Eurocopa Feminina

Com mais um gol de Alexandra Popp, Alemanha vence a Áustria e está de volta às semifinais

A capitã da Alemanha marcou em todos os quatro jogos da Eurocopa Feminina até agora

De volta à seleção alemã após quase um ano afastada dos gramados por lesão, a capitã Alexandra Popp manteve sua marca de fazer um gol em cada jogo da Eurocopa Feminina e, pressionando a goleira Manuela Zinsberger, definiu a vitória por 2 a 0 sobre a Áustria, na segunda quartas de final da competição, nesta quinta-feira no Estádio Comunitário do Brentford, em Londres.

Popp, 31 anos, começou a Eurocopa na reserva, mas após marcar contra a Dinamarca na estreia, saindo do banco de reservas, foi titular nas duas rodadas seguintes e também nas quartas de final. Com quatro gols, é a vice-artilheira do torneio, um atrás da inglesa Bethany Mead.

A Áustria, que chegou ao mata-mata da Euro eliminando a Noruega de craques como Ada Hegerberg e Caroline Hansen na fase de grupos, fez jogo muito duro contra a Alemanha e pode se considerar com falta de sorte porque acertou a trave três vezes, duas no segundo tempo, antes do erro da sua goleira decretar o placar final da partida. A vitória faria com que repetisse sua melhor campanha e representaria duas semifinais nas suas únicas duas participações.

A Alemanha é dominante na Eurocopa. Em nove edições disputadas entre 1989 e 2013, conquistou oito títulos e teve um quarto lugar. Mas havia caído nas quartas de final em 2017, após perder para a Dinamarca, e está de volta às semifinais como uma das principais candidatas ao caneco. Enfrentará França ou Holanda que jogarão no próximo sábado em Rotherham.

Popp teve a primeira boa chance da Alemanha, aos nove minutos, quando Svenja Huth fez grande jogada pela direita e cruzou para Klara Bühl. Ela ajeitou para a craque alemã bater por cima do travessão. Marina Georgieva, em cobrança de escanteio, acertaria a trave pela primeira vez para a Áustria que passaria mais duas vezes por essa frustração antes do fim do jogo.

A Alemanha abriu o placar, aos 26 minutos, com uma pressão bem organizada para interceptar a reposição de Zinsberger. Bühl tomou as costas de Carina Wenninger e cruzou para trás. Popp fez o corta-luz, deixando a bola passar entre as suas pernas, e Lina Magull chegou batendo para levar as alemãs ao intervalo em vantagem.

A Alemanha voltou determinada a matar logo a partida e acertou a trave com Giulia Gwinn. O período de pressão alemão, porém, se converteu na reação da Áustria, que jogou a bola no poste duas vezes em um intervalo de cinco minutos, primeiro com um chute colocado de Barbara Dunst, depois com Sarah Puntigam, na sobra do corte da goleira Merle Frohms. Marina Hegering ainda afastou.

De volta ao controle, Linda Dallmann arriscou de perna esquerda de fora da área, muito perto do travessão, e Bühl perdeu uma chance clara de fazer 2 a 0, aos 37 minutos. Outra vez a pressão foi bem sucedida, e Popp recebeu em profundidade pela direita. Ela rolou para o meio da área, onde estava Bühl, muito bem colocada para marcar. De esquerda, ela espirrou o taco e jogou para fora.

A jogada do segundo gol foi um pouco incompreensível porque o tiro de meta foi cobrado curto por uma jogadora de linha da Áustria para a goleira Zinsberger mandar para a frente – ela poderia ter apenas chutado o tiro de meta? Zinsberger dominou um pouco forte demais e, na hora de tentar o chutão, tinha Popp à sua frente. A craque alemã interceptou, e a bola foi parar no fundo das redes.

.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo