Futebol feminino

WSL é a liga que mais cresceu na internet em 2023

Copa do Mundo Feminina teve papel importante no crescimento das buscas pela Superliga Feminina da Inglaterra; entenda

A Superliga Feminina da Inglaterra (WSL) registrou muitos recordes em 2023, mas um deles chamou a atenção: as buscas no Google. Segundo o relatório do SportOnSearch da Redtorch, que mediu a pesquisa das pessoas por ligas esportivas, a WSL registrou um aumento de 258% ao longo do ano passado.

O segundo lugar do ranking ficou para a Major League Soccer (MLS), com um aumento de 87%. O liga americana masculina foi impulsionada pelo ingresso de Lionel Messi no Inter Miami, em julho de 2023. A Champions League Feminina foi a quinta colocada nas buscas, com crescimento mais rápido em relação aos anos anteriores, cerca de 70%. Além disso, a NWSL também figurou no top 10, após registrar um aumento de 50%.

O relatório Redtorch analisou dados usando as tendências do Google de 2023 e comparou os resultados com a média dos quatro anos anteriores de cada assunto.

Copa do Mundo Feminina foi responsável pelo “boom”

O aumento nas pesquisas da WSL coincidiu com o recorde da Copa do Mundo Feminina de 2023. O torneio disputado na Austrália e na Nova Zelândia foi recheado de recordes, tanto de público quanto de audiência. Ao longo das 64 partidas, 1,9 milhões de pessoas estiveram nos estádios, o maior número de pessoas acompanhando in loco um Mundial feminino.

Os resultados de pesquisa da WSL aumentaram significativamente na Zâmbia e na Irlanda, duas nações que estrearam na Copa do Mundo Feminina, enquanto a Jamaica também apareceu entre as 10 principais regiões de pesquisa da liga inglesa. A seleção jamaicana encerrou sua participação na Copa à frente do Brasil no Grupo F, conquistando a inédita classificação para a fase eliminatória. A capitã da equipe, Khadija “Bunny” Shaw, é atacante do Manchester City.

O interesse gerado pela Copa do Mundo Feminina, somado à crescente visibilidade do futebol inglês por conta dos altos investimentos, contribuíram para o aumento da atividade de busca pela WSL.

– Os fatores determinantes foram as histórias conduzidas pela narrativa e a Copa do Mundo, que impulsionou as jogadoras e suas personalidades para os holofotes globais, o que resultou em um interesse crescente nas ligas nacionais – disse Jess Reus, chefe de comunicações e líder de esportes femininos da Redtorch, em entrevista ao jornal britânico The Athletic.

– A maior visibilidade, a cobertura mediática e o investimento financeiro estão gerando um grande impacto – acrescentou.

Novos acordos de mídia e muito dinheiro envolvido

Vale ressaltar que a curva ascendente deve ganhar novos picos nesta temporada. Isso porque a WSL foi protagonista nesta janela do mercado de transferências, com a contratação de Mayra Ramírez pelo Chelsea e outras grandes jogadoras, além dos longos contratos envolvidos.

Além disso, a organização da liga já tinha anunciado um acordo de direitos de transmissão histórico com a BBC e a Sky Soprts, em 2021, que colocou a WSL em destaque por três anos. O acordo termina nesta temporada e a NewCo, a empresa deve assumir a gestão da WSL 2024/25, colocou em licitação os direitos televisivos.

O aumento do interesse na WSL fez parte de uma tendência do esporte feminino. Dos 10 principais esportes que registraram o maior aumento nas pesquisas, 6 eram ligas e competições femininas, incluindo o basquete nos highlights.

– Houve um aumento no investimento, nos patrocínios e na cobertura midiática que colaborou para este aumento. É o apoio de patrocinadores e marcas que estão investindo tempo para promover o esporte feminino – concluiu Reus.

Botão Voltar ao topo