Inglaterra

Chelsea pode apelar à categoria de base após gastar muito mal e ganhar nada

Desde que a era Todd Boehly começou, equipe londrina gastou de R$ 5 bilhões de reais em contratações e zero títulos até agora

Apesar de sua importância, ter dinheiro para fazer contratações não é sinônimo de conquistas no futebol. A gestão de Todd Boehly no Chelsea está aí para provar esta premissa. Desde junho de 2022, a nova administração do clube inglês investiu R$ 5,3 bilhões em contratações que não deram praticamente nenhum resultado. Como consequência, a comissão técnica do time londrino pode começar a recrutar mais atletas de suas categorias de base, tendo em vista que o valor aplicado em novos jogadores foi uma grande decepção esportiva.

Para salvar seu emprego em Stamford Bridge, Mauricio Pochettino pode fazer mudanças drásticas nas próximas rodadas da Premier League. Neste cenário, o meia Kiano Dyer, de 17 anos e o ala Tyrique George, de 18, subiram para treinar com o time principal e podem aparecer no time titular nos próximos jogos.

Dyer atua com frequência na equipe sub-21 do Chelsea, em uma categoria um pouco acima de sua idade. O desempenho do jovem atleta vem chamando a atenção do técnico argentino, que precisa de uma solução rápida para o setor, que sofre com a falta de um homem de qualidade na função desde o começo da temporada. A joia de 17 anos pode atuar tanto como um meia central, como um primeiro volante.

Pochettino demonstra preocupação com o cansaço dos meias do Chelsea

A intenção do técnico argentino em subir mais um volante ao time principal tem relação com a preocupação de Pochettino com a sequência de jogos do Chelsea na temporada e o risco de cansaço muscular de seus jogadores de meio-campo. Na última rodada da Premier League, o time londrino ficou no empate por 2 a 2 frente ao Brentford e a formação tática utilizada pelo treinador no confronto, que utilizou uma linha de três zagueiros, chamou a atenção da imprensa após a partida.

Perguntado se o esquema de jogo utilizado tinha como intenção espelhar o sistema tático do adversário, Pochettino afirmou que gostaria de promover uma nova forma de jogar na equipe, com os meias mais protegidos e sem a necessidade de correr muito para fazer coberturas. Gallagher, por exemplo, foi poupado na no jogo contra o Leeds, pelas oitavas de final da Copa da Inglaterra, pois estava muito cansado.

“Tentamos dar ao time uma forma diferente de jogar e ter uma alternativa na forma de usar. Precisávamos dar ao meio-campo a possibilidade de não cobrir muita distância. Gallagher não foi titular contra o Leeds porque estava muito, muito cansado”, disse Pochettino após empate contra o Brentford.

Com Lavia e Ugochukwu lesionados, o Chelsea tem somente Cesare Casadei, recém-chegado do Leicester por empréstimo, como opção para exercer a função no meio-campo. Caso Gallagher, Caicedo ou Enzo Fernández ficarem fora de combate, seja por lesão ou cansaço, a única forma possível de cobrir tais ausências é apelar para a categoria de base.

Pochettino também afirmou que não poderá mais poupar jogadores do setor de meio-campo, assim como fez com Gallagher diante do Leeds por conta do momento importante que o time vive na temporada. Na 11ª colocação da Premier League e com a Copa da Inglaterra para disputar, resta ao treinador argentino extrair o que pode do seu elenco para buscar pelo menos uma vaga em alguma competição continental na Europa a partir do segundo semestre deste ano.

Com 36 pontos na tabela de classificação, o Chelsea está a 14 de distância para o Tottenham e terá 12 jogos para tentar se aproximar do pelotão da frente da competição e salvar a temporada. O time londrino se classificou para as quartas de final da Copa da Inglaterra após bater o Leeds por 3 a 2 nas oitavas e vai enfrentar o Leicester na próxima fase. Nesta segunda-feira, os comandados de Pochettino enfrentam o Newcastle pela 28ª rodada da Premier League, diante do Newcastle, em Stamford Bridge.

As contratações mais caras da era Todd Boehly no Chelsea

  • Moises Caicedo – 133 milhões de euros;
  • Enzo Fernandez – 120 milhões de euros;
  • Mykhailo Mudryk – 100 milhões de euros;
  • Wesley Fofana – 75 milhões de euros;
  • Marc Cucurella – 65,3 milhões de euros;
  • Romeo Lavia – 62,1 milhões de euros;
  • Christopher Nkunku – 60 milhões de euros;
  • Raheem Sterling – 56,2 milhões de euros;
  • Cole Palmer – 47 milhões de euros;
  • Axel Disasi – 45 milhões de euros;
Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo