninho Paulista, então meia e craque do São Paulo, deitou e rolou naquele jogo, marcando inclusive um belo gol de falta e chamou a atenção de Bryan Robson, treinador do time inglês, que logo após o confronto, entrou em contato com a diretoria do Tricolor para contratar o talentoso jogador.

Na época, o Middlesbrough pagou aproximadamente cinco milhões de dólares na contratação de Juninho e após muitas negociações o meia finalmente desembarcou na Inglaterra com status de craque e herói. Para a torcida, a presença do brasileiro era o que estava faltando no time para finalmente conquistar um título de expressão e mudar o seu patamar no cenário competitivo inglês.

Na temporada 1996/1997, Juninho brilhou no Middlesbrough com seus dribles, rapidez, e muita qualidade em seus chutes e passes. Apesar do rebaixamento do clube para a segunda divisão naquela temporada, o brasileiro foi escolhido como melhor jogador da Premier League, disputando com Zola do Chelsea a preferência dos jornalistas na época. Ao todo, Juninho Paulista disputou 145 jogos com a camisa do clube inglês, marcando 34 gols e dando cinco assistências

O Middlesbrough voltou para a elite do futebol inglês em 1998/1999 e diferente de anos anteriores, se manteve firme entre os principais clubes da Inglaterra. Passadas cinco temporadas chegamos em 2003/2004, ano da principal conquista da equipe. Naquela época, a equipe terminou na 11ª colocação da Premier League, se mantendo mais um ano na primeira divisão e fez uma campanha irretocável na Copa da Liga Inglesa, eliminando o poderoso Arsenal na semifinal.

A trajetória do Middlesbrough na Copa da Liga Inglesa

A campanha do Middlesbrough na Copa da Inglaterra da temporada 2003/2004 iniciou no dia 24 de setembro de 2003, diante do Brighton. Em um jogo sofrido, Malcolm Christie, aos quatro minutos da prorrogação, mandou finalmente a bola para o fundo do gol e abriu o caminho para a classificação para a segunda fase. Na eliminatória seguinte, uma vitória mais tranquila diante do Wigan. Massimo Maccarone abriu o placar aos 36 do primeiro tempo, e Gaizka Mendieta aumentou o marcador para 2 a 0 em favor do Middlesbrough.

Jimmy Bullard ainda diminuiu o placar para o time do Wigan, mas nada que comprometesse a classificação do Boro para a quarta fase da competição. Nas oitavas de final e nas quartas, o Middlesbrough encarou duas eliminatórias complicadíssimas diante do Everton e do Tottenham, respectivamente. Nos dois confrontos a disputa foi definida nos pênaltis. Contra o time de Liverpool, o Boro empatou sem gols por 5 a 4 na série decisiva.

Diante do time londrino, Anderson abriu o placar para o Tottenham aos dois minutos de jogo, mas Michael Ricketts deixou tudo igual aos 41 minutos da etapa complementar. Nos pênaltis, mais uma vitória do Middlesborugh por 5 a 4 nos pênaltis e vaga garantida na semifinal da Copa da Liga Inglesa. Estamos em 2004 e no dia 20 de janeiro, o time de Juninho Paulista tinha pela frente o Arsenal, simplesmente o maior favorito a vencer a competição na época.

Apesar do favoritismo, o Arsenal disputou os dois jogos diante do Middlesbrough com uma equipe alternativa, já que estava focado em vencer a Premier League de forma invicta, feito conquistado nesta temporada 2003/2004. Mesmo assim, o time londrino “reserva” contava com Edu, Parlour, Gilberto Silva e Kanu. Sem medo do adversário que estava à sua frente, o time de Juninho Paulista venceu os dois jogos, sendo 1 a 0 na ida e 2 a 1 na volta, eliminando o gigante londrino e conquistando a classificação para a final da competição.

Em menos de sete minutos de jogo no Millennium Stadium, em Cardiff, no País de Gales, o Middlesbrough marcou dois gols e praticamente definiu a parada em seu favor frente o Bolton, na decisão da Copa da Liga Inglesa. Joseph-Desire Job se esticou todo para aproveitar passe de Zenden após bela jogada com Mendieta para abrir o marcador e cinco minutos mais tarde, o mesmo holandês, de pênalti, abriu 2 a 0 no placar.

O Bolton não se intimidou e foi buscar a reação, chegando ao seu primeiro gol aos 21 minutos, quando Kevin Davis aproveitou falha do goleiro australiano Schwarzer para descontar o marcador. O Middlesbrough administrou a vantagem no segundo tempo e teve ao menos três chances claras para aumentar o placar com Juninho, Mendieta e Michael Ricketts. Após o apito final, o torcedor do Boro pôde finalmente festejar seu primeiro grande título em 128 anos de trajetória e foi a afirmação do clube como um dos emergentes dentro do cenário inglês.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo