Copa da Inglaterra

Haja coração! Liverpool abre 3 a 0, mas Manchester City vai buscar e jogo termina em um 3 a 2 de tirar o fôlego

Cada time dominou um tempo em mais um jogaço que Manchester City e Liverpool entregaram, desta vez com vitória dos Reds, que vai à final da Copa da Inglaterra

O Liverpool está na final da Copa da Inglaterra depois de mais um jogaço diante do Manchester City. A vitória por 3 a 2 foi conquistada com bom futebol, uma atuação de alto nível, mas também com muito sofrimento. O City mostrou mais uma vez que é uma das melhores equipes do mundo, saiu de um placar desfavorável de 3 a 0 no intervalo para quase arrancar o empate no final. Foi um jogaço, como tem sido constante entre esses dois times, seja qual for a competição que disputem.

O que se viu em Wembley foi a torcida dividida, mas o Liverpool tinha um pouco mais de torcedores do seu lado. A festa era grande e ficou ainda maior com o primeiro tempo fantástico feito pelo time de Jürgen Klopp. Os 3 a 0 feitos nos 45 minutos iniciais deram a impressão que o jogo poderia ser controlado com alguma facilidade.

Só que do outro lado tinha o time de Pep Guardiola, que conseguiu se recuperar e fez um segundo tempo de muita pressão. Foram muitas chances criadas, dois gols feitos e emoção até o último lance. O empate não teria sido injusto, dado o volume de jogo dos Cityzens na partida.

No fim, deu Liverpool, que sobrevive a mais um grande duelo com o City e vai decidir o título da Copa da Inglaterra e tentar um título que não conquista desde 2005/06, quando bateu o West Ham na final.

Escalações: muitas mexidas no Manchester City

Como Pep Guardiola já tinha deixado claro, o seu time estava sentindo o ritmo de jogos que, além do número, vinham sendo muito intensas. O time fez um jogo contra o Liverpool na Premier League entre dois jogos contra o Atlético de Madrid, que exigiu muito física e psicologicamente.

Sendo assim, muitas mudanças no time titular. O goleiro Zack Steffen foi escalado no gol, como é habitual nas Copas. Na zaga, Nathan Aké ganhou vaga no time titular e Olksandr Zinchenko ganhou o lugar na lateral esquerda. Fernandinho era o único marcador no meio, com meias bastante ofensivos: Bernardo Silva e Jack Grealish. No ataque, Gabriel Jesus, Raheem Sterling e Phil Foden.

No Liverpool, poucas novidades. No meio-campo, Naby Keita ganhou vaga ao lado de Fabinho e Thiago Alcântara. No ataque, além dos titularíssimos Mohamed Salah e Sadio Mané, Luis Díaz também foi titular, como se tornou até habitual em jogos mais pesados. O colombiano tem ido muito bem e, não por acaso, ganhado mais minutos no ataque.

Primeiro tempo: um atropelo do Liverpool

O primeiro gol saiu em um escanteio. Andy Robertson cobrou da esquerda e encontrou Ibrahima Konaté, que superou a marcação de Nathan Aké e cabeceou para o fundo da rede, aos nove minutos de jogo.

Curiosamente, nos primeiros 15 minutos de jogo, o Liverpool ficou muito mais com a bola (61%), algo pouco usual para o time de Guardiola. E o time tocava a bola, quando o goleiro Zack Steffen fez uma bobagem imensa. John Stones recuou a bola para o arqueiro, que pareceu ter dado tela azul. Ficou sem saber o que fazer com a bola e veio Sadio Mané, engolindo, e deu um carrinho para dividir a bola e mandar para a rede. O Liverpool abria 2 a 0 no placar com uma falha terrível do City.

O Manchester City pouco conseguia fazer no ataque e o Liverpool era quem melhor trabalhava a bola. E foi assim, trabalhando a bola, que chegou ao terceiro gol antes do intervalo. Trent-Alexander Arnold chegou ao ataque, acionou Thiago, que tocou por cima para Mané. Dentro da área, o senegalês pegou de primeira, bonito, acertou o canto e marcou: 3 a 0. Guardiola teria muito trabalho no intervalo.

Segundo tempo: o renascimento do City

Logo no começo do segundo tempo, Fernandinho fez a recuperação da bola, Gabriel Jesus fez a jogada dentro da área driblando Fabinho e rolou para Jack Grealish finalizar no alto, sem chance: 3 a 1. Um gol que ajudava a dar mais molho no jogo, com apenas dois minutos da etapa final.

O City voltou com mais fome e disposto a, no mínimo, causar problemas para o Liverpool. Aos 25 minutos, Gabriel Jesus teve uma chance clara pelo meio, recebendo livre, de frente para o goleiro Alisson, e ele tocou no canto, mas perdeu a chance porque o goleiro conseguiu defender. É um gol que não pode perder.

O Manchester City náo desistia e, aos 45 minutos, saiu mais um gol. Mahrez recebeu pela direita, avançou, invadiu a área, tocou para o meio e Bernardo Silva foi ao encontro da bola e estufou a rede: 3 a 2. Como diriam os Titãs, o pulso ainda pulsa. O torcedor do Manchester City acreditava e vibrava em Wembley. A tensão tomava conta da torcida dos Reds.

O City seguiu em cima e, em uma bola que ficou pipocando dentro da área. Aké tocou para o meio de cabeça para Fernandinho. O volante brasileiro encheu o pé, mas foi para fora. Houve desvio e veio escanteio. Na cobrança, a bola foi parcialmente corta, mas sobrou para Mahrez chutar com perigo e mais uma vez ver a bola ser desviada. Mais um escanteio.

Era uma pressão enorme e o City encurralava o Liverpool. Mais uma tentativa veio com Sterling, que recebeu dentro da área e chutou firme, mas Alisson defendeu bem. O City ia para cima e fazia dos acréscimos uma emoção pura.

O Liverpool ainda teve uma chance em contra-ataque, já nos acréscimos, que Roberto Firmino tocou para Mohamed Salah, que avançou, tentou o chute e errou o alvo. Logo depois, mais uma bola recuperada pelos Reds e desta vez Firmino foi quem teve a chance, mas adiantou demais e Steffen conseguiu defender a finalização do brasileiro.

O jogo acabou em 3 a 2, com um ar de decepção para o Manchester City, que sentiu que poderia ter ao menos empatado o jogo, e alívio por parte do Liverpool, que conseguiu uma vitória dura, sofrida, mas importantíssima para levar a equipe a mais uma final de Copa, a segunda na mesma temporada.

Depois de ser campeão da Copa da Liga, o Liverpool vai a mais uma final de Copa, está na semifinal da Champions League e vivíssimo na disputa pelo título da Premier League. Os comandados de Klopp brigam por todos os títulos da temporada, em algo que seria um feito histórico. O Liverpool espera o vencedor de Crystal Palace e Chelsea, que fazem a outra semifinal da Copa da Inglaterra neste domingo.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo