Copa da Liga InglesaEuropa

Newcastle despacha Manchester City da Copa da Liga com gol de Isak e vai às oitavas

City faz bom primeiro tempo, mas sucumbe no segundo a partir de entrada de titulares do Newcastle e é eliminado

Em um jogo lotado de reservas para mais de 50 mil torcedores no St. James' Park, o Newcastle precisou de seu titular Alexander Isak para vencer o Manchester City por 1 x 0 e avançar às oitavas de final da Copa da Liga Inglesa. O time de Pep Guardiola fez grande primeiro tempo, mas foi castigado na etapa final assim que Eddie Howe colocou mais titulares na partida.

O sorteio das oitavas acontece ainda nesta quarta-feira (27) e logo mais o Newcastle conhecerá seu adversário.

Desde 2012/13, há mais de 10 anos, o City não caia tão cedo na competição. Na ocasião, foi eliminado pelo Aston Villa.

City domina e pressiona, mas quase sofre gol no fim

Ambos os técnicos apostaram em equipes quase 100% reservas. No Newcastle, dos considerados titulares, havia apenas o goleiro Nick Pope, os meio-campistas Joelinton e Sandro Tonali e o centroavante Isak. Pelo lado visitante, Pep Guardiola mandou a campo só Julián Álvarez dos considerados 11 ideiais do clube, além dos zagueiros que fazem a rotação na defesa e na lateral-esquerda, casos de Joško Gvardiol, Manuel Akanji e Nathan Aké.

Como de praxe, mesmo com a equipe quase toda reserva, o City manteve sua forma absoluta de jogar, dominando a posse e sufocando a saída de bola adversária. O time de Manchester se montava de sua forma característica, um 2-3-5 no momento ofensivo, com os laterais, Aké e Rico Lewis, virando volantes e os pontas bem abertos (Jack Grealish à esquerda e Sérgio Gomez do outro lado).

Acuado, o Newcastle teve poucas idas ao ataque nesse início. Na única escapada, Isak partiu para o mano a mano com Gvardiol, mas não conseguiu levar a melhor para cima do croata. O time de Guardiola armou sua primeira grande chance aos 17 minutos. Kalvin Phillips encontrou bom passe em Oscar Bobb, que carregou no meio e deixou Álvarez em condições para chutar cruzado, exigindo defesa com o pé de Pope.

O time visitante seguiu jogando de sua maneira. Rodava a bola de um lado para o outro, buscava o espaço e apostava nas invertidas para tentar encontrar o homem livre. Os Magpies pouco fizeram para evitar o ímpeto Cityzen, nem ao mesmo contra-atacar de forma efetiva.

Com 25 minutos, a posse de bola passava dos 70% e o gol parecia estar próximo. Em outra trama de passes envolvendo a dupla Bobb-Alvárez, agora pela esquerda, o argentino recebeu novamente na área, como no lance anterior, mas dessa vez bateu cruzado sem direção.

A partir de meia hora do primeiro tempo, a equipe de Eddie Howe até conseguiu rodar mais a bola, permanecer com a posse e sair um pouco da pressão do City, mas sem nada que ameaçasse o goleiro Stefan Ortega. Eis que um erro do adversário mudou isso. Gvardiol deu uma bola na fogueira para Phillips e Joelinton antecipou no grande círculo. Isak rapidamente deu para Jacob Murphy em profundidade, que carregou até a área e chutou cruzado, mas o arqueiro do City pegou com o pé. Essa foi a única finalização do Newcastle nos primeiros 45 minutos, contra seis do adversário (apenas uma certa). A posse de bola ficou a favor do Manchester: 70% a 30%.

Isak garante vitória em bom segundo tempo do Newcastle

Logo no intervalo, Eddie Howe colocou os titulares Bruno Guimarães e Anthony Gordon nos lugares de Lewis Miley e Lewis Hall. As mudanças deram novo gás ao time – principalmente no meio-campo, agora com todos seus titulares. Com seis minutos, o Newcastle fez ótima trama, Murphy deu para Joelinton costurar a defesa do City para direita e cruzou rasteiro para Isak, sozinho na segunda trave, abrir o placar. A pressão seguiu forte para os donos de St. James Park, mas, por volta dos 15 minutos, o comando do jogo retornou ao clube azul de Manchester.

Enquanto Guardiola relutava em colocar seus jogadores mais experientes, Howe colocou outro atleta importante: Miguel Almirón substituiu o autor do gol Isak. O Manchester City só foi mexer no time titular com pouco mais de 20 minutos. O meia Matheus Nunes e ponta Jérémy Doku entraram nos lugares de Mateo Kovacic e Aké (com isso, Sergio Gomez passou a ser lateral-esquerdo).

Pouco depois, Phil Foden entrou no lugar de Álvarez. As mudanças não surtiram o efeito que Guardiola esperava no City, que não mantinha a posse como no primeiro tempo e não assustava Pope. O goleiro do Newcastle só voltou a trabalhar com meia hora de partida, ao defender chute no meio do gol de Grealish.

Doku deu ao City o drible e a jogada individual, algo que faltou ao time durante todo o jogo. Em uma linda jogada, o ponta belga deixou dois para trás e quase colocou Foden de cara para o gol, mas Pope antecipou a jogada. O atacante de novo apareceu do lado esquerdo cortando para o meio e serviu Lewis na entrada da área. O jovem finalizou rasteiro, quase superando Pope, mas o chute foi para fora.

A partida teve mais seis minutos de acréscimo, mas não foi o suficiente para o empate dos Cityzens.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo