Games

Gamepédia do Futebol – #2: NASL Soccer

Liga americana inspirou o jogo que trouxe o futebol virtual para dentro de casa

O futebol nos Estados Unidos ganhou a atenção do mundo com a chegada do maior astro da modalidade em solo estadunidense. Pelé foi jogar no New York Cosmos e garantiu médias de 13 mil torcedores para a liga na época. A disputa da NASL, North-American Soccer League, durou entre os anos 1968 e 1984, com uma recriação entre 2009 e 2017, e teve seus anos dourados nas décadas de 70 e 80. Além de Pelé, outros grandes nomes como Franz Beckenbauer e Johan Cruyff também jogaram na liga. Ela foi inspiração para o jogo de futebol que é assunto do segundo episódio da nossa Gamepédia do Futebol. Depois da importância de Taito Soccer como o primeiro jogo de fliperama sobre o esporte bretão, hoje falamos sobre o primeiro título para consoles sobre futebol: NASL Soccer.

O NASL Soccer foi lançado em 1979 para Intellivision, o videogame da empresa americana Mattel. Ele é considerado o primeiro jogo de futebol para consoles, apesar de alguns terem chegado antes, como o Futebol do Telejogo, da Philco. A questão é que o game, diferente dos anteriores, não era similar aos jogos de pong e trazia, de fato, a dinâmica do futebol para os jogos virtuais pela primeira vez. Apesar de não contar com 11 jogadores de cada lado, NASL Soccer apresentou aos jogos de futebol a variedade de comandos, o ponto de vista isométrico e o deslizar da câmera, chamado de scrolling, que faria bastante sucesso nos títulos dos anos 90.

No final dos anos 70, e durante a década de 80, os jogos sobre esportes foram muito utilizados nos games. Na divulgação do Intellivision, por exemplo, várias ligas foram trazidas como títulos de cartuchos – NFL Football, NBA Basketball, Major League Baseball, NHL Hockey, PGA Golf e NASL Soccer. Com a popularização do futebol nos Estados Unidos, inclusive com a passagem de Pelé pelo New York Cosmos entre 1975 e 1977, a liga americana de futebol não poderia ficar de fora. Os nomes dos jogadores e times não eram utilizados, mas a identidade visual da liga estava presente na capa e em toda a comunicação sobre o cartucho. Representantes da liga também fizeram parte do desenvolvimento do jogo como consultores.

A dinâmica de jogo consiste em dois times de quatro jogadores, goleiro e três de linha, que buscam marcar o maior número de gols dentro dos 90 minutos simulados de cada partida. A câmera desliza de acordo com o avanço dos jogadores no campo e acontece o reposicionamento dos mesmos, caso sumam com o scrolling, para que todos fiquem visíveis na tela. A impressão é que há mais de 3 jogadores de cada lado em campo, mas são apenas os mesmos aparecendo no próximo frame da câmera. Além disso, é o primeiro jogo de futebol que usa a perspectiva na visão do campo. O ponto de vista isométrico faz com que haja profundidade, facilmente notadas nos cantos do campo e em como as linhas são vistas no andar da câmera.

Como é um título inspirado no futebol estadunidense, é possível visualizar uma linha diferente na intermediária. Essa linha corresponde a uma regra específica da NASL, permitida pela Fifa entre 1972 a 1982. Conforme a regulamentação, os impedimentos só seriam marcados se os atacantes ultrapassassem tal marca, que ficava a 32 metros da linha do gol – e não se estivessem à frente da linha do meio-campo, como aplicado até hoje no resto do mundo. Além disso, tal linha também marcava o início da cobrança de shootout, num modelo parecido com o hóquei no gelo, que chegou a substituir os pênaltis na NASL – com o jogador conduzindo a bola para o chute da infração.

Ainda sobre a gameplay, o jogo conta com sonorização a cada toque na bola, apito do árbitro nos foras de jogo e o estouro da torcida no momento do gol – que mais parece o lançamento de uma nave espacial. Um dos destaques para a época foi a forma humanóide dos jogadores, novidade implementada pela primeira vez em games de futebol, grande evolução frente aos bastões ou pontos que representavam os jogadores nas edições anteriores. Como o Intellivision contava com controle pouco intuitivo, junto ao cartucho vinham também duas cartelas para colocar sobre os controladores, indicando o que cada botão fazia no jogo. Abaixo dos botões, uma espécie de direcional possibilita o movimento em até 16 direções, outra revolução da época frente às 8 direções.

Além do salto de qualidade na gameplay e na implementação de algo parecido com futebol real pela primeira vez, o NASL Soccer é um marco por ser um jogo de console. As pessoas não precisavam mais sair de casa para ter acesso aos seus títulos favoritos nos fliperamas. Na época do lançamento, em 1979, o Intellivision custava em torno de 300 dólares. Com a possibilidade de jogar em duas pessoas, começa o hábito muito cultivado até hoje de chamar um amigo para disputar um game de futebol na sua casa. Obrigado, NASL Soccer, por ajudar a possibilitar as tardes maravilhosas de Bomba Patch 100% Atualizado.

O jogo da Mattel implementa a visão isométrica e o scrolling, que foram muito importantes nos jogos das décadas seguintes e serão abordados nos próximos episódios da Gamepédia do Futebol. Conta para a gente, você chegou a jogar o Intellivision? E quais games mais marcaram na década de 80 e não podem ficar de fora nos próximos capítulos da série?

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo