Games

FUT Heroes: entenda como funciona e quais são os jogadores históricos que estarão no FIFA 22

Novo tipo de carta de jogador do Ultimate Team terá papel interessante nas montagens de times híbridos

Há menos de um mês para o lançamento do FIFA 22, a EA Sports divulgou os atributos dos FUT Heroes. Este novo tipo de carta, que estará presente no FIFA Ultimate Team, homenageia jogadores que marcaram época em seus campeonatos nacionais ao longo de sua carreira. As ligas escolhidas foram a Premier League, Ligue 1, Serie A, Bundesliga, La Liga, Liga MX, MLS e o Campeonato Saudita. Os jogadores que chegarão no simulador de futebol são: Mario Gomez, Diego Milito, Tim Cahill, Jorge Campos, Fernando Morientes, Sami Al-Jaber, Robbie Keane, Abedi Pelé, Clint Dempsey, Lars Ricken, Ole Gunnar Solskjaer, Antonio Di Natale, Ivan Córdoba, Jerzy Dudek, Freddie Ljungberg, Aleksandr Mostovoi, Jurgen Kohler, Joe Cole e David Ginola.

LEIA MAIS:
EA Sports coloca pro players para demonstrar o FIFA 22 e você pode ver as partidas aqui
Como sair na frente no FIFA Ultimate Team
O que muda no Ultimate Team do FIFA 22

Além do fator saudosismo, estes jogadores serão peças essenciais na montagem de alguns times no Ultimate. No modo de jogo há uma dinâmica chamada entrosamento, através da qual os jogadores rendem melhor ou pior de acordo com a posição em que estão colocados e os companheiros aos quais estão ligados. O objetivo é buscar que tanto cada jogador como o time como um todo tenham o máximo de entrosamento possível.

Os jogadores terão maior entrosamento se estiverem em suas posições corretas e ligados a outros jogadores da mesma liga ou nacionalidade. Isso gera um link amarelo e já garante o bom rendimento. Caso os jogadores conectados sejam da mesma liga e nacionalidade ou do mesmo time terão um link verde, ainda mais forte. Se não conseguir conectar jogadores ou colocá-los em posições erradas, haverá perda de entrosamento e, consequentemente, também de rendimento durante as partidas.

Diferentemente dos jogadores básicos, os FUT Heroes vão garantir links fortes com jogadores da mesma liga. Pensando na montagem de times híbridos, aqueles que misturam mais de uma liga, eles podem ser peças essenciais para que todos os escalados tenham entrosamento garantido.

Na liga inglesa, os escolhidos foram Joe Cole, Tim Cahill, Ole Gunnar Solskjaer, Jerzy Dudek, Robbie Keane e Freddie Ljungberg. Se a lógica do jogo for similar a do FIFA 21, Joe Cole e Ljungberg podem ser bastante úteis – em especial no começo do jogo – jogando nas pontas ou até como armadores. Solskjaer e Keane têm bons números de drible, o que ajuda bastante atacantes na mudança de direção e são essenciais pensando no melhor rendimento in game.

Cahill tende a ser um jogador com uma mobilidade menor e deve fazer menos sucesso. Dudek é uma incógnita porque o sistema de goleiros será totalmente reformulado para o FIFA 22. Se você achou estranho que nomes como Lampard, Gerrard, Drogba, Ferdinand, Ashley Cole, Dalglish, que marcaram época na Premier League e não estão nos Heróis, não se assuste. Eles já estão presentes no jogo em outra categoria de cartas: os Ídolos.

Para a liga alemã, os selecionados foram Lars Ricken, Jurgen Kohler e Mario Gomez. Ricken e Mario têm cartas bastante equilibradas e devem ser úteis para os jogadores que conseguirem adquiri-los. Kohler não deve fazer tanto sucesso assim, pois, apesar da velocidade não ser tão ruim para um zagueiro, a alta estatura e os baixos atributos de drible devem complicá-lo contra os atacantes mais bagunceiros.

Ainda assim, sempre vale a pena esperar para ver na gameplay do FIFA 22. Os Heróis da Bundesliga, sendo de uma boa nacionalidade para o jogo, tendem a ser peças importantes na ligação de times que têm como base o campeonato alemão para unir outros jogadores do mesmo país que estão em outra liga – Timo Werner, Kai Havertz, Toni Kroos, Robin Gosens, Ter Stegen, etc.

Ivan Córdoba é o destaque dos heróis da liga italiana. A velocidade do colombiano é absurda e pode ser, inclusive, a maior de um zagueiro no jogo. A única questão fica a cargo do drible, mas pela baixa estatura isso pode ser compensado. Di Natale vem para ser o melhor atacante da Serie A, principalmente depois da saída de Cristiano Ronaldo e Lukaku. Ele tem tudo que um atacante do jogo precisa ter, só falta testar e comprovar que ele deve fazer muito sucesso.

Diego Milito tem uma carta com bons stats e deve contribuir também. Pensando na montagem de times híbridos, a nacionalidade argentina será muito útil. Basta pensar em Messi, Di Maria, Aguero, Papu Gómez e tantos hermanos espalhados pelas ligas mundo afora.

O campeonato espanhol traz apenas dois representantes. Mostovoi tem uma carta equilibrada e pode ajudar aqueles que jogam com time da La Liga. O fato negativo é a nacionalidade russa, que pouco vai ajudar na montagem dos times. Fernando Morientes tem ótimos stats para atacante, em especial a finalização, e também uma boa nacionalidade. Pensando no Raúl, que já está no jogo e tem uma carta similar ao antigo companheiro de equipe, pode ajudar mais no começo do jogo, mas não deve fazer tanto sucesso depois.

O badalado campeonato francês tem dois ótimos representantes entre os Heróis. Abedi Pelé é um sonho de armador e deve trazer muita dificuldade para os defensores. Velocidade, drible, passe e finalização muito bons e a única nota negativa fica a cargo da nacionalidade, pois não ajuda a conectar com outras ligas. Ginola também chega com uma carta muito boa, tanto para jogar pelo lado como também na faixa central. A nacionalidade francesa é a melhor para links no Ultimate e o meia esquerda vai facilitar bastante a montagem dos jogadores que conseguirem contar com ele no elenco.

Para fechar a lista de Heróis, também temos lobos solitários que marcaram época em ligas de menor expressão. Jorge Campos não será utilizado no jogo. Não há bons zagueiros mexicanos disponíveis para escalá-lo como titular e, como ninguém joga com a liga mexicana, não entrará no segundo tempo. Al Jaber pode ser utilizado como atacante e ponta. Não será titular, mas pode entrar para fazer aquela bagunça na etapa final. Clint Dempsey é um ótimo armador. Carta muito equilibrada e que, apesar de ser difícil colocar no time titular, pode ajudar muito entrando no segundo tempo.

Mostrar mais

João Belline

Jornalista de formação, louco dos esportes por opção. Depois de muito escalar Cartola, jogar Winning Eleven, escrever escalação dos sonhos no caderno e topar o dedão na rua, falar sobre futebol virou uma necessidade. É mais um leitor que buscou espaço no time da Trivela e entende que futebol está acima do clube.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo