Futebol feminino

Cenas fortes: zagueira do Arsenal desmaia durante final da Copa da Inglaterra feminina

Com apenas 24 anos, Frida Maanum precisou ser atendida de prontidão, mas já está se recuperando bem

O domingo (31) foi um dia de festa para o time feminino do Arsenal. Jogando no Molineux Stadium, onde atua o Wolverhampton, as Gunners bateram o Chelsea por 1 a 0, e se tornaram campeãs da Copa da Inglaterra. Mas nem tudo foi festa. Uma cena de muita preocupação causou angústia nas atletas e também na torcida de ambos os clubes.

O que aconteceu?

  • Defensora do Arsenal, Frida Maanum desmaiou durante o jogo, e caiu no gramado sozinha, sem participar de qualquer disputa de bola
  • Prontamente, as atletas de Arsenal e Chelsea chamaram o atendimento médico para entenderem o que havia ocorrido com a norueguesa
  • Após 10 minutos de paralisação do jogo, ela foi levada de maca com uma máscara de oxigênio ao interior do estádio, e depois ao hospital local.

Defensora passa bem após susto

Por meio de seu perfil no X (antigo Twitter), o Arsenal atualizou as condições médicas de Maanum e tranquilizou os fãs.

– Frida está consciente, conversando e em condição estável. Ela vai continuar sendo monitorada por perto pela equipe médica. Estamos com você, Frida.

O susto também é grande por conta da idade de Maanum. Com apenas 24 anos, a zagueira chegou ao Arsenal em 2021, após fazer sucesso no futebol norueguês e sueco. Além disso, ela também atua pela seleção de seu país desde 2017, sendo uma das principais atletas da equipe nórdica.

Mesmo com a preocupação com a companheira, as jogadoras do Arsenal mostraram força e resiliência para seguirem jogando, e ainda por cima, conseguindo o título. Já no aos 11 minutos do segundo tempo da prorrogação, a atacante sueca Stina Blackstenius fez o único gol da partida. Com o troféu assegurado, aconteceu inclusive uma homenagem para a zagueira.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo