Inglaterra

Chelsea anuncia a criação do seu primeiro grupo oficial de torcedores LGBT

O futebol às vezes assusta. Um meio machista e homofóbico, às vezes racista, que no final das contas apenas reflete a sociedade. Com o agravante do ambiente, da tensão e do coletivismo que facilitam essas idiotices. Integrar as minorias ao nosso esporte favorito é uma missão difícil, e dentro dela, é muito importante uma atitude como a do Chelsea e de outros clubes ingleses, que criaram grupos de torcedores LGBTs.

LEIA MAIS: Político tem uma teoria sobre a fase do Liverpool: punição divina por apoiar os gays

Os Blues anunciaram a criação do seu esta semana, mas não é o primeiro a fazer isso na Premier League. O Arsenal foi pioneiro em um grupo oficial de LGBTs entre os principais clubes do país, em 2013. Tottenham, Manchester City e Everton também criaram os seus, entre outros.

“O clube está orgulhoso por celebrar nossa diversidade, com nossa iniciativa Construindo Pontes, para concretizar a visão de um clube e uma comunidade que recebe todos de braços abertos, independente de raça, religião, sexualidade ou gênero”, afirmou.

Apesar de o apoio aos LGBTS entre os clubes ingleses crescer cada vez mais, a Rede de Torcedores de Futebol Gays (GFSN, na sigla em inglês) não chega a estar satisfeita. Em agosto do ano passado, seu presidente Ed Connell afirmou à BBC que “todos os clubes da Premier League deveriam ter uma torcida LGBT oficial” e que muitos ainda pensam “que não existem um problema de homofobia no futebol”.

A BBC perguntou a 11 clubes da Premier League se eles tinham uma torcida LGBT oficial: oito não responderam, quatro responderam dizendo que não queriam responder, cinco disseram que sim, e Stoke e Sunderland confirmaram que não tinham.

“Estou muito orgulhoso de ver isso acontecendo”, disse Connell, torcedor do Chelsea. “Tenho feito campanha contra a homofobia no futebol por boa parte dos últimos 12 anos e passei os primeiros sete ou oito me sentindo frustrado, tentando fazer as pessoas perceberem que era um problema. Queremos trabalhar com o clube para ajudar a comunidade LGBT e fazer os torcedores LGBTs se sentirem bem recebidos”.

“Porque é um jogo que todos amamos muito, independente da sexualidade de cada um”, concluiu.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo