Games

Gamepédia do Futebol – #3: Electronic Table Soccer

Na década em que os games de futebol explodiram, teve espaço até para o pebolim

A Gamepédia do Futebol chega aos anos 80. Época que consolidou os games de futebol nas desenvolvedoras e trouxe muitos títulos – que garantirão alguns episódios nesta série. Esta década começa com o monopólio do Atari, mas tem em sua segunda metade a chegada de SEGA e Nintendo como potenciais na produção de jogos eletrônicos. Neste episódio, é do título de outra empresa que vamos falar. Depois de Taito Soccer, o pioneiro jogo de futebol, e NASL Soccer, o primeiro nos consoles, o primeiro – e único – jogo de pebolim da história é o protagonista da terceira parte da nossa enciclopédia.

A capa de Electronic Tabler Soccer (reprodução)

O Odyssey foi o primeiro videogame da história, lançado em 1972 pela Magnavox, empresa subsidiária da Philips. Ele foi desenvolvido por Ralph Baer, engenheiro alemão, para concorrer com o Atari, que sairia dois meses depois.  Entretanto, foi só em 1980 que o console recebeu o seu primeiro jogo de futebol, ou melhor, de pebolim. Electronic Table Soccer é um game de futebol de mesa – pebolim, totó, fla-flu, pacau, dependendo da sua região – programado por Ed Averett. No Brasil, ele chegou apenas em 1983, com o nome de “Futebol Eletrônico”.

Apesar de visualmente parecer muito um jogo de pong, a dinâmica é exatamente a mesma do pebolim. Os 6 jogadores de cada time estão organizados em linhas, que se movimentam apenas verticalmente, com um goleiro, dois defensores e três atacantes. Ainda em diferenciação aos pongs, como Taito Soccer, os jogadores não apenas rebatem e são capazes de reter a posse de bola, inclusive tocando entre jogadores da mesma linha ou trocando o “pé” do qual vai sair o chute.

Por mais que a produtora estivesse buscando as emoções de uma autêntica partida de futebol, a experiência ficou bem longe dela. Os efeitos sonoros pouco remetem ao futebol, sendo que os simuladores da década anterior já apresentavam uma qualidade melhor neste aspecto. Para os mais saudosistas, o placar que marca os gols lembra muito um ábaco, como em alguns jogos de sinuca. O lado bom fica para a possibilidade de jogar contra a máquina, que nem todos os games da época apresentavam, e o controle simples de alavanca, facilitando na popularização dos simuladores.

Electronic Table Soccer (reprodução)

Electronic Table Soccer não é – nem de perto – um dos melhores jogos desta década. Ele não apresenta melhorias dos jogos anteriores e também não contribui para os seguintes títulos de sucesso enquanto simulador de futebol. Entretanto, ele é um marco por explorar uma representação de futebol tão popular no Brasil, que é o pebolim, e por marcar aqui a importância da Magnavox no desenvolvimentos dos videogames. Nos próximos episódios, vamos explorar os hits da década de 80 e as empresas líderes naqueles anos – Atari, SEGA e Nintendo.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo